# #

A verdade sobre minha primeira vez

1777 palavras | 2 |4.00

Olá gente, sou a Juliana, tenho 16 anos e hoje eu vim para vocês contar a completa verdade. Vejo muitas vezes nesse site contos absurdos que já está na cara que são mentira. Esse é o primeiro conto que coloco e não terá um fato que não tenha acontecido.
Então, vamos lá!
Sinceramente? Odeio meu corpo, odeio meu rosto e não me acho uma pessoa bonita, mesmo que muita gente diga que sou seu também que existe muita gente que não acha.
Sou morena; 1,65 , cabelo longo e cacheado… Quase na bunda, tenho seios e bunda pequenos, o que todos dizem ser compatíveis com meu corpo já que sou magra (não ao extremo). Tenho 53 kg.
Então, sempre fui meio “safadinha” mas muito devagar
Quando tinha de 12 para 13 anos ficava muito tempo sozinha em casa já que meus país trabalhavam e meu irmão estudava de amanhã. Comecei a assistir filmes pornôs e me masturbar. Queria parar e não conseguia, cheguei a um ponto em que eu enlouquecia e me masturbava penetrando objetos e pior, cenouras ou até mesmo PEPINOS. Nessa época todos as minhas amigas já ficavam, umas namoravam e tal e eu bv, morria de vergonha disso então comecei a falar que já não era mais. Muitos meninos pediam para ficar comigo mas, eu tinha vergonha e medo de beijar mal e estragar tudo.
Quando eu tinha 14 anos, uma garota da sala aonde eu estudava começou a namorar um garoto. Essa menina, Flavia, e eu nunca fomos GRANDES amigas mas, nos falávamos muito bem na escola, no facebook e fazíamos trabalho de escola em grupos juntas. Nos dávamos bem.
Quando ela tinha 16 anos começou a namorar um garoto de 14 e para falar a verdade, na relação era ele que parecia ter 16. Ele era alto e malhava, branco e cabelo bem castanho enquanto ela era menor que eu e bem mais magra. Uma certa vez, mais ou menos uma semana depois de ter visto o Bruno pela primeira vez ele me chamou e me pediu ajuda para fazer uma festa surpresa para ela, ela nos viu conversando e ficou morrendo de ciúmes ainda mais pq ele não disse o que era. E assim foi e isso se tornou um inferno eles iam se aproximando mais e ela começou a proibir ele de falar comigo pois tínhamos virado grandes amigos e ela não curtia a ideia.Comecei a me apaixonar por ele, como a Flávia nunca saia de casa pois os país não deixavam sempre encontrava sem querer ele aqui pelo bairro já que ele mora em um bairro vizinho e ele sempre brincalhão começou a me roubar selinhos, e eu ficava me mega feliz por isso e minhas amigas ficavam colocando pilha para ficarmos mas eu sempre fugia do assunto. A Flávia me odeia cada vez mais, mesmo não sabendo dos nossos encontros acidentais muito menos dos selinhos e ele muito pau mandado foi me excluindo e bloqueando de redes sociais e sempre aparecia escondido aqui em casa, e eu ja estava apaixonada por ele, muito apaixonada ficava chorando e rezando a noite o desejando para mim e ele cada vez mais apaixonado por ela. Entao, ela o traiu, e eu sabia disso pois o garoto que fixou com ela era meu amigo. Para falar aa verdade ela nunca gostou do Bruno sempre foi desse outro. Contei isso para ele, ela foi tirar satisfações e ela desmentiu ele acreditou e nunca mais falou comigo. Uns 5 meses depois sai da escola que estudava por não tem ensino médio e fui para outra e a maioria das pessoas da minha antiga sala também foram para essa escola e o Bruno foi também mesmo ainda muito apaixonada por ele comecei a deixar ele de lado. Não conseguia, fazia de tudo para chamar a atenção dele e comecei a ficar muito amiga de um menino que era amigo ele e comecei a me envolver com esse menino, o Lucas, até que finalmente fiquei com o Lucas e estava gostando dele mas não tirava o Bruno da cabeça e do nada o Bruno terminou com a Flávia e se aproximou de mim novamente já que o Lucas era amigo dele e ficávamos bastante tempo juntos só que o Bruno e a Flávia terminavam e voltavam toda a hora até que um dia, encontrei o Bruno sozinho a noite pelo meu bairro e viemos conversando até a minha rua, quando fui me despedir ele me agarrou e me beijou. Me senti realizada. Sempre quis ficar com ele e finalmente consegui e não queria que ele voltasse com a Flávia nessa altura então no meio da brincadeira disse que foi um erro que ele voltaria com ela e eu teria sido usada e ele me disse que não voltaria então falei
– Duvido, se não voltr com ela eu dou para você.
E ele respondeu
-OK, promete? Trato é trato!

