# #

O professor da banda

1061 palavras | 0 |5.00

Meu nome é Zila, hoje tenho 29 anos. Lendo alguns contos, resolvi escrever um que aconteceu há anos atrás. Mudei de escola, e na nova escola tinha uma banda e precisavam de meninas para desfilar na frente da banda. Precisavam de pelo menos 5 meninas e só haviam 4. Na minha sala havia uma que era da banda e sempre pedia para eu participar, até que resolvi ceder aos pedidos dela. O professor ensaiava com os meninos que usavam instrumentos na segunda, quarta e sexta. E com as meninas da dança nas terças e quintas.as meninas variavam de 14 a 17 anos. Nos nossos ensaios era aquela putaria de meninas, mão na bunda, nos seios e nas coxas uma das outras. Até uma chupadinha de peito pude ver O uniforme das meninas eram meias longas, sainha curta e um colant de mangas compridas. Tínhamos que fazer alongamento na barra presa a parede na frente do espelho e o professor passava uma por uma para ver se estávamos fazendo bem. Que estivesse fazendo certinho ele dava um tapinha na bunda e dizia muito bem garota. Fiquei meio desconfiada das atitudes do professor e fui perguntar para minha colega sobre ele. Ela rindo me tranquilizou dizendo que ele era veado, e como ela sabia, me disse que era o que falavam, e que no próximo ensaio ia me provar mostrando os seios para ele. Ela combinou com outra colega que era bem assanhadinha para mostrar também. Quando o professor chegou ela fingiram não estar prontas e somente de seios de fora receberam o professor, que brincou com as alunas de serem muito distraídas com seus seios. Pelo que pude saber das meninas somente uma ainda era virgem. Eu tinha o menor seio de todas, mas minha bunda era uma das mais bonitas das meninas. De tanto as meninas se insinuarem pra ele, o professor estava mais safadinho que de costume, ele passava por uma e com a mão na parte interna das coxas e a outra levantando a perna para aumentar o alongamento. Tinha uma das meninas que ele se roçava nela, sempre que podia, acho que era só eu que notava. Num outro exercício, cada menina sentava de frente para a outra, de mãos dadas e pés com pés de pernas abertas, forçando a abertura de pernas e deitando puxando a outra para alongar a coluna, e como havia 5 meninas, sobrou para eu o professor. Cada vez que eu puxava ele, ele ficava a cm da minha buceta, contava até 10 e eu ia na direção do seu pau, ficava olhando até 10 também. Depois da aula o professor deixou nós a sós para tomarmos banho, quando fui tirar minha roupa notei que um dos botões dos fundilhos do maiô estava estragado e abertos, deixando minha buceta meio descoberta, pensei: será que ele tinha visto alguma coisa, comentei com minha amiga deste fato. Ela disse que na quinta-feira ele iria ficar com o professor e deixar os 2 botões abertos para ele, só para deixar ele sem graça. Na quinta-feira ela fez mesmo, naquele exercício ela abria bem as pernas e puxava ele com toda a força, ele também notou que ela estava fazendo de propósito, mandou todas para a barra e com a perna para cima, ele vinha vistoriar como estava nosso desenvolvimento. Na minha colega que estava provocando o professor, ele passava a mão na sua buceta ainda destapada pelo maiô. Cada vez que ela ficava no fim da fila ele alisava sua bucetinha já excitada. Na outra semana tivemos ensaio bem comportado porque minha amiga não pode vir. Na hora do banho, fiquei no box da saída e uma menina já tinha terminado o banho, fui até as 2 meninas que tinham ficado para traz, para perguntar se na terça-feira próxima iria ter ensaio, porque era feriado facultativo. Fiquei chocada com a cena que presenciei, as 2 meninas estavam ocupando o mesmo box e uma com a mão na buceta da outra e coladas de boca que nem me viram olhando assustada para elas, dei volta e fui em bora. Terça-feira esta só eu e o professor para o ensaio, ele perguntou se queria ensaiar sozinha ou ir em bora. Pensei em ensaiar porque tinha ido disposta a ensaiar, então fomos para a sala de dança. Depois de alguns passos de dança, passamos para os alongamentos, já havia esquecido do defeito de um dos meus botões, pé com pé e mão com mão, puxo ele e ele me puxa, lembro do botão aberto e percebo que ele fixa o olhar no meio das minhas pernas, quando é vez dele me puxar, percebo seu pau completamente dura, fico nervosa com as consequências, mas gosto de ver como eu deixava excitado. Fomos para a barra para levantar as pernas, com a ajuda do professor que levantava minha perna e com a outra mão segurava alisando também minha coxa, passou a mão uma vez na minha buceta e soltou o outro botão. Na segunda vez que chegou até minha buceta, ela já dava sinal de muito excitada, depois do meu gemidinho, ele atolou os dedos dentro da minha xaninha, recebia os carinhos dele com muito desejo. Não percebi quando ele tirou o pau para fora, só percebi quando ele encostou na minha buceta, ele pergunta para mim se eu queria continuar? Respondi que sim e ele me atendeu colocando tudo de uma vez, quase fui ao chão até acostumar com seu pau dentro de mim. Fez um entra e sai alucinado e esfregou meu clitóris ao mesmo tempo. Gozei que perdi as contas, ele tirou de dentro e gozou na minha bunda, tomei banho e fui em bora intrigada com opção sexual dele. Na aula do dia seguinte fui comentar com minha colega, que disse que tava com inveja de mim. Depois de sempre dizer a ela das nossas transas, ela também me conta um segredinho, também transava com ele na sua casa. Depois de saber disso, parei de transar com ele e sai da banda. Me distanciei da minha amiga, até ela no final de ano trocar de escola.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos