Família Incestuosa – Enteada

Sou Paulo, muitos me chamam de Paulão, tenho 1,91m de altura, 102kg e 30 anos, malhei dos 14 anos até os 26 anos e parei por causa do trabalho, sou negro, tenho 23cm e é grosso. Aos 25 anos casei com uma linda morena que conheci na academia, o nome dela é Verônica, ela é mais velha que eu, na época ela estava com 35 anos e tinha uma filha linda de 15 anos, chamada Ana Paula e eu tinha uma filha de 10 anos, chamada Evellyn, fruto de um romance de escola.

Ana Paula, ou Paulinha como chamavá-mos, era linda e gostosa como a mãe, só usava shorts curtos, tops e roupas transparentes, perdeu a virgindade aos 12 anos e dentro de casa com anuência da mãe dela, que comprou a lingerie para ela usar no dia.

Paulinha sempre me provocou, e em especial quando a mãe não estava em casa, eu sempre desconfiei que a mãe dela sabia de tudo, pois elas eram muito amigas. Um dia estava eu em casa e ela veio somente de biquíni e que biquíni, não cobria nada direito, sentou no meu colo e começou a insistir para tomarmos banho de piscina, decidi ir, mas como eu estava com a barraca armada, não queria colocar a sunga, mas ela a insistiu e eu fui, quando chego no quarto ela já tinha separado uma branca minha, quando sai a Paulinha já me esperava na porta do quarto e deu uma olhada pra minha mala. Fomos pra piscina e brincadeira vai, brincadeira vem e ela pula no meu colo e cruza as penas por trás das minhas costas, não aguentei e segurei ela pela bunda e meu pai muito duro e com certeza ela estava sentindo, pois a buceta dela estava encima e ela roçando, não aguentei e comecei beijá-lá na boca, ela retribuiu, coloquei os peito dela pra fora e caí de boca chupá do muito e ela gemia, saímos da piscina e deitamos no chão, tirei todo o biquíni e a deixei peladinha e cai de boca naquela buceta inchada, chupei muito até ela gozar na minha boca, levantei e dei pra ela mamar, ela chupá vá muito gostoso, mas antes que ela me fizesse gozar eu abri a perna dela e meti, em uma estocada só, ela gritou e eu parei, ela disse que nunca deu pra alguém com Paulo tão grande e que a mãe dela disse que ela iria adorar o meu, comecei um movimento de vai e vem de vagar, até ela acostumar e depois meti pra valer, gozá mos juntos. Depois de relaxar-mos um pouco, ela veio me beijando, meu pai subiu de novo e ela me pediu pra comer a bundinha dela, que a mãe dela disse que era muito gostoso e que eu a fazia gozar dando o cú, fiquei surpreso com as conversas das duas. Mandei ela me chupá e depois a coloquei de quatro chupe o cú dela e comecei a enfiar o meu pau, virgem aquele cú não era, pois não senti muito dificuldades para penetrar, comi muito, como tinha gozado antes, demorei a gozar e ela pedindo pra gozar logo porque já não estava mais aguentando, mandei ela ajoelhar e goze na cara dela. Entramos, tomamos banho juntos e nos vestimos e quando a Verônica chegou eu vi o sorriso que elas deram e entendi tudo. Daquele dia em diante eu tinha duas mulheres pra fuder dentro de casa, mas infelizmente eu descobri que a Verônica me traía com um moleque da academia e me separei dela, mas a minha enteada decidiu continuar a morar comigo e já fazem 3 anos que somos casados e com um relacionamento aberto, mas ela só sai com alguém se eu conhecer e deixar.

No próximo conto vou contar como transei com a minha filha e como com ela e o namorado dela.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 3 votos)
Loading...