# #

Moças do serviço

1444 palavras | 0 |4.00

Meu nome é Rogério, solteiro, tenho 31 anos e trabalho no escritório, com mais 11 pessoas e meu chefe, e também duas moças, uma tinha 22 anos e a outra tinha 27 anos, que limpam, fazem café e organizam as coisas. Quando chegava fim de semana todos falavam o iriam fazer na folga. No serviço tinha mulheres muito interessantes que ninguém tinha olhos para as duas moças. Tem um rio que gosto muito de ir, água limpa, calma e com uma mata natural preservada, vou com amigos, só que apesar do calor não tinha ninguém para me acompanhar. Então disse aos colegas que não iria, e a moça mais nova se convidou para fazer companhia pra mim e ia convidar sua amiga para ir junto. Sua amiga relutou um pouco mas concordou, desde que voltássemos antes das 19:00 horas, que seu namorado trabalhava no sábado até esta hora. Organizamos nosso lanche e barraca com cadeiras e tudo mais. Chegamos as 8:20 da manhã, as moças só pensando em se bronzear e eu querendo ficar na água. Quando elas tiraram suas roupas e mostraram os biquínis com todo o corpo a mostra, levei um susto, como eram gostosas e ninguém tinha percebido. Dei um assovio de elogio a elas, que riram demostrando terem gostado, falei que ia pedir para meu chefe de exigir que elas trabalhassem de biquíni. Disse que o protetor solar eu colocaria, a moça mais nova estava mais soltinha e disse que podia passar a hora que quisesse. A outra mais recatada ria e observava. Falei brincando mas não toquei nas meninas, não sou muito atiradinho. A moça mais nova tinha os peitos muito gostosos, e a mais velha tinha uma bunda de dar inveja a muitas mulheres, fiquei olhando e desejando aquelas mulheres. Estava sentado olhando elas passarem protetor uma na outra, a nova passou na bunda da outra me olhando e rindo, massageando e me mostrando a bunda da amiga. Na vez da outra disse para ela se cobrar e fazer a mesma coisa, na hora de estender o lençol e pela posição do sol, ficaram de bunda viradas para eu vislumbrar. Tava adorando mas tive que ir para água para não ficar de pau duro na frente delas. A água gelada deu uma controlada na minha excitação, pude voltar para junto delas. Percebi que elas cochichavam antes de eu chegar, não escutei nada, estavam rindo para mim, a assanhadinha da mais nova disse que precisavam colocar mais protetor e estavam com as mãos com areia e me aguardava para fazer este favor. Sequei as mãos e comecei a passar, primeiro na nova, que estava mais próxima, passei nas costas e ela disse que homem passava melhor que mulher, fui para a bunda dela, meio envergonhado passava muito de leve, ela reclamou que era pra passar direito, então fui descendo até entre as coxas e a bunda, a outra nos olhando não dizia nada, então passei para a mais velha que aguardava meus préstimos. Enchi as mãos de protetor e também iniciei pelas costas, tava gostoso de mais, chegou a hora da bunda mais gostosa da empresa, me deliciei naquelas nádegas, a mais nova me instruía como devia passar, dizendo que era um privilegiado de estar com duas gatas pra se divertir, o pau estava durão e disse que ia para a barraca pra sair do sol, mas era pra não deixar elas perceberem minha dureza. A mais nova e mais ligada nas coisas percebeu e entrou na barraca dizendo procurar os óculos, mas era para ver meu pau duro. Deitado de barriga para cima, não quis esconder o pau para ver o que ela ia fazer ou dizer. Pegou sua mochila e colocou ao meu lado para procurar os óculos, eu estava de olhos fechados e ela procurando, do nada coloca a mão no meu pau e diz que não esta achando, tira o pau pra fora e fica alisando uns instantes e vai para junto da amiga. Fica uns minutos na rua e volta com a amiga dizendo que trouxe ela para ajudar a procurar os óculos. Eu ainda de