Com a filhinha do vizinho no sítio… parte 2

Parte 1… Ao fim daquele passeio ao sítio, anotei umas questões de parte elétrica que precisava rever.
Na última semana daquele mês janeiro, iria retornar ao sítio para iniciar o trabalho. Pretendia deixar tudo pronto antes do carnaval.
Chegou o fim de semana programado e na sexta feira iria sair de casa a meia noite. O sítio fica a 3h de distância. Assim eu chegaria na madrugada e ainda daria tempo de dormir para, no sábado, começar por volta das 10h. As meninas, minha filha Betina e Laura, a filha do vizinho quiseram ir. Bem, tudo resolvido e iniciamos a viagem. Eu, minha esposa na frente e as meninas atrás.
Chegamos por volta das 03:20 da madruga e depois de um rápido lanche e banhos, resolvemos deitar. Fiz amor com minha esposa e adormeci leve e relaxado.
Acordei por volta das 8:30h. Todos dormiam. Fiz o café e percebi que Laura acordou e havia entrado no banheiro central. Meu pau já deu sinal de vida. Ela saiu e ainda de camisolinha me deu um bom dia, sorriu e subiu ao quarto. Fiquei olhando ela subindo, uma loucura. Eu já imaginava outro boquete. Mas não deu.
Separei o material e comecei o trabalho e elas iam acordando e se ajeitando na cozinha para o café. Lá pra umas 11h, minha esposa resolveu ir ao sítio vizinho comprar laticínios que fabricavam e levou a Betina. Laura preferiu um banho de piscina. Eu estava em cima de uma escada, colocando uma luminária nova e ela entra na casa e pede: “posso pegar um suco?”
Claro! Eu disse. Ela entrou e lá da cozinha me grita: “tá onde o suco?”. Desci e ao chegar na cozinha pra lhe mostrar onde estava o suco no freezer, quando a vejo só de biquíni, com os peitinhos durinhos e a bundinha empinada tentando alcançar o armário. Como ela jpa havia me chupado umas dezenas de vezes, já fui chegando e encostando naquela bundinha e abraçando ela por trás, de forma que minhas mãos foram diretos nos seus limoenzinhos.
Ela se vira subitamente e me dá um beijo muito gostoso e diz: “estou pronta, quero ser sua!”
Coloquei ela em cima da mesa e arranquei seu bibuini e comecei a chupar sua bucetinha, linda, raspadinha, cheirosinha, lisinha. Foi a primeira vez que caí de boca naquela delícia. Logo logo ela também já estava abocanhada no meu pau. Como ela gostava (e sabia) chupar uma rola, mesmo aos 14 anos.
Depois abri suas pernas e fiquei em pé com a pica direcionada para aquela bucetinha virgem.
Ela pediu: “bota tudo nela e não precisa ser devagar. Quero sentir dor e prazer”. Que putinha. Não fiz por menos, apontei para o centro e empurrei com força, tudo de uma vez. Ela gritou e gemeu, rebolou e acertou o encaixe do meu pau com sua fendinha. Comecei a estocar forte e rápido. Vi sangue pelo meu pau e empurrava mais fundo. Ela gritou que gozou e eu não conseguia mais me segurar. Tirei o pau sujo de sangue e melado e dei pra ela chupar e gozei muito na sua boquinha.
Depois tomei um banho e voltei ao trabalho. Ela subiu tomou banho e veio de shortinho e blusinha e me disse: pena que é só um fim de semana e sua esposa está aqui. Quero mais.
Bem, desde esse dia estou bolando um jeito de ficarmos sozinhos no sítio. Vou conseguir e vou comer aquele cuzinho….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...