# #

Perdi a virgindade com a mana

950 palavras | 2 |4.44

meu nome e Roger e tinha 17 anos e virgem, minha irmã tinha 14 anos e também virgem. Tínhamos discussões como todos os irmãos, mas sempre vivíamos grudados. Minha irmã não tinha vergonha de andar com roupas íntimas perto de mim, nem dava mais bola para ela. Ficava as tardes só eu e ela em casa, como era verão eu ficava sem camisa e de short, e ela de sutiã e calcinha. Um dia estava na banheira e pensava em me masturbar enquanto minha irmã estava na internet no quarto. Sentado na banheira com o pau submerso, alisava ele e pensava em alguma mulher das revistas. De repente tive que interromper minha intimidade, pois minha irmã entra no banheiro para fazer xixi, levo um susto e paro com tudo, minha irmã com uma calcinha transparente, que noto um pouco de pelo que escurece a calcinha. Baixa a calcinha na minha frente e inicia sua necessidade. Continuo sem dar a mínima pra ela, até ela pedir pra entrar na banheira comigo, digo que não e ela pergunta, porque não. Dou várias desculpas, até que digo que estou pelado para ela desistir. Ela ri um pouco e diz que ela fica no lado inverso da banheira, tira o sutiã e entra. Com medo que ela note que estou de pau duro, fico imóvel dentro d’agua, enquanto ela já vai entrando. Depois de se ajeitar do outro lado da banheira, ela pede para eu alcançar o shampoo que esta próximo de mim, como não podia me mexer para não ser notada minha ereção, deixo para ela mesma pegar o shampoo, com os seios perto da minha cara, viro o rosto para não toca-los. Coloca uma das mãos no meu peito e quando vai voltar para seu lugar a mão escorrega e toca no meu pau duro e se espanta por que ele estava assim tão duro, não me vem uma resposta que seja sensata, então sou obrigado a dizer que antes dela entrar estava fazendo um carinho nele, e ela pede para ver, pois nunca tinha visto um pinto ao vivo. Depois de implorar tanto dou uma levantada rápida e mostro só a metade para ela, ela chega mais perto para ver melhor e eu levanto mais um pouco, agora ela pede para toca-lo para sentir como é. Digo que toca-lo não ia deixar, ela senta ao meu lado e pede novamente, mas não deixo, então ela mesma pega sem minha permissão. O pau da uma vibrada em baixo d’agua e ela não solta, coloco minha mão na dela para soltar do meu pau, assim segurando sua mão fizemos um breve movimento de punheta. Antes de tirar minha mão de cima da dela, sem dizer nada ensino o movimento a ela. Solto sua mão e deixo ela me masturbar, como tinha muita espuma na água, ela não percebe que eu estava gozando. Mas ela não para, o pau da aquela amolecida natural depois do gozo e ela diz que esta amolecendo, então digo para ela continuar que ele enderece de novo. Cheio de tesão com os carinhos dela, o pau aos poucos volta a vida. Sento na borda da banheira para ela ver como tinha deixado meu pau duro novamente. Faço ela levantar e retiro sua calcinha para eu fazer um carinho nela também. Com a cabeça do meu pau, fico passando nos lábios da bucetinha dela, que pede cuidado para eu não empurrar pra dentro dela. Realmente não era minha intenção comer minha irmãzinha. Ela dizendo que tava muito bom sentir meus carinhos, com a proximidade do seu gozou ela começa a esfregar a bucetinha no meu pau, deixo ela fazer sozinha e coloco as duas mãos na bundinha dela. Ela anuncia que já vai gozar, goza e não para de rebolar na cabeça do meu pau. Aos poucos vou puxando sua bucetinha em direção do meu pau, quando o pau entra a metade, faço ela sentar nele de uma vez só, ela estava gostando tanto que só deu um gritinho muito baixinho e continuou subindo e descendo. Sai de dentro dela e fui para traz dela, eu estava muito excitado mas longe de gozar, fiz ela gozar mais duas vezes até encher a bucetinha dela de porra. Quando paramos, joguei uma aguinha na sua bucetinha para limpar um pouquinho de sangue que ainda saia dela, ela nem ficou sabendo que tinha saído um pouco de sangue, a noite ela veio para meu para usar o computador, rimos muito quando dissemos que tínhamos perdido a virgindade juntos, e comi ela até as 2h da manhã. Comia ela todos os dias e gozava dentro dela, depois descobrimos que ela podia engravidar e ensinei ela a chupar meu pau. Sempre que comia ela, tirava o pau de dentro e dava para ela mamar. Mesmo depois de ela aparecer de namorado, em casa ela era minha. Nossos pais mandavam nós dormir juntos sempre que ela trazia o namorado para dormir aqui em casa. Era uma festa todas as noites. Agora to investindo no cuzinho dela, já gozei na portinha dele mas ainda não penetrei. Quando isto acontecer vou relatar também. Mostrei este conto para ela, que excitada mostrou sua bucetinha pra mim e disse que vai dar a bundinha para mim desde que eu mostre o conto para ela. Marcamos que no próximo feriado de 3 dias ela daria seu cuzinho. Aguardem.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,44 de 9 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder natanael ID:5wargebwgjzz

    Tá gostoso o conto mais tá sem paixão pela escrita muito mecanico

  • Responder Anônimo ID:e9q2i8d9dl

    Quero trocar fotos e videos de nudes de novinhas e coroas.
    [email protected]