pau duro mas agora dentro da sunga, uma de cada lado de mim e eu de olhos fechados para tentar amolecer o pau. Sempre a mais nova, agarra meu pau e pede para a outra ajudar a procurar, tira o pau novamente pra fora e mostra pra outra pedindo para ela ajuda-la a procurar, timidamente ela também agarra meu pau e simula uma punheta, a mais nova coloca o pau na boca, a outra chama ela de putinha, a mais nova oferece o pau para ela chupar também, ela recusa dizendo que não chupa, ela insiste mais um pouco mas a outra reafirma que não. Solto o sutiã da mais nova, que parece nem perceber, acaricio os peitos e levanto o corpo para suga-los. Deito a mais velha ao meu lado e confesso que tive que suar um pouco para tirar seu sutiã também, chupo seu pequenos peitinhos e a outa completamente pelada e ajudando a desamarrar a parte de baixo do biquíni da mais velha. Todos agora pelados, e a mais nova senta no meu pau e cavalga nele, sai de cima e quase numa ditadura, obriga a outra fazer o mesmo, quando ela sai de cima de mim, coloco ela deitadas e chupo as bucetinhas dela, ora uma, ora outra, a mais velha goza primeiro, em seguida a outra goza também. Como não tinha pensado em transar com ela, não tinha levado nenhuma camisinha e nem elas, a mais nova queria que gozasse na boca delas, e a mais velha disse que não curtia esperma na boca, e disse que deixaria um pouco pra colocar no cuzinho dela, ela disse que só tinha dado o cuzinho para o namorado. A novinha disse que estávamos combinado então, ela chupava e a mais velha levava no rabinho, enquanto uma chupava, eu ia fazendo um carinho no cuzinho da outra. A nova cansou de chupar, virei a bunda da outra pra mim e apontei o pau naquele tunelzinho, com poucos movimentos gozei no cu dela. Fomos para o rio para nos limpar para comer alguma coisa. Resolvemos entrar na barraca para descansar um pouco, como a barraca era de 3 lugares, ficamos agarradinhos conversando e nos beijando, mãos por todo o corpo uns dos outros, e a mais nova disse que iam fazer eu nunca esquecer delas e de levar sempre que viesse no rio, convidar elas. Isto ela nem precisava dizer. Fomos nos banhar um pouco mais e no calor dos toques dentro do rio, sugeri comer o cuzinho de quem não deu e ser chupado por quem não chupou, elas concordaram me dar mais esta alegria, voltamos para a barraca, nos pelamos como um raio e passamos a nos chupar por todo o corpo, dei o pau para a mais velha, e chupava a buceta da mais nova e enfiava o dedinho no cu dela. Quando o pau estava no grau máximo de dureza, virei a bunda da mais nova para penetrá-la, demorou um pouco para o pau entrar, e quando ele estava entrando, gozei no meio do caminho, deixando a penetração mais fácil, deis uma bombadas e cai para o lado exausto e a mais nova dizendo que estava ardidinha, mas que da próxima vez ia querer novamente levar na bundinha. A mais velha disse que ia querer provar meu leitinho também. Fomos várias vezes para o rio, uma vez tivemos que levar o namorado da mais velha para não dar na vista. Dissemos a ele que eu era o namorado da mais nova. Levei ela para um lugar afastado e comi sua bundinha, que passou amar um caralho no cu. Depois de ficar sozinha com a amiga e eu ir com o namorado da outra buscar uma caipirinha, quando estava sozinho com a mais nova, ela me confessou que sua amiga queria me chupar e tinha que fazer durante a semana, quando teríamos tempo. Ficamos os três na firma no intervalo do almoço e a mais nova ficou só olhando, a mais velha chupando todo meu leitinho, me deixando de pernas mole. Foi a época mais feliz da minha vida, ninguém no escritório ficou sabendo e até hoje sinto falta daquelas mocinhas.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 4 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos