Queria leitinho

Meu nome é Mara, o que aconteceu quando tinha 14 anos mudou minha vida. Era muito assanhadinha e curiosa, olhei um DVD do meu irmão que tinha 20 anos e vi uma mulher com um pinto na boca e após chupar, saiu um liquido branco e ela engoliu todo, se deliciando com aquilo que saiu do pinto do homem, seguiam outras cenas e as outras mulheres faziam a mesma coisa com outros homens. Sem conhecer nada de sexo, sabia que aquelas cenas eram de sexo. Curiosa como eu sou, pensei em fazer com meu primo de 11 anos, sabia que ele eu podia convencer a me ajudar a provar o leitinho também. Pedi para fazer com ele as mesmas coisas que tinha visto no DVD de casa. Nos fins de semana quando nos reuníamos na casa de nossa vó, levava ele para brincar nos fundos do terreno dela, baixava seu shortinho e chupava seu pauzinho, durinho e pequenino, desajeitada e sem paciência, cansava e desistia, voltava a nos reunir com os parentes e depois de levava meu priminho para os fundos e voltava a dar umas chupadinhas no seu pintinho, que estava seco de leite, não entendia como aquelas mulheres conseguiam tirar leite dos homens. Todos íamos em bora e eu fica pensando porque eu não conseguia, voltava a ver o DVD para saber porque eu não tinha sucesso, Depois de alguns dias de volta à casa de nossa vó, eu e meu priminho de volta ao fundo da casa e chupando seu pintinho e nada, repetíamos sempre que estávamos lá, e nada de sair leite dele. Até que meu primo de 19 anos nos pegou no flagra, meu priminho saiu correndo e quando quis sair também, meu primo grande me segurou para conversar o que estava fazendo com seu irmãozinho, tremia de medo que ele pudesse contar ao meu pai. Contei a ele que queria ver o leitinho do priminho, mas não conseguia tirar o leite dele. Ele riu, e disse que não era assim que se fazia, mas que poderia me ensinar se eu quisesse. Claro que queria, pensei que ele me daria umas dicas de como fazer, mas não pensava que ele me daria seu próprio pau para tirar leite. Tirou seu pau duro e muito maior para fora, me assustei com o tamanho e a aparência, era mais feio, porque era muito cabeludo, recusei, ele voltou a perguntar se eu queria o leitinho ou não. Venho aproximando de mim aquele pauzão, empurrou na direção da minha boca, virei ligeiro e ele bateu no meu rosto, disse se não fizesse com ele ia contar a minha mãe. Na segunda vez que veio, abria minha boca timidamente, agora seu pau se alojava na minha boca, fui chupando de vagarinho e aos poucos fui tomando jeito e perdendo a vergonha. Aproveitando que não olhava para o rosto do meu primo, fui chupando com mais vontade, ele colocou as duas mãos na minha cabeça e disse que o leite já estava vindo, ele gemia muito, parecia que estava sentindo uma grande dor. Saiu um jato de leite que passou direto pela minha garganta, o segundo não consegui engolir e cuspi tudo fora, saiu mais um pouco, reclamei que era ruim. Conversando com ele, me disse que a primeira vez era assim, depois eu iria gostar mais e mais. Novamente veio as cenas na minha mente, as mulheres do filme chupavam e lambiam com muito prazer e não ia nenhuma gota fora. Perto do almoço, meu primo me levou novamente para os fundos e pediu para eu tirar mais leitinho dele, e que era pra tomar todinho. Tirou o pau para fora e já fui me ajoelhando e colocando na boca, queria que desta vez achasse mais saboroso, chupei muito e ele todo o tempo gemendo. Ele expeliu seu leite, desta vez engoli quase tudo, mas ainda achava ruim, depois que parou de sair, coloquei o pau na boca de novo, chupei até amolecer. Ele elogiou minha chupada e disse que antes de irmos em bora me daria mais um pouco. Deixei ele sozinho e entrei em casa feliz por ter bebido quase todo o leite. A tarde antes de ir pra casa, chupei todo seu leitinho, mas notei que tinha saído menos que as outras vezes. Ia passar muitos dias sem ir na casa da minha vó, então meu primo ligou para eu ir na casa dele, eu queria mais leitinho, então fui no mesmo dia, agora disse a mim mesmo que ia tomar tudo. Cheguei na casa dele, que estava sozinho, tirou sua bermuda e deixou o pau aos meus cuidados, enquanto chupava ele pedia pra eu tirar minhas roupas, disse a ele que tinha vindo para tomar seu leite e ir em bora. Chupei com a tranquilidade de não ser descoberta e tomei todo o leite e lambi todo seu pau até deixa-lo limpinho, agora tinha gostado, só que fiquei com medo dele e nunca mais procurei ele. Encontrei dois vizinhos que me davam seu leitinho, um não sabia do outro é claro. Chupava eles tanto, que deixava eles sem tesão para tentar me comer. Uma semana chupei eles todos os dias, alternava um e outro, virei especialista e até hoje adoro tomar leitinho. Outro dia conto como perdi minha virgindade e com quem, sem dizer nomes, mas com uma grande surpresa. Ainda sou virgem do cuzinho e não tenho vontade de dar ele pra ninguém. Me aguarde, e muito leitinho a todas.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...