# #

Um amigo da minha prima

858 palavras | 0 |5.00

Sou Larissa ( nome fictício) tenho 15 anos, tenho 1,63 de altura e um corpão de fazer inveja. Coxas meio grossas, peitões, cabelos pretos e longos. Então, bora pra história. Era perto de um final de semana, quando meus pais decidiram ir pra casa de uma prima nossa, fazer o aniversário do filho dela no interior do nosso estado. Eu já tava doida pra ir embora, desde que sentei no carro do meu pai pra ir, foram umas 2 horas e meia de viagem, e tava bastante calor naquele dia. Chegando lá, fiquei conhecendo a casa com a minha prima e sua amiga, até que chegasse um garoto, de uns 17 anos, olhar misterioso e simpático. Ele era um Moreno claro de uns 1,75 de altura, e tinha um sorriso e uma covinha perfeita no seu rosto. Até então ele cumprimentou minha prima e também me cumprimentou, e depois disso, já comecei a me fantasiar com aquele garoto, sem saber quem era mesmo ele. Todos que estava lá já começou a se arrumar, tomar seus banhos e aumentava o número de convidados cada 5 minutos que passava. Tratei de me arrumar, colocar uma calça Legging, uma blusa bem coladinha, que estampava bem o meu sutiã, e um salto alto, que me fez ficar linda, junto batom bem vermelho. Quando passei entre o garoto, ele me olhou com um puto desejo, e não parava de me encarar, e cada vez que eu percebia, mais eu passava. Minha prima colocou umas músicas pra todo mundo dançar, e é claro, eu dancei de um jeito que eu nunca dancei antes, pois sabia que ele tava me olhando. Depois de dançar bastante, comer bastante, começou a ficar tarde, e o sono começou a me pegar, até então eu avisei a minha prima, e ficamos sabendo que quase todos convidados iria dormir lá, pois a casa era grande e quase todos vieram de cidades distantes ( inclusive o garoto). Coloquei meu colchão na sala, do lado da minha prima, e deitei. Ela também se deitou e acabou dormindo, e aquele Deus grego, quando me viu deitada no colchão na sala, pegou um jeito de deitar bem do meu lado. (com um colchão diferente) e quando eu vi ele se deitando, troquei de roupa rápido, coloquei uma blusa larga preta, e um short de pijama rosa, bem curtinho, e me deitei. Encaradas rolavam a cada minuto, até dar as 2:00 da manhã, e o garoto jogar o celular dele no meu colchão, onde tava escrito “Me passa seu whats?” e então coloquei meu número lá, já toda cheia de tesão, sabendo que ele queria algo. A gente conversou bastante pelo whats, até que eu fiz uma brincadeirinha com ele, e ele foi logo perguntando se eu queria transar com ele. Na hora eu pensei bastante, porque até aquele dia eu era virgem. Depois de alguns minutos, ele me pediu pra que apertasse minha bunda, e eu, doida pra que ele apertasse, deixei. Ele começou devagar e depois apertou com força, e sussurrou no meu ouvido que eu era uma delícia, e deu um misto de medo de alguém acordasse, e tesão. Ele me pediu pra que abrisse as pernas, e me masturbou por alguns minutos, e aqueles minutos, foram o suficiente pra me fazer ficar toda encharcada. Pedi. Implorei pra ele, pra que eu pudesse sentar e cavalgar de roupa em cima do pau dele, mas toda hora ele negava, até me puxar pra um banheiro mais próximo, e me fazer ficar de cara-a-cara com aquele pau grosso, e grande. Ele tinha uns 19cm, e eu não pensei duas vezes, meti a boca naquela rola, que já tava toda melada. Era a primeira vez que eu chupava um pau, mas era estranho e muito gostoso, e cada vez que eu chupava, ele empurrava mais a minha cabeça e falava pra engolir tudo. Tirei a boca da rola dele, e ele se sentou em cima do vaso sanitário, e eu tirei meu short e apontei sua cabeça na entrada da minha buceta, e sentei com força, mas não teria entrado muito, apenas a cabeça, o que me fez sentir uma dor imensa, eu respirei fundo e ele segurou minha cintura, e fez pressão que em menos de 4 segundos, aquele cacete já tava tomando conta de toda a minha bucetinha virgem. Era uma dor inexplicável a cada bombada que ele fazia, e quando ele avisou que iria gozar, subi meu short e corri pro meu colchão, pois ouvi um barulho de alguém acordando. Acho que foi o medo mesmo, mas depois que ele tinha deitado, sem esperar, eu passei a mão por seu pau, que ainda estava duro, por baixo da coberta, e mamei mais uma vez, e bati uma pra ele até ele gozar tudinho na sua barriga. Foi o melhor final de semana que eu passei na minha vida, e espero que isso se repita mais vezes. Bjus!

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos