Mesmo grávida dei para o primo do meu marido

Olá, meu nome é Kris, tenho, 25 anos. O que vou narrar aqui aconteceu há pouco mais de 8 meses. Sou casada há 3 anos. Meu esposo tem 21 anos. Um lindo moreno de olhos negros, cabelos negros, 1,77m, 73 kg. Nessa época do fato eu estava grávida de 5 meses, fruto de uma traição com o irmão do meu maridinho. Era uma tarde de sábado, estava sozinha em casa já que Jel (meu marido) estava trabalhando. Nosso relacionamento estava passando por problemas, brigávamos constantemente e há vários dias não fazíamos sexo. Ele estava dormindo no outro quarto da casa. Estava vendo TV quando alguém bate no portão. Saio para atender e me deparo com o Edvaldo, um dos primos do meu marido. Um rapaz muito simpático, 22 anos moreno e bem peludinho sempre me tratou com respeito apesar de certa vez ter o flagrado cheirando uma de minhas calcinhas (fato que nunca comentei com ninguém), algumas vezes o via olhando para as minhas pernas, principalmente quando vestia uma mini saia. Ele disse que precisava falar com o meu marido. Falei que Jel estava trabalhando e só chegaria por volta das 22h00. Por educação pedi para ele entrar, até porque não vi nenhum problema, afinal ele é da família. Sentou no sofá e me pediu água, fui até a cozinha. Na volta ele me fez vários elogios, tipo: “que eu estava uma grávida linda, continuava ainda mais sensual etc”. E que tinha a maior vontade de transar com uma mulher grávida. Achei estranho aquele comentário e apenas esbocei um tímido sorriso. Ele olhou pra mim e deu um sorrisinho sacana, mas não disse mais nada. Pediu para ver a minha barriga que estava um pouco saliente, perguntou se já sabia o sexo do bebê e foi puxando conversas. Ficamos conversando e vendo TV, em dado momento me levanto e vou até o banheiro, quando volto ele também pediu para ir, porém ao passar por trás encostou seu pau completamente duro na minha bunda e disse em meu ouvido: “Você grávida esta ainda mais gostosa”. Encaixou seu pau no reguinho de minha bunda, suas mãos acariciavam meus seios e beijava meu pescoço. Não sei o que deu em mim, pois não resisti aquelas investidas, acho que por está há vários dias sem sexo contribuiu, pois estava muito excitada. Depois de certo tempo naquela esfregação virei a de frente para ele e nos beijamos, sua língua explorava minha boca enquanto suas mãos explorava minha boceta encharcada de tesão. Ainda abraçada com ele fomos para o meu quarto, tirou minha saia e blusa. Fiquei só de calcinha, deitou-me na cama de costa, e caí de boca na buceta molhada. Eu gemia e me contorcia a cada carícia. Depois chupou meus seios explorou cada um deles com muita vontade, eles estavam durinhos que parecia que ia explodir, ele gemia baixinho e dizia palavras que não conseguia entender. Ele abriu minhas pernas e enfiou seu pau na minha bucetinha úmida bem devagarzinho até entrar tudo. Seu pau não era muito grande, um pouco maior do que o de Jel, porém grosso. Apesar de estar muito molhada doeu bastante, estava me rasgando por dentro. Aos poucos ele foi aumentando os movimentos e já fudia desesperadamente, enquanto eu gemia de tesão. Colocou-me de quatro e novamente castigou minha bucetinha. Enquanto metia na minha xoxota aproveitava os líquidos da buceta, molhava o dedo e enfiava no meu cuzinho, eu rebolava cada vez mais em seu casete. Tirou seu pau da buceta, e encostou no meu cuzinho, mas eu não permiti, não estava acostumada a levar no cu, o meu marido nunca havia tentado. Mas ele insistiu e encostou a cabeça no buraquinho e fui forçando a entrada. Gritei e mandei ele parar. Voltou a meter na minha buceta com estocadas bem fortes até eu sentir uns jatos quentes. Gozei na mesma hora em seu pau. Ele me abraçou bem forte, me chamou de putinha gostosa. Ficamos abraçados por alguns minutos sem falarmos nada. Ele voltou a chupar meus peitos, parecia um bebê quando está com muita fome. Mandou-me ficar de quatro e foi passando seu pau na entrada do meu cu. Foi forçando aos pouco, eu reclamava da dor, pedia para ele parar, pois eu não suportaria. Mas ele não deu importância, estava louco de tesão e empurrou. Quando passou a cabeça eu soltei um grito enorme que foi abafado com uma de suas mãos na minha boca. Empurrou até eu sentir as bolas encostarem-se à bunda. Com movimentos curtos de vaivém ele ia “massacrando” meu cuzinho. Foi aumentado os movimentos e num êxtase sem igual inundou meu cu com muita porra. Após o gozo ele cai sobre mim, abraça-me e disse: “há muito tempo venho sonhando com esse momento”. O que fizemos foi errado, seu primo não merecem isto. Mas não me arrependo do que fiz – disse a ele. isto é muito arriscado. Levantamos, fomos ao banheiro tomamos um banho. Despedimo-nos e ele foi pra casa feliz da vida. Depois do acontecido sempre que nos encontramos ele finge que nada aconteceu. Eu gostei e espero outra oportunidade pra dar a ele novamente. krisoliveira25@outlook.com

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...