Aos 10 anos e safadinha – de volta ao motel

Olá me chamo Marcos e durante alguns meses minha vida sexual mudou muito, pois, uma garotinha de 10 anos, entrou nela e tem me deixado maluco, quem já leu os contos anteriores sabe bem do que estou falando, os fatos que tenho relatado aqui, de fato aconteceram e não sei até quando vão acontecer, mas, na medida do possível, eu contarei aqui. Bom, depois de nosso ultimo encontro, eu tive mais 02 encontros com a Kamila e procurarei relatar aqui o que seguiu logo após ter comido o cuzinho da Kamila na sua própria casa. Depois que sai de lá, eu voltei ao trabalho e quando foi por volta das 17 hs a Kamila me mandou umas mensagens dizendo que estava com muita dor no corpo e que a empregada deles disse que ela poderia está com dengue, gripe ou algo assim, o fato é que ela me ligou pra dizer que estava com muita dor na bunda também, o que me deixou preocupado, sem saber o que poderia ser e também com medo da safadinha dizer algo aos pais, dai, eu disse a ela, olha linda, tenha calma, não vai ser nada grave, e disse outras coisas também, então, no outro dia não recebi nenhuma mensagem dela, e isso, ficou até o inicio da semana seguinte, então, na terça feira dia 22/03 mais precisamente, recebo uma mensagem dela, reclamando porque não liguei pra ela ou mandei mensagens, ela estava com dengue e ficou internada dois dias no hospital, eu expliquei a ela que não podia nem ligar e nem mandar mensagens, ainda mais, ela estando doente, já pensou se os pais dela veem, ela disse que seu celular tem senha e que so ela sabe, eu disse: sim linda, mas é arriscado e nós já conversamos sobre isso, ela disse, que tudo bem e mandou umas carinhas de tristeza, e disse que estava com saudades, perguntei se ela estava melhor, e ela disse que estava sarada e que sua mãe e pai iria viajar de novo na quarta feira, e que queria me ver, pois a empregada iria para o Senac e que estaria me esperando. Eu disse a ela que era arriscado e que melhor não ir, ela disse: ah não tio, la vem você com essa conversa de novo, eu disse: Kamila, eu não posso me arriscar assim e se alguém ver, ela disse, ninguém vai ver não, você me liga antes de vir e eu vou ver se tem alguém na rua o próximo de casa, dai te aviso e você vem. Eu concordei, pois também queria ver aquela pestinha, e no dia seguinte ela ficou me enviando mensagens dizendo que sua mãe já havia viajado e ela tinha acabado de chegar do colégio e que iria banhar e me aguardar, eu disse a ela que iria sim, e quando foi por volta das 13 hs que sempre vou para o almoço, neste interva-lo, eu desci para casa e almocei e disse a mesma coisas que falei da ultima vez, que tinha cliente me esperando e que precisava ir, reornei e liguei para a Kamila que já foi logo dizendo que tinha um pessoal da rede de energia que estava por lá, mas que quando saíssem, ela me ligaria, o fato é que ela me ligou já era quase três horas e eu disse a ela que não dava pra ir mais, ela ficou triste e disse algumas coisas, mas, na verdade, não havia como eu ir lá, dai se passaram os dias e quando foi sexta feira, ela me disse que no sábado iria pra casa de sua avó e que queria me encontrar de um jeito ou de outro. Foi até bom, pois, no sábado tinha uma palestra sobre vendas e eu havia me inscrito para participar e pra mim ficou perfeito, eu iria a palestra, ficaria um tempo lá e depois pegaria a Kamila e saiamos, e assim fiz no sábado, e quando cheguei próximo a casa de sua avó, eu liguei pra ela e a safadinha veio me encontrar, entrou no carro e partimos para o motel e no trajeto a safada abriu o zíper da minha calça e começou a me chupar e eu disse: menina onde você viu isso, e ela disse, eu vi na internet, uma mulher que sai com um cara e ela acaba chupando o pau dele, desse jeito aqui, e voltou a me chupar. Ao mesmo tempo que era excitante, era perigoso, apesar do vidro escuro, não tem como não ficar com medo. A safadinha babou ele todo e quando entramos no quarto do motel, ela tirou a roupa e disse: tio deita aqui e deixa eu chupar ele, pois quero leite, eu deitei e ela veio, peladinha, nossa uma delicia, a safada então colocou ele na boca e eu senti o pau deslizar em sua bokinha, nossa tava delicioso, e ela chupava lentamente, ora só a cabecinha, ora ela enfiava até onde conseguia engolir. Essa cena foi me deixando maulco e eu passei a bolinar em sua bucetinha, quando trisquei os dedos lá, ela tava molhadinha e ela deu um gemido tipo, aiiiihhhh, e apertou meu pau com sua mao, e eu fiquei bolinando e era parou de chupar e so ficava me punhetando e dizendo:
tio, por favor não para.
