Como aprendi a não confiar

Sou Lívia, tenho 26 anos, sou morena clara, cabelos compridos e castanhos, não sou nenhuma musa de academia mais tenho um corpo bem dividido, seios médios, quadris fartos e coxas grossas.
O conto que vou contar aconteceu comigo quando eu tinha 16 anos e estava cursando o 3° ano do ensino médio, e no colégio existia um projeto que incentivava os alunos a conhecer mais a(s) profissão que desejasse seguir.
Assim sendo, marquei uma visita em uma clínica onde costumava a fazer consultas clinica de rotina, pois pretendia ser médica.
Quando cheguei já no final da tarde, horário que julguei ter menos movimento, o que facilitaria a entrevista que pretendia fazer ao médico, a secretaria estava de saída, pois, eu era a ultima paciente, me deixando avisada que o médico me atenderia em breve, e foi o que realmente aconteceu, logo não me incomodei.
Quando entrei no consultório fui avisando que não pretendia atendimento e sim saber detalhes sobre o dia a dia da profissão, no decorrer da entrevista observei que o médico estava um pouco agitado, então o perguntei se estava o incomodando, ao me dizer que não me pediu um instante pra avisar a um outro colega que estava o esperando que estava ocupado ainda..
enfim, quando voltou me perguntou se eu me incomodava, desse tal amigo esperasse no consultório já que só estavam os dois na clínica e o porteiro, falou tbm que ele até poderia contribuir com minha pesquisa pois também era médico, gostei da ideia e dei continuidade a entrevista..
quando achei que já tinha todas as resposta agradeci aos médicos pela gentileza e me despedi..
eles se entre olharam e deram um sorriso malicioso que só entendi quando percebi que a porta do consultório estava trancada..
eles começaram a me perguntar coisa estranhas que não entendia devido a minha ingenuidade e falta de experiencia no assunto, foi quando um deles perdeu a paciência dizendo: “você estava me fazendo de ingenua, no mundo de hoje todas as novinhas já se perdem cedo e você é uma perdida tbm… prende nos dois aqui mais de 2 horas e acha que vai sair sem nos dá uma recompensa..” foi quando o outro disse ” isso mesmo, vamos dar um trato nessa novinha, já que minha mulher nunca vai acreditar que estava no consultório até essa hora..”
então o primeiro veio até a mim e rasgou a minha camiseta e logou fiquei com meus seios a mostra.. entumescidos pelo medo.
comecei a gritar e pra minha sorte (na verdade azar) o porteiro abre a porta (provavelmente tinha a chave) e quando ver aqui pergunta: ” me deixa participar dessa vez, doutor” e um deles responde ” por enquanto vou deixar você olhar..”
o segundo veio com uma injeção que me deixou meio mole, mas ainda assim podia ver tudo o que acontecia.. então o que havia rasgado a minha camiseta foi tirando a minha saia e eu já não tinha forças para oferecer resistência então logo estava eu na mesa do consultório só de calcinha..
uma calcinha rosa bebê que o havia me dado a injeção disse que queria guardar aquela preciosidade na sua coleção…
implorei para que eles parassem pois eu era virgem, de todas as formas e queria me guardar pra um homem especial.
foi ai que um deles gritou, ” olha só que sorte a sua, o homem especial acabou de chegar…”
então começou a chupar minha buceta e o outro a chupar meus seios, acho na tentativa de me deixar afim de participar daquilo, mas foi em vão… então o que tava chupando minha xota me deu um tapa forte no rosto e falou ” já que você não quer se satisfazer, vai satisfazer nos três de todas as maneiras..”
então enfiou contudo seu pau na minha xota, era grande, pelo menos desproporcional ao meu buraquinho virgem, na mesma hora da sua primeira estocada brutal senti meu sangue escorrer, quando olhei vi sua calca branca, que nem havia tirado, suja com meu sangue..
levei mais dois tapas, um em cada face do rosto, seguido de um esbravejo ” a putinha era virgem mesmo, como vou explicar isso a minha mulher…
foi quando o outro respondeu ” ela vai nos pagar..” eu não entendia onde estava a minha culpa de estar sendo abusada por pessoas que me transmitiam confiança..
enfim..
daí em diante o pesadelo foi completo.. o que entrou primeiro continuou com toda força na minha xota enquanto os outros dois batiam uma olhando aquilo.. então o segundo que tinha o pau ainda mais grosso falou ” vamos dividir essa xota “, então p primeiro me pegou no colo, sem pirar o pau da minha xota e deitou na mesa me deixando com a bunda pra cim… foi quando o segundo entrou… na minha xoto e ficaram ali por não sei quanto tempo, mas setia aquelas duas toras na minha xota me rasgando…
os dois gozaram lá dentro e então sairam..
estava em com a xota toda arrombada e alagada.. o terceiro então disse que se os dois ficarm com minha xota enquanto tava fechadinha que ele ia meter no meu cuzinho…
quando ele foi forcando a entrada vi que o meu pesadelo tava só começando, ele não tinha o pau normal era imenso e quando terminou de forçar a entrada vi que dessa vez a quantidade de sangue era muito maior e escorria até o chão ele metia com muita força, e gozou pouco depois, mas muito e eu estava indundada com mais porra ainda.. quando achei que tivessem acabado.. mas me enganei.. pouco depois ele já estavam animados e recomeçaram tudo novamente mas eu já não mais suportava e desmaiei…
quando acordei estava jogada em um beco nua…
fiquei desesperada quando constatei passando a mão entre as pernas movida pela dor insuportável, que tudo o que eu rezava pra ter sido um pesadelo aconteceu…
morrendo de medo tentei ver se havia possibilidade de saber onde estava pra tentar voltar pra casa, afinal era o que me restava nua no meio da rua..
a julgar pelo movimento devia ser madrugada já..
então tentei me cobri com pude e sai andando pela rua … depois de caminhar por mais de 20 mim tropecei sem querer num morador de rua que quando me viu naquele estado ficou louco.. e foi logo acordando o restante que dormia próximo a ele..
e lá estava eu rodeada por mais 4 homens imundos e fedorentos que recomeçaram então o meu pesadelo…
desculpem mais não tenho mais condições de continuar.. pois a situação dali em diate fora ainda pior.. posso voltar em uma outra ocasião com mais forças..

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 3 votos)
Loading...