Vendedoras de pastéis

Me chamo Juares, tenho 35 anos, separado e sem filho. Estava vinda da casa de um amigo da minha rua, quando 2 meninas me abordaram para me vender pães e salgados. As meninas tinham aparentemente !5 e 16 anos. Como vinha da casa do meu amigo não tinha levado dinheiro. Perguntei quanto era e quem tinha feito, elas responderam que os salgados eram 2 reais e os pães eram 4 reais, disse que queria um salgado, a mais nova se abaixou para procurar na sacola, seus peitinhos apareceram para mim, não encontrou e disse que só tinha doces, pedi para procurar melhor para eu poder ver mais um pouco, realmente não tinha mais nenhum salgado, insistiram para eu comprar para ajudar, pois estava muito quente e elas vinham de longe. No caminho até minha casa pensei em ajuda-las, compraria um doce mesmo, ou melhor 2 doces. Deixei elas esperando na frente da casa e fui buscar a carteira, tinha somente duas notas de 20 reais e uma de 5, dei uma nota de 5 reais e elas não tinham troco, disse que podiam ficar com o troco. A menina mais velha pediu para usar o banheiro, mandei ela entrar. Juro que não pensava em sexo com ele, foi então que ela já dentro de casa, fez a proposta de transar comigo por uma das minhas notas de 20 reais, perguntei; o que você disse. Ela disse que precisava realmente de dinheiro e por 20 reais ela me daria aqui no banheiro. Aceitei com o pau duro, coloquei ela encostada na pia, levantei a saia e baixei a calcinha, coloquei os dedos na bucetinha e massageei um pouco, com a caminhada e o calor percebi um cheiro não muito agradável, não quis chupar apesar de amar, direcionei o pau na entradinha e empurrei pra dentro, dei várias estocadas e ela gozou, quando foi minha vez de gozar tirei o pau de dentro e ela terminou com uma punheta dentro do vaso. Perguntei por sua irmã, ela me disse que sua irmã seria 50 reais porque era virgem. Aceitei logo, pois nunca tinha tirado a virgindade de ninguém, e por 20 reais nunca mais aparecia outra proposta igual. Mas eu não tinha, pensei em pedir para meu amigo, enquanto elas tentavam vender mais alguns de seus produtos, e saímos um em cada direção. Meu amigo queria saber para que precisava do dinheiro, inventei qualquer coisa e fui para casa. Tomei um banho de pau duro, mas não quis bater punheta pra não estragar a transa. Passou mais de uma hora e já tinha desistido de esperar, quando vou até a frente para olhar, encontro as duas tratando os últimos detalhes, a mais velha assistiria para dar segurança para a mais nova. Entramos e fui passando a mão uma em cada bunda, coloquei a tampa no vaso e pus a mais nova de pernas abertas para mim, passei os dedos e depois nesta virgem coloquei a boca, suguei bem e deixei pronta para receber meu pau. A outra só pedia para eu ir com calma e delicadeza. Coloquei ela encostada na pia como a irmã e fui empurrando até a metade. Quando ela estava gozando empurrei tudo e continuei metendo, eu não queria parar sem gozar, ela gozou a segunda vez, ai sim relaxou um pouco, antes de eu gozar pedia a que olhava, para tomar meu leitinho pelos últimos 20 reais da carteira, ela disse que aceitava. Nos últimos segundos tirei o pau e já coloquei na boca da mais velha, que chupou sem eu ter que explicar como queria. Deixei alas tomarem banho e recebi elas com um refrigerante e o dinheiro em cima da mesa. Fiz outro pedido, quando estivessem por perto, aparecerem pra receber outra ajuda.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 2 votos)
Loading...