Tá gostando safadinha
Tô tio, que delicia
Então volte a chupar meu pau, sua puta
Ela voltou a coloca-lo na boca, e mamava, sugava, as vezes mordia, pois eu estava bolinando-a com minha mão, ela começou a chupar e a babar nele todo e eu comecei a dizer:
vai putinha safada, enfia minha pica toda nessa boquinha vai… Mama meu cacete, safada
ela mamava com muita vontade e não pude resistir mais e gozei, e ví quando ela começou a tossí e jogou um pouco de esperma no lençou e me olhou: e disse:
tio, não consegui engolir tudo, era muito.
Desculpe Kamila, mas a culpa é sua, por chupar tão gostoso
Ela sosrriu e disse: safado
Então deitei ela de barriga para cima, afastei suas pernas e coloquei toda sua bucetinha na minha boca e comecei a sugar seu grelo, e a safadinha começou a gemer e a puxar meus cabelos, e a dizer: Delicia tio que delicia tio, ahh, humm, e eu comecei a penetrar seu cuzinho com um dos dedos e a safadinha, começou a se tremer toda e sentir sua bucetinha ficar úmida. E suguei ela mais um pouco e me levantei e disse: quero comer teu cuzinho. Ela disse: tio, me come olhando pra mim. Eu fiz sinal de positivo e levantei suas pernas e as deixei na posição de frango assado e lubrifiquei o pau com esses óleos que tem nos motéis e também untei seu cuzinho e comecei a penetra-la, quando a cabeça passou, ela fez: aaaaaaaaaaaaarggg, tira tio
Como já sei que sempre é assim: fiquei quieto e daqui a pouco a safadinha começou a rebolar fazendo com que meu pau fosse deslizando para dentro de sua bundinha, até que meu saco topou sem bundinha. Então eu dei um beijo nela e comecei a me movimentar, fui metendo com força e ela gemendo, e eu disse: você queria gemer olhando pra mim safadinha: ela me olhava com cara de dor e prazer, e cada estocada era uma gemida e seus olhos fechavam e ela começou a dizer: goza tio, por favor, goza, ta doendo tio, tá doendo. Aquilo me deixou maluco e eu respondí a ela: Kamila sua putinha safada, você que pediu rola, e agora aguenta.
Tô tentando tio, mas tá doendo
Percebi que ela fechou os olhos e começou a gemer, então tirei meu pau de dentro de seu cu e ela, abriu os olhos e eu disse: fica de quatro
Porque?
Porque eu quero te comer de quatro
Ela se virou e eu coloquei meu pau de novo, e a safadinha quis sair, segurei ela e puxei seus cabelos e ela caiu sobre o colchão, então fui aumentando as estocadas e ela gritando e gemendo. Então enquanto puxava seus cabelos e lhe xingava de putinha, de safada, eu gozei dentro de seu cu e soltei seus cabelos, e cai sobre a Kamila que ficou molinha molinha, dai beijei sua nuca, e suas costas e me levantei, e a deitei sobre meus braços e depois demos um delicioso beijo, e a ela ficou abraçada comigo e punhetando meu pau. Dai ela se levantei e chupou o resto de porra que tinha e disse: eca tio, tá gelada. Eu disse: uai, com o ar ligado você queria o que. Então nos levantamos e fomos ao banheiro e banhamos juntos, coisa que nem com minha esposa faço. Dai paguei a conta e a deixei na casa de sua avó. E fui pra casa.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 5 votos)
Loading...