,

Traindo na pescaria

Há 3 anos 12 ★ 4.50

Meu nome é Carmem, tinha 32 anos na época e meu marido Oscar um pouco mais velho tinha 53. Uma vez por mês ele e seus amigos iam pescar e eu ficava em casa. Até que minha amiga colocou a dúvida na minha mente, homens diziam que iam pescar para ir pra gandaia. Pedi para ir junto, mas não deixaram, mas a segunda vez disse se eu não fosse ninguém iria, e Oscar convenceu seus amigos a me levarem junto. Era um feriadão de 3 dias e um amigo deles que morava em outra cidade conhecia o lugar certo para pescarem, e se juntaria a eles na sua cidade. Fomos eu, Oscar, Júlio e Beto e todos os apetrechos de pescaria, chegamos ainda na quinta-feira a noite e o Fernando estava nos esperando na porta de seu pequeno sítio. Colocamos seu material na caminhonete e nos dirigimos ao acampamento da pescaria. Enquanto eu e meu marido fomos fazer um reconhecimento da área, os outros iam montando a barraca, a barraca era grande e tinha um quarto só, seria o do casal. Fizeram um fogo no chão e bebíamos vinho, levaram vinho para um mês, e batíamos um papo bem amistoso, fomos dormir meio altos do álcool. Acordei as 8:30 e não encontrei ninguém, fui até o rio para avisar meu marido que iria para outro lado onde havia uma prainha para me banhar e pegar um sol. Eles só queriam saber de pescar e beber vinho e meu marido só me recomendou para não fazer barulho e espantar os peixes e fui sozinha. Levei um maio e um biquíni, resolvi colocar o maio por vergonha do Fernando que conheci a poucas horas, dei uns mergulhos e depois deitei ao sol. Fernando teve que ir na barraca para pegar mais iscas e me viu deitada e se aproximou, perguntou se estava gostando da pescaria, disse que por enquanto tava bom, que só me preocupava com os mosquitos a noite. Deu uma vontade de fazer xixi e perguntei a Fernando onde eles usavam como banheiro, Fernando me levou até um matinho e disse que este era o banheiro deles. Entrei no mato sozinha e tirei meu short e baixei a calcinha, Fernando faz a volta no mato e ficou me espiando fazer xixi, agachada com os cabelos tapando meu rosto percebi Fernando batendo uma punheta me olhando, disfarcei, me vesti e voltei ao rio sem ver o Fernando que rapidamente se juntou ao grupo. Fiquei me bronzeando e pensando no que tinha visto, dali em diante Fernando não tirava os olhos da minha bunda, já estava me incomodando seus olhares, almoçamos peixe assado regado a canecas de vinho, Júlio dormiu ali mesmo, fora da barraca e eu e o Oscar entramos para sestear e pensei que ali nunca poderia transar com meu marido com todos aqueles homens ao nosso lado, acordei e novamente não havia mais ninguém por perto, resolvi ir para o sol, deitada de bruços na toalha sem protetor e Fernando se aproxima e pergunta porque não estava usando o protetor, respondi que o sol estava fraco e não precisava, ele insistiu para usar, até que resolvi colocar para me livrar dele, coloquei na mãos e passei nas costas, ele disse que não tinha passado bem e iria me ajudar se não fosse abuso da parte dele, antes de responder ele já foi espalhando pelo meu corpo, das costas passou para as pernas e chegou até a bunda, achei que ele não teria coragem, e até passou entre minhas coxas, levantou e disse que agora estava bem protegida, olhei para ele e agradeci, percebi um volume de excitação em sua bermuda. Pensei que aquilo era resultado do vinho, chegou a noite e mais vinho, bebi junto com eles e depois levei meu marido Oscar para dormir, veio novamente uma vontade de fazer xixi, tentei acordar meu marido mas foi em vão, tive que ir sozinha mesmo, mas Fernando ainda estava acordado e quis me levar para o banheiro, estava ainda tonta e não recusei sua ajuda, cai uma vez antes de chegar e Fernando me segurou, chegando no banheiro não conseguia abrir meu shortinho e Fernando me ajudou a tirar e também retirou minha calcinha, a vontade de fazer xixi era tanta que nem esperei que Fernando saísse de perto, fui gatinhando de quatro em direção as roupas e senti as mão de Fernando em minha cintura, sem forças para reagir fui penetrada por ele, Fernando estava possuído, baixou meu bustiê e passou a acariciar meus seios, imóvel gozei duas vezes e só depois Fernando gozou, nos vestimos e Fernando me segurando me conduziu até a barraca. Deitei ao lado de Oscar que permanecia desmaiado, pensando que estava sonhando me deu um tesão repentino, coloquei a mão na minha bucetinha para uma siririca e notei que minha buceta escorria o esperma do Oscar, gozei gostoso e dormi aliviada. Cedo da manhã já vestia meu biquíni para ir ao rio e convidei meu marido, que fez um convite a todos, ninguém respondeu, pensei em ficar a sós com meu marido, mas Fernando quis ir junto, tremi com o que poderia acontecer, e fomos só os três. Entramos na água e no segundo mergulho meu marido já estava na areia dizendo que para ele era o suficiente, mas eu poderia ficar e Fernando disse que ficaria mais um pouquinho e já voltaria pescar. Na água Fernando começou a jogar água em mim e me desiquilibrei e Fernando novamente me segura por traz, e roça seu pau duro na minha bunda, finjo que não noto e mergulho para mais longe, levanto e não vejo Fernando, que mergulhou atrás de mim, saio da água e ele vem junto, na areia ele me confessa estar morrendo de tesão por mim, já também desejava aquele homem mas era pecado, disse que tinha marido e amava ele, Fernando disse que ia me mostrar outra vista da região e pegou na minha mão e eu fui reclamando, que meu marido poderia nos ver. Fernando me deitou no mato e me beijou, no segundo beijo já passei a retribuir seus afagos. Totalmente pelados e eu completamente submissa aos desejos dele, não reagia mais, deitada com as pernas escancaradas para ele, gozei na língua dele e deitei ele para fazer o que eu mais gosto, cavalgar no homem. Saltei muito em cima dele, gozei rápido mas não parei e Fernando fechou os olhos e anunciou seu gozo. Sai de cima dele e voltei para pegar mais um pouco de bronze e Fernando foi para a barraca esperar os outros homens. Não demorou muito e todos estavam reunidos na barraca e meu marido foi na praia me buscar. A noite ao redor da fogueira conversavam e bebiam, notei que Fernando não estava bebendo como os outros e eu também, pois o pouco que bebi me deu uma dor de cabeça. Mais tarde foram tombando um após outro, perdendo a batalha pro vinho. Eu e Fernando colocamos todos para dormir dentro da barraca e voltamos para perto do fogo. Fernando pegou minha mão e fomos para o mato, com a garantia de não ser pegos, fizemos o sexo mais gostoso do dia, ele me chupou muito e pediu para eu chupa-lo também, eu disse que nunca tinha feito isso, nem em meu marido que também não aprovava, Fernando me falou para provar e se não gostasse ele não ia insistir mais e ninguém iria saber. Pensei bem e sem jeito fiz meu primeiro boquete, Fernando deu um urro e gozou na minha boca, engoli um pouco e não gostei do gosto da porra dele. Ai Fernando disse que ia me comer gostoso para retribuir a chupada que dei nele. Não sei se devido ele já ter gozado na minha boca, desta vez ele meteu muito em mim e demorou muito a gozar, eu já havia gozado três vezes e só ai Fernando gozou de novo. Fomos dormir junto com os outros, exaustos e satisfeitos. A manhã de domingo chega, eu e meu marido Oscar levantamos por último, o fogo já estava aceso e os homens se preparavam para ir pescar, comemos peixe como café da manhã e cada um para seu lado, eu para a prainha e os homens para beira do rio. Já achei que Fernando estava demorando para aparecer, nem sei mais qual