Cunhadinha safada, tinha inveja da irma, e eu meti pra dentro

Ola, meu nome é Carlos, e o que vou contar aconteceu quando eu tinha 19 anos.
Comecei a namorar uma menina chamada Neli, que nos seus 15 anos, era uma delicia de menina.
Mas o que vou contar não é sobre ela, e sim de sua deliciosa irmã Elaine, que na época só tinha nome aninhos, mas era linda como a irmã.
Sempre brinquei bastante com Elaine, e ela sempre tinha a brincadeira de sentar no meu colo. Quando estávamos com mais gente, eu tirava ela do colo, mas quando estávamos sozinhos, deixava ela sentar, e sentia aquele lindo corpinho.
Os anos foram passando e as brincadeiras ficando cada vez mais atrevidas, as cocegas já não era mais por cima da roupa, e sim por debaixo da roupa.
Toda a noite, quando os pais e a irmãzinha iam dormir, eu ficava metendo com a namorada no sofá da sala, sempre atento a parar caso algum barulho acontecesse.
Certo dia estava eu sentado no sofá, a namorada em cima sentando deliciosamente na minha rola, quando ouvi um barulho. Dei uma parada mas como não houve mais barulhos, continuei.
Quando estava quase gozando, olhei pra escada e vi minha cunhadinha nos olhando.
Tanto eu quanto ela nos assustamos, mas não comentei nada com a namorada.
Nos dias seguintes a carinha da Elaine estava diferente, com cara de safada, e numa das brincadeiras ela sentou no meu colo do mesmo jeito que a minha namorada estava sentada, e acabou fazendo a mesma cara que minha namorada. Disfarcei e tirei ela.
Entendi que ela, ou tinha gostado, ou tinha ficado com inveja, pois ela era muito invejosa em relação à irmã.
No dias seguintes, eu sempre estava metendo, e percebia que minha cunhadinha estava lá, olhando. Eu já não me intimidava mais, quanto mais ela olhava, mais excitado eu ficava. Toda vez que eu gozava, eu olhada minha cunhadinha.
Quando ela já tinha seus 12 anos as brincadeiras já estavam ficando picantes, ela já não tinha mais pudor comigo, pois ela fazia todos as posições que sua irmã fazia comigo, e aquilo me deixava excitado e preocupado.
Como eu trabalhava de manha até as 2 horas da tarde, na minha saída, costumava dar uma passada na casa da namorada.
Foi aí que tudo aconteceu.
Quando cheguei na casa dela, toquei a campainha e minha cunhadinha apareceu na janela, vez um sinal pra esperar e demorou alguns minutos pra abrir a porta.
Ao abrir, quase cai pra trás. Ela estava com um shorts (acho que era um shorts, pois era minúsculo e apertado) e uma camisetinha curta, mostrando sua barriguinha.
Nossa, ela estava deliciosa.
Ela me pediu pra entrar e percebi que ela muito eufórica.
Perguntei pela namorada e ela me informou que ela tinha saído com a mãe, e só voltariam no final da tarde.
Disse que iria embora e ela desesperadamente me segurou, dizendo pra fazer companhia pra ela até que a mãe e a irmã voltassem.
Senti um certo tesão no ar, tanto por minha parte quanto da parte dela.
Sentei no sofá e ela ficava pulando foi louca, sentava em cima de mim, me beijava – estava eufórica, não sabia o que fazer. Senti que ela estava tramando algo, e seja o que acontecesse eu ia até o final.
As brincadeiras de sentar no meu colo, ou passar a mão nela estavam mais explicitas e eu estava “brincando com ela”.
Certa hora, ela parou na minha frente, e disse o que eu achava dela.
– Te acho deliciosamente linda.
O sorriso saiu do rosto dela, ela ficou com uma cara muito séria, que confesso que fiquei assustado.
Sem falar nada ela partiu pra cima de mim e começou a me beijar
Caramba, ela beijava muito bem
Não resisti e tirei a camiseta dela. A safada estava sem sutiã, dei uma bela olhada e cai de boca.
Ela começava a gemer igual a minha namorada.
Deitei ela no sofá e comecei a beijar a chupar aquele corpo inteiro
Quando tirei o shorts ela, ela estava usando uma calcinha (uma micro calcinha) que me deixou louco.
Pensei: é agora que eu vou meter nessa ninfetinha e fazer todas as posições que eu fazia com a irmã dela
Quando estava tirando a calcinha dela, ela levantou, pegou as roupas de subiu as escadas correndo.
Fiquei sem entender. Pensei: fiz merda. Agora ela vai contar pra irmã e eu to fudido.
Estava me preparando para ir embora quando escuto barulho de chuveiro, mas o barulho estava mais alto que o normal.
Subi as escadas bem devagar pra ver o que estava acontecendo, quando vejo algo inacreditável.
Ela estava tomando banho, e a porta estava totalmente aberta.
Só dava pra ver a silhueta dela pelo box do chuveiro.
Quando ela terminou de tomar banho, que abriu a porta do box, ela teve uma surpresa. Estava eu totalmente pelado, segurando a toalha pra ela.
Ela fez uma cara de assustada, que se transformou numa cara de surpresa e finalmente, um lindo sorriso.
Abracei ela com a toalha, peguei ela no colo e levei ela pra cama dela.
Deitei ela de barriga pra cima, abrir as penas e cai de boca naquela buceta linda.
Cada linguada que eu dava, ela gemia, e pedia pra eu fuder ela
-Me fode, me fode assim como você fode a Ne (irmã dela)
Peguei meu pinto e fiquei pincelando aquela bucetinha deliciosa
E ela gemia e pedia
-Me fode, me fode…
Enfiei com tudo dentro dela e comecei a bombar forte e rápido
Nossa, ela se torcia toda, gemia alto, pedia pra meter forte, pra fuder forte.
Quando eu virei ela, e a deixei de quatro, ela disse pra fuder gostoso a minha cunhadinha.
Comecei a meter na buceta, enquanto alaciava o cuzinho com meu dedao.
Não aguentei mais e comecei a meter naquele cuzinho delicioso, até que não aguentei e gozei dentro, enchendo o cu dela de porra.
Acabei deitando no chão e ela veio deitar comigo.
Nos recuperamos, tomamos um banho e dei outra trepada, desta vez na cama da irmã
Durante dois anos, ela se tornou a minha amante, pois sempre que tinha uma oportunidade, dava uma metidinha nela.
Aos 14 anos, ela ficou gravida de um maluco perto da casa dela, e acabou casando.
Nunca mais comi aquele corpinho delicioso, mas nos dois anos que ela era minha amante, ela sempre dava uma descidinha pra dar uma olha eu fudendo a irmã dela.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 7 votos)
Loading...