Esposa de Curitiba Queria Trair e Eu Ajudei!

Meus contos sempre me fazem conhecer novas pessoas, geralmente casais querendo aventuras.
Bom sou moreno claro 1,88m, 93 kg, 33 anos e 19cm. Recebi um e-mail de uma moça casada, Léia assim ela pediu para chamar. Léia tem 29 anos, casada a 10 anos e relacionou apenas com seu marido em sua vida, nunca havia sentido outro homem até então.
Reclamou que há alguns anos o marido não era o mesmo, perdeu interesse, não a elogiava, não dava mais carinho e não se separava,pois, tinham 1 filho de 5 anos, e a família dela é de Minas Gerais, não teria suporte familiar se separasse.
Léia, me disse no e-mail que sonhava em sentir-se amada, desejada novamente, fez de tudo para o marido até arrumou uma amiga para um menage para ele, onde ele nunca agradeceu por isso, nem mesmo se interessou em satisfazer ela, apenas a amiga.
Com a sua descrição percebi que era uma mulher carente e se duvidasse nunca havia gozado na vida, com o marido que tinha.
Conversamos bastante até deixar ela sentir que rolava afinidade entre nós. Na tarde da última sexta feira, conversando por telefone ela me falou que estava sozinha, porém não podia sair que estava esperando uma entrega.
Perguntei a ela se poderia ir em seu apartamento, ela disse você é louco aqui não dá, meu porteiro conhece meu marido e meus vizinhos também.
Perguntei se ela tinha tv a cabo, ela disse que sim, e se eu for como instalador que foi fazer a manutenção, nem o porteiro vai desconfiar nem os vizinhos, tudo no sigilo total. Neste momento ela paralisou e falou que sempre teve a fantasia de transar em sua casa com outro, e que eu teria que ir com muito sigilo, discreto, que ela avisaria o marido e o porteiro que teria que fazer manutenção que tinha perdido o sinal. Ela topou, fui imediatamente a sua casa, bem discreto, fui com uma camisa muito parecida com uma operadora de tv a cabo que tenho, chegando na portaria falei que havia feito uma reclamação da cliente e como eu estava por perto fui ver a ocorrência.
O porteiro brincou comigo, falando que devia ser por causa da chuva, que sempre os moradores reclamavam, ligou e avisou Léia, e mandou eu subir no 4º andar.
La chegando toquei a campainha, quando fui recepcionado por uma loira linda, apenas de roupão, com seus 1,68m 65 kg, com um corpo lindo, na hora pensei, como pode um marido não cuidar disso.
Nos cumprimentamos para ser discretos, entrei no apartamento e ela disse: – Você é louco mesmo, não acredito que fez isso!
Nesse momento agarrei ela dando um beijo demorado, passando a mão em seu corpo, sentindo o cheiro de sua pele e falei: Agora vou fazer a manutenção que a senhora reclamou.
Ela deu um sorriso e jogou o roupão no chão, apenas me pediu para cuidar dela e não deixar nenhuma marca em seu corpo como chupão.
Peguei ela no colo deitei em cima da mesa da sala de estar, e comecei a beija-la toda, revesava beijos, lambidas e mordiscadas que ela arrepiava, seu corpo era doce, com cheiro de creme, quando cheguei em sua bucetinha me deparei toda lisinha, que linda disse, ela falou: – me depilei para você,aproveite, você tem 1 hora comigo, deu risada.
Eu sabendo de nosso pouco tempo cai de boca, chupei ela, e estava decidido parar apenas quando ela gozasse, mesmo que não desse tempo de comer ela, mas não demorou muito,abusei de seu clitóris, massageando com a boca, coisas que aprendi com a vida, em um grito tremulo ela gozou: – Nossa, meu marido em 10 anos nunca me fez gozar na boca dele, você em quinze minutos arrancou um dos melhores gozo de minha vida, continuei lambendo, ela estava toda molhada, seu néctar esticava em minha língua, quando ela se levantou, me pediu para sentar no sofá, tirou minha calça, e caiu de boca, chupou o suficiente para deixar meu pau todo babado, veio sentando no meu colo: – Devagar que do meu marido não da metade do seu. Mas ela estava tão molhada que deslizou facilmente para dentro dela, ela subia e descia como se não fazia sexo a anos, eu apertava sua bunda gostosa, fazia ela sentar mais forte, levantei ela no colo e coloquei de quatro, entrei devagar, quando estava la dentro, soquei, ela pedia mais, soquei, dava tapa na bunda dela e socava, pediu para chamar ela de putinha e prometer que seria seu comedor: – Putinha, vadia, queria dar para outro, agora aguenta, vou te deixar arrombada, e soquei, quando anunciei o gozo por causa de nosso tempo, ela virou e esporrei em sua cara, espirrando em seus peitos, limpou meu pau, e falou que queria mais, mas o tempo era curto, nos beijamos, ela colocou o roupão de novo, pediu para eu ir, quando fui sair ela me deu um beijo, falando que queria mais, que ia me procurar com mais tempo, nesta hora nos beijamos novamente, passei a mão em sua bunda e fiquei de pau duro de novo, virei ela de costa, ela disse não você tem que ir, quando entrei em seu corpo novamente, ela estava encostada na porta, não podia gemer alto,pois, se alguém estivesse no corredor poderia ouvir, ela arrebitou bem a bunda, falando que eu era um comedor safado, soquei de novo, mas desta vez teve que ser bem rapidinho para não complicar, deixei ela com minha porra escorrendo nas pernas: – Estou acabada, quando tempo não levo uma socada destas, beijos lindo te procuro, mas agora você vai ter que ir.
Na saída o porteiro perguntou se consegui resolver,disse sim, tive que subir no telhado e passar uns fios deu um suador, eu estava todo suado da transa, rs.
Hoje pela manhã Léia me chamou no Watts, perguntando se podíamos sair com mais tempo, claro que sim, e me pediu para escrever sobre nossa aventura.
Bom esta ai Léia, se eu esqueci de algo, me avise, mas difícil eu ter esquecido esta loira linda que é você.
A todos que queiram curtir com sigilo, dimostrari@hotmail.com