Essa promessa foi sendo cobrada e eu fiquei exitando. Ele ficava com outras e eu com outros e ficávamos juntos também até que começamos a ficar com mais frequência até que uma vez ele veio aqui em casa e não tinha ninguém fiquei com medo mas o deixei entrar ficamos e no calor do momento ele cobrou a promessa e eu resolvi pedir uma troca, ao invés de uma transa um boquete e assim foi feito meu primeiro boquete
Um tempo depois , uns dois meses, já fazia muito tempo que eu não o via e ele apareceu aqui em casa com uma amiga nossa. Era noite e estava escuro não tinha ninguém em casa, ficamos assistindo filmes até que no meio das nossas brincadeiras a minha amiga começou a dar selinhos nele e em mim, fui fingindo desinteresse mas acabei ficando com ele estavamos os teria falando várias bobeiras até que no nada eu gritei uma coisa que era extremamente verdade
-Nossa eu já estou toda molhada.
Aquilo deixou ele louco, estavamos tapados cada um com uma coberta e ele veio para debaixo da minha começou a tentar me de dar eu evifei por um tempo mas depois acabei deixando e aquilo foi me deixando bem evitada até que ele virou no meu ouvido e falou:
– Vamos para o seu quarto?
Aceitei e subimos chegando lá as coisas foram ficando mais quentes e aí outro boquete. Para falar a verdade nunca fui boa de boquete até hoje eu sou muito desastrada mas, naquele dia eu senti que fui bem.
Depois disso minha amiga e ele foram embora e tomei um banho quando sai e peguei meu celular vi que tinha mensagem do Bruno
“Você foi bem hoje mas acho isso injusto, só eu ganho? Amanhã quem faz o oral sou eu”
E eu fiquei pasma na hora em que li, fiquei nervosa e não queria. Sou muito insegura com meu corpo e não queria aquilo assim do nada mas, ele estava pronto e certo do que estava falando. No outro dia a tarde ele chegou lá, eu estava nervosa então tentei conversar mas ele já foi me pegando no colo e subindo a escada e eu me deixei aceitar aquilo, ele foi tirando a roupa e começou o oral… Começou a chupar meus peitos e fez isso bem.
Eu tinha feito 16 anos a pouco tempo, isso faz nove meses, foi nas férias em Janeiro e ele também tinha 16, ambos éramos virgens e ele era um grande galinha já tinha pego a maior parte das meninas da escola e mesmo assim eu fui a única quem pagou um boquete para ele, várias meninas já quiseram mas na hora elas mudavam de ideia oi eram tão assanhadas que ele mesmo disse ter perdido o tesão.
Enfim.
Ele foi chupando os meus peitos bem, mas não perfeitamente. As vezes fazia isso com muita força mas, mesmo assim estava me despertando algo muito bom foi descendo com beijos até chegar em minha vagina e chegando lá ele abocanhou e começou o oral… Fez isso bem, estava se esforçando, dava para ver. Estava sem jeito assim como eu fazia boquete, ainda não estava familiarizado mas continuou depois de bastante tempo lá ele estava editado, dava para ver, eu vemia loucamente de tesão e tambem queria deixar aquilo mais no clima foi quando ele olhou para o meu rosto e no olhar dele eu já sabia o que ele queria, transar. Eu estava exitada e acabei aceitando, concordei com um sorriso e ele me respondeu com outro, ele subiu e tirou a roupa então, começou a acariacar e me beijar me sentou e me colocou para um boquete para que o pênis ficasse mais molhado e fomos deitar. Ele ficou por cima de mim e começou a tentar penetrar e não dava certo eu eu fui e direcionou com a mão então ficou na entrada e ele começou a forçar. PUTAQUEPARIU aquilo doeu, entrou rasgando e eu só gritava, tentando gritar baixinho enquanto ele tentava ficar mais a vontade dentro de mim. E fomos, ele começou a meter mais rápido e mais forte e eu nada de prazer só dor e depois de um tempo decidimos trocar a posição papai-mamae e ele me colocou de quatro na cama e eu quase morri de vergonha devido estar tão exposta mas fui. Nossa, a penetracao foi mais doida ainda eu só escutava o barulho do saco dele batendo na minha bunda e aquilo me dava uma aflição mas eu estava começando a gostar. Doía e eu sentia o pênis dele no meu útero aquilo doia e tentamos várias posições eu via no rosto dele e sentia que aquela transa não estava boa, tentei rebolar no pinto dele mas estavamos muito suados trancados naquele quarto ja que o ventilador estava fraco pois estava meio defeituoso e o calor do Rio de Janeiro nem sempre é bom e entao decidi fingir que estava muito cansada e pedi para ele parar que já não aguentava mais fui tomar um banho enquanto ele assistia TV e depois fomos assistir filmes e conversar kkkkkkkkkkkkk
Então, não foi erotico eu sei mas, foi a verdade sobre a minha primeira transa (:

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 3 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Marcelo ID:8eezg01kv0

    Oi Juliana, adorei seu conto! 🙂 Honesto e Sincero, você parece ser uma menina daora. Beijos

  • Responder Augusto ID:2xbuy5nnv9a

    delicia…. adciona (62) 9284-5221