,

Amiga da minha filha

16-04-16 27 ★ 5.00

Ola, sei que o que vou contar é errado, que isso não se faz, que alguém poderia fazer o mesmo com sua filha, mas garanto que o que fiz, ninguém sabe, ninguém desconfiou e por isso vou contar sem relatar nomes.

Tenho uma filha de 11 anos, e que recentemente ficou amiga de uma menina que vou chama-la de Estela, de também 11 anos, e a amizade ficou tão forte que elas vivem juntas, inclusive finais de semana uma dorme na casa da outra, mais aqui em casa por morar num condomínio com piscina, quadra de futebol, salão de jogos, etc.

Mas o que tem de mais essa tal de Estela??? Simplesmente porque a menina, além de linda de rosto, é um tesão de corpo. Todas as vezes que ela vem em casa, tenho que bater umas 3 punhetas por dia pra aliviar o tesão que aquela menina me proporciona.
Além de linda, ela é muito safadinha, porque ela sabe que os meninos e até os homens mais velhos (como eu) mexem com ela, e ela se sentindo desejada desse jeito, se sente a princesa do pedaço.

Andei soldando com minha filha, pois por um lado me preocupo em saber quem é essa menina que causa tanto furor quando chega no condomínio. Será que ela não é uma vadiazinha, uma putinha, e como minha filha é super amiga dela, as pessoas podem confundir os gestos da amiga com minha filha.

Minha filha conta que quase todos os meninos querem ficar com ela, até muitas meninas da escolha, lésbicas ou bi, já pediram pra ficar com ela, e ela disse que ela se aproveita pra beijar os outros meninos e ficar quase sempre. Perguntei pra minha filha se ela fazia o mesmo, e disse que alguns meninos já tentaram mas que ela despistou. Claro que não acreditei, minha filha também além de linda é um tesãozinho de menina.

Certo final de semana, a Estela apareceu em casa pra passar um final de semana conosco, mas como estávamos só eu e minha filha (minha esposa estava viajando) pensei em fazer alguma coisa com aquela menininha.

A Estela já chegou arrasando, com um shorts minúsculo e uma mini blusa, que assim, que chegou, já foi tirando a roupa, pois já estava de biquíni, ainda perguntou pra mim se ela estava bonita, e eu elogiei as duas, dizendo que estavam deliciosamente lindas. Elas riram e foram pra piscina, e eu fui correndo pro banheiro.

Caramba, estávamos só nos três em casa, elas iriam dormir lá e eu queria aproveitar aquela gostosinha. As meninas estavam agitadas, ficaram na piscina, brincaram de bola, depois fomos passear pra almoçar (apesar que já estava quase na hora do almoço) e estávamos brincando bastante no shopping. Umas das brincadeiras ela chutar a pessoa que estava na minha frente, e as duas acabaram com a minha bunda de tanto chutar, mas eu também chutei bastante as duas, e a Estela, em especial, dei um chute bem forte bem no cu dela. ela além de reclamar de dor, quase chorou, e eu pedi mil desculpas pra ela, e tive de comprar algumas coisas pra alegra-las, mas o chute foi proposital, vocês vão entender no final do conto. Chegamos quase 9 da noite em casa.

Quando cheguei, enchi um copo de whisky e a Estela pediu pra dar um gole. Entreguei o copo e ela quis dar uma virada e acabou se engasgando com a forte bebida que colocou na boca. Todos nós rimos, e minha filha queria que eu preparasse a batida que ela gostava de beber. Pensei, esse é o momento. Pedi pra esperarem e fui pra cozinha. Preparei as bebidas pra elas, mas coloquei um remédio pra dormir na bebida das duas, e levei pra sala.

Pedi pra elas segredo sobre a bebida, pois se alguém soubesse, me ferraria, e elas concordaram. Quando fui por o filme, de proposito soltei o fio do conversor e a tela não aparecia, então propus todos assistirmos no meu quarto, e as duas apesar do dia agitado, saíram correndo para meu quarto.

