Mirella

Hoje vou contar para vocês um pouco das minhas travessuras quando ainda era menina muito novinha. Tenho muitos irmãos e minha mãe nunca ficou muito tempo com nenhum homem.
Eu não conheci meu pai, e a maioria dos meus irmãos são de pais diferentes.
Era comum a gente ver minha mãe na cama com os homens que ela levava para casa.
Vivíamos em uma casinha pequena, nos fundos um terreno em Itapevi-SP. Naquela época as ruas eram de terra e o dia todo eu e meus irmãos brincávamos na rua. No total de 6 crianças, sendo 2 meninas e 4 meninos. Eu e minha irmã menor éramos as protegidas.
Certa vez meu irmão mais velho, que já tinha uns 13 anos, me chamou para um terreno baldio que tinha perto de casa. Logo que chegamos neste terreno, fomos para o fundo onde tinha um barranco. Ele abaixou meu shorts e ficou passando seu pipi na minha pepeka. Adorei aquilo, fazia cócegas e era muito bom. Viciamos nisto. Eu já devia ter 8 anos, e queria fazer cada vez mais. Não tinha penetração, mas ele gozava quentinho e aquilo me deixava com muito prazer.
Logo eu já fazia com outros irmãos (11, 9 e 7). Minha irmã de 5 também brincava conosco.
Poucas semanas depois, minha mãe não estava em casa, e ficamos brincando todos juntos e pelados. Até que meu irmão (13) empurrou com força e seu pau entrou em mim. Deu um certo incomodo mas não posso dizer que doeu, não. Foi gostoso.
Dali em diante eu não parei mais de transar.
Uma vez minha mãe apareceu em casa com um homem e um rapaz. Eram pai e filho. Este senhor tinha se separado da esposa e veio morar com minha mãe, na bagagem trouxe este menino que tinha 17 anos. Logo fizemos amizade, e logo ele entrou na brincadeira. Transava gostoso com ele. Um cacete bem maior que do meu irmão. Foi este menino que me ensinou a chupar e engolir porra.
Mas ele cometeu um erro muito grave, ele estuprou minha irmã que na época tinha apenas 5 anos. Ele fez com tanta força, que ela quase morreu. Depois disto minha mãe expulsou o namorado dela e o rapaz. Minha mãe também bateu em todos nós, pois ela descobriu que a gente brincava de sexo.
Dias depois ela levou outro homem para casa. Acho que sou igual a minha mãe, não fico sem dar por muito tempo.
Fui crescendo e na escola eu era a mais galinha das meninas.
Com 9 anos eu ia até a porta da escola, esperava meus irmãos entrarem e fugia.
Gostava de andar e ia até a estação de Itapevi, onde fica ali vendo o movimento, as lojas e pessoas que passavam.
Até que conheci um homem. De tanto me ver por ali e sozinha ele me chamou para conversar. Lembro como se fosse hoje do primeiro dia. Ele me ofereceu doces e balas, e me colocou em seu carro. Não demorou estava em uma cama transando com ele. Ficamos juntos por muito tempo. Ele ia até a escola e me pegava. Sempre que podia eu faltava para ir com ele.
Ele me ensinou a ganhar dinheiro, presentes, doces e eu tinha apenas que fazer sexo e não podia contar nada para ninguém.
Não sei quanto tempo eu fiquei com este homem, mas um dia sem avisar ele sumiu. Fiquei triste pois gostava dele. Não sei se morreu, ou foi preso… mas sem avisar nada ele desapareceu. Aí entendi o que minha mãe sentia quando os homens dela iam embora.
Fui crescendo e nunca deixei de ter meus amores. Com 10 anos eu menstruei pela primeira vez. Foi só aí que minha mãe veio conversar comigo sobre sexo e como eu deveria fazer para evitar filhos. Ela me deu camisinhas. Achei aquilo muito legal e na mesma hora queria usar. Disfarcei e assim que pude fui para a rua. Carregava agora uma bolsinha e dentro 3 camisinhas.
Andei até a estação, e não demorou um senhor me chamou de gostosa. Foi o suficiente para ele ser o escolhido. Fui direto ao ponto e falei: Sou gostosa mesmo e quanto você me paga ?
O velho assustado só gaguejava, mas pegou em minha mão e me levou para sua casa.
Dei a camisinha e ele meteu em mim. Fiquei com nojo, pois este velho fedia. Logo ele saiu de cima e me deu algum dinheiro.
Voltei sozinha para a estação, peguei outro homem. Usei outra camisinha. E ganhei mais dinheiro.
Ainda tinha mais uma, voltei e sai com o terceiro do dia.
Quando acabou, eu me lembrei que minha mãe disse que comprou as camisinhas na farmácia. Sem nenhum pudor eu fui até a farmácia. Parei no balcão que tinha quase a minha altura e pedi para o rapaz do balcão: Moço tem camisinha ?
Por sorte ele estava sozinho. Ele sorriu e me perguntou se eu sabia o que era aquilo.
Respondi que sim, servia para não pegar barriga.
Ele riu e disse que queria ver se eu sabia usar de verdade.
Algumas senhoras entraram na farmácia e ele pediu para ficar calada. Logo que as senhoras saíram ele abaixou as portas. Pegou um pacote de camisinha e me falou: Venha aqui comigo.
Transamos em uma cadeira. Sentei de frente para ele e fui descendo até o pau entrar todinho em mim. Este demorou para gozar. Mas foi gostoso. Ganhei alguns pacotes de camisinha, dinheiro e ele me pediu para voltar no dia seguinte.
Cansada depois de 4 homens, voltei para casa. Dei o dinheiro para minha mãe que nada perguntou, apenas agradeceu.
Depois conto mais, e como minha irmã começou a ir comigo para a estação.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 1 votos)
Loading...