foi a desculpa que Fernando deu para aparecer, deixei o óleo bronzeador ao meu lado pare ele passar em mim. Fernando passando óleo em mim, cochichou no meu ouvido que desejava meu cuzinho. tomei um susto com o desejo dele, disse que não porque doía muito, e Fernando lambeu meu ouvido e disse que seria muito carinhoso comigo, e com o dedo untado de óleo fez uma caricia no meu cuzinho, primeiro em volta e depois enfiou com todo o cuidado, colocou mais óleo e ficou brincando de enfiar e tirar do cu, era uma sensação nunca antes sentida, me beijou e mandou eu pensar no assunto e saiu. Sozinha pensativa fiz uma siririca e gozei duas vezes. Como de costume, eles beberiam só até o almoço, dormiam a tarde para voltarem a tarde sóbrios. Novamente eu e Fernando nem tocamos no vinho, disse ao meu marido que eu voltaria dirigindo, todos agradeceram e poderiam beber mais. Almoçamos e fomos dormir, sem vinho e pensando em aproveitar todos os momentos não consegui dormir, Fernando diz que precisa fazer xixi e sai, certifico que Oscar dorme, e também saio. Fui procura-lo na moita e o encontro me esperando com o óleo bronzeador na mão, em um segundo já estamos nus e nos beijando. Fernando chupa minha bucetinha me deixando na ponta dos pés e gozo, deito e Fernando vem pra cima de mim, mete um pouco e volta a me chupar, com o dedo no meu cuzinho, pede meu cuzinho de presente de despedida, com o dedo enfiando dentro, coloca o óleo no dedo e deixa meu cuzinho pronto para receber seu pau. Ainda tinha dúvida se deixaria, quando senti a cabecinha encostar na entradinha do cu, meu cuzinho lubrificado sugou seu pau para dentro, saiu lagrima dos meus olhos, Fernando parou e logo começou os movimentos, o pau já deslizava e Fernando lubrificou mais um pouquinho e acelerou o movimento, falava que meu cuzinho era o mais gostoso que tinha comido, me elogiando e fazendo carinho, Fernando pediu para eu rebolar no seu pau, me senti uma puta rebolando com o pau no cu, Fernando gozou dentro, me soltou e fomos pro rio nos lavar, nus dentro d’agua, novamente Fernando de pau duro, Fernando me leva para o mato e pede para eu chupar de novo, chupei sem problema, antes que quisesse meu cuzinho dolorido, esta vez engoli tudo, antes que o pau amolecesse, enfiei na minha buceta, pois anda não tinha gozado, gozei e fui deitar ao lado do meu marido, exausta dormi também. Recolhemos nossas coisas e retornamos para nossas vidinhas. Nunca tinha pensado em trair meu marido, mas devido as circunstancias acho que não foi traição, tinha um desejo de sexo e meu querido marido não iria me atender mesmo, ai seu amigo fez um favor para Oscar. Valeu para eu saber que ainda sou desejada. Dois dias depois fiz sexo gostoso com meu marido e nunca mais quis ir a outra pescaria.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 2 votos)
Loading...

,

12 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. kfp zoofilia

    Min add para eu li comer bem gostoso. 11967394790

  2. Anonimo

    Oi fiquei de pau duro ,quero fuder você também gosar na sua boca ,depois encher seu cu de porra.

  3. max

    Boa tarde 62 98123279

  4. Indio safado

    Só para safadas chamem no zap 65 96172215

  5. CarlosEduardoTEG

    Parabéns, ficou bom seu conto, se quer curtir momentos como este, me escreva. [email protected]

  6. Anônimo

    CHAMA no whTA 84 99708-2734

  7. moreno

    Muito bom mesmo

  8. Rike

    Adorei o conto qro leva minha esposa pescaria dsta

  9. Anônimo

    Bati uma bela punheta lendoaseu conto. Amo meter num cuzinho de mulher casada. Me xama no wats 11 95464 8431

  10. rayssa

    ameeeeeeeeeeeeeeeeeiii o conto…parabéns.

    • MARCOS

      DELICIOSO O CONTO EM LINDA, SE VC KISER TC GOSTOSO 63-9237-4418

    • Anônimo

      Me chama no Whats linda 016991562229