Coloquei o filme e deitamos na cama. Minha filha estava no meio, e eu e Estela na ponta da cama. Não passou nem meia hora, e as duas já estavam num sono profundo. Esperei mais um pouco para que o remédio fizesse todo o efeito possível, e já fui pro lado onde estava Estela. Ela vestida um pijama curto, estava sem sutiã e parecia fácil tirar toda aquela roupa. Tentei acorda-las, pra ver se o remédio estava fazendo efeito, e as mesmas nem se manifestavam.

Primeira coisa que fiz, foi tirar toda a minha roupa, e ficar em pé, ao lado da Estela, que naquele momento estava virada de lado, mostrando aquela linda bunda pra mim. Vagarosamente, tirei toda a roupa da Estela, e a deixei totalmente nua.

Nooooooossssaaa, que delicia de menina, o que muitos queriam fazer eu iria fazer com ela aquele momento. Empurrei minha filha pro canto onde eu estava e virei a Estela pra ficar de frente pra mim, ao lado da cama, e cai de boca naquela linda bucetinha. Era deliciosa, tinha um perfume hipnotizante, fora que ela tinha uma pele que parecia um pêssego, então enquanto eu chupava aquela buceta, eu acariciava suas pernas, coxas, barriga, etc. Verifiquei se a menina era virgem, e infelizmente ainda era, então, a brincadeira ficou limitada.

Parti pra cima dela, e comecei a chupar seus seios lindos, enquanto meu pinto apontava pra sua virilha. Queria um beijo daquela gostosa, e enfiei minha língua dentro da boca dela. ela tinha uma boca de veludo, boa pra fazer um bom boquete. Oba, boquete, virei a putinha de lado na cama, e meti a rola na boca dela. Uuuuaaauuuu… que delicia, vendo minha rola entrando e saindo da boca daquela linda menininha. Não aguentei a acabei gozando no rosto dela. Rapidamente corri ao banheiro, peguei papel e limpei ela todinha.

Eu não podia fuder aquela bucetinha, mas o chute que dei no shopping seria uma desculpa pela dor que ela sentiria no dia seguinte, mas na verdade, a dor seria de eu ter fudido o cu daquela vaca. Virei ela de bruços, e comecei a enfiar um dedo no cu dela. A vadia começou a dar uma gemida, fiquei com medo dela acordar, mas na verdade, acho que ela estava é gostando, então continuei e quando já estava bem larguinho, comecei a enfiar dois dedos e pois depois, três dedos.

Quando estava tudo pronto, subi em cima daquela gatinha gostosa, enfiei minha rola no cu dela e mandei ver dentro dela. Eu metia com vontade, com força, com raiva, com velocidade, e a safada só gemia. Algum minutos depois, enchi aquele cu com a minha porra, e fiquei em cima dela, com a rola enterrada no cu, até ele amolecer. Olhei pra minha filha, que dormia como um anjo e agradeci por trazer uma amiga tão linda e gostosa.

Ates de vesti-la, ainda dei uma chupada geral na buceta, nos peitos, na boca, mas coxas, na bunda, naquela linda barriguinha, limpei o cu dela, a vesti e as coloquei nos seus devidos lugares. Pra não dar muito na cara, fui dormir no sofá, e precisei de uma pequena dose do remédio, pois depois de fuder aquela linda garotinha, não ia conseguir dormir.

No dia seguinte (domingo) as duas acabaram acordando mais cedo e já estavam prontas pra piscina. Antes delas saírem, a Estela ainda me lembrou que a bunda dela ainda estava doendo do chute do dia anterior.

Se ela soubesse…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)

,

27 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Marcio

    Meu na moral pra mim os contos são inventados, mas dá tesão de ler, novinhas só em fantasia mesmo pois na vida real eu não tenho coragem e na minha opinião você matou o conto por incluir ter drogado a menina pra mim cortou o tesão, estava bacana era só ter feito ela de putinha safada.

    • Will

      Exato…
      Parei de ler exatamente nesse ponto.

  2. Anônimo

    Doente, verme psicopata. Dopa e embriaga a própria filha.

  3. Careca

    Saber se ter outro site de conto incesto

  4. zero

    que bosta

Ver mais comentarios