Primeira vez. Minha loira e o negão

Olá pessoal, lógico que os nomes foram trocados por motivo de privacidade mas, a história é verdadeira. Ficou um pouco extenso mas garanto que vão gostar.
Me chamo Junior e tenho 30 anos. Hoje olhando para trás e vendo meus relacionamentos, vejo que sempre tive vocação pra corno. Mais jovem não tinham noção disso, sempre que terminava um relacionamento e via a ex com outro, sentia um tesão absurdo e perco a conta de quantas punhetas bati imaginando como elas trepariam com eles.
Nos conhecemos de uma maneira bem interessante, na época um amigo meu se separou da esposa e acabou ficando com F, namorico que durou 3 meses pois ele voltou para a esposa. Assim conheci F, uma mulher de 30 anos que me chamou a atenção, pra falar a verdade não faz o estilo mulherão gostosa, 1,65, 55 kg, loira, bunda média mas redondinha e seios empinadinhos. O que mais me atraiu em F era a safadeza, cara de vagabunda.
Sempre me chamava para sair com ela e fazer companhia, até que em uma dessas saídas acabamos ficando, foi maravilhoso, beija muito bem, magrinha mas gostosinha e consegui um amassado no capo do carro de tanto que nos esfregamos na frente do prédio onde morava (sozinha). No outro final de semana estávamos juntos de novo, cheguei na sexta e sai na segunda direto para o trabalho. O melhor final de semana da minha vida, trepamos o dia inteiro e minha suspeitas se confirmaram, ela realmente era ótima de cama. Sem frescura, insaciável, chupava meu pau, meu saco, babava minha rola inteira, fazia espanhola e a posição que queria ela fazia, gemia deliciosamente e gozava facilmente. Minha vó me disse uma vez, que o bom era ter uma dama na sociedade e uma puta na cama. VÓ CONSEGUI!!!!!!!!.
Já estávamos juntos há 1 ano e pouco. Uma noite após acabarmos de transar, não sei porque motivo ela soltou a bomba, disse que tinha um tesão enorme em imaginar eu transando com outra e ela junto, ela não queria uma mulher para ela e sim uma mulher para sentir prazer comigo. O coração de corno antes adormecido, saltou. Rimos muito e pedi pra ela conseguir uma mulher que transaria. Aquele final de semana fiquei pensando se contaria pra ela sobre minhas fantasias e o que ela passaria de mim.
Acabamos saindo com uma amiga dela, que apesar das encoxadas e investidas não virou nada!
Chegamos em seu apartamento e aproveitando o clima acabei confessando. Disse que na verdade eu morria de tesão em imaginar ela transando com outro homem. Por termos voltado da boate já altinhos, foi me perguntando sacanagens. Se eu tinha coragem mesmo, se eu não ficaria com ciúmes depois, pois ela iria realizar meu sonho mas, iria ser mais puta ainda com o outro. Eu estava sentado na beirada da cama, ela se ajoelhou, tirou minha calça e revelou meu pau duríssimo já pulando pela lateral da cueca. Ela me olhou nos olhos e disse: Meu corno já está assim só de imaginar, quero ver na hora que estiver gozando na rola do outro!!!!. Confesso que gozei na hora, entre espasmos sujei minha perna e ela com cara de vagabunda apenas se abaixou e lambeu minha porra toda, depois pegou no meu pau e começou a chupar olhando pra mim disse: Você vai deixar eu engolir a porra do outro macho também?
Só não gozei porque não tinha nada, peguei ela pelos braços e nos beijamos, podia sentir o gosto da minha porra em sua boca. Ali acho que acendi a chama da puta que existe dentro dela, ela olhou pra mim e disse: Escolhe um nome e hoje você será ele, só vou te chamar por ele e vou gozar pensando nele. Aquela noite transamos como nunca, não dormimos e com cara de puta pediu que desvirginasse seu cuzinho. Já cedo ela me perguntou se era verdade aquilo tínhamos conversado e eu respondi que sim. Nas semanas que se seguiram tanto ela quanto eu ficávamos em salas de bate papo tentando achar alguém, que não fosse conhecido nosso. Até achamos alguns, que geralmente enviavam proposta escondidas para ela sair sozinha com eles. Estávamos tão excitados que transávamos em qualquer lugar e horário que desse, até na sacada do apartamento em frente a um ponto de taxi, já teve vários taxista que testemunharam ela peladinha com meu pau socado no rabo dela, uma vez enquanto socava n ela e ela com os peitos balançando no peitoril, vimos ele ir pra trás da base e se exibir batendo uma punheta. Foi tanto que ela acabou engravidando e nossos desejos tiveram que esperar. Mas sempre havia uma provocação
Em 2014, meu filho estava com 7 meses, quando estávamos na cama e ela me disse: Amor, sobre aquele seu desejo, a escolha do macho é sua. Espero que escolha um bem gostoso!!!
Conheci sites de cornos e swingers e fiz nosso perfil, não demorou muito e surgiram vários candidatos mas, o escolhido foi um negro, o pau grande e grosso cheio de veias. Entrei em contato e marcamos. Cheguei em casa e disse: Amor, seu macho foi escolhido, você vai adorar. Marquei sábado que vem as 15hs. Percebi em seu rosto o susto e ao mesmo tempo a excitação, tentou tirar vários detalhes mas não disse nada.
Já na sexta ela foi na manicure e lavou um vestido que deixa ela maravilhosa. O ponto mais alto da minha cornitude foi quando ela estava no banho, me chamou e disse: Será que ele gosta com pelinhos ou carequinha? Aquilo me levou as nuvens e liguei para o comedor, assim que atendeu eu passei o telefone pra ela, se apresentou, deu algumas risadas e perguntou: Meu macho prefere com pelinhos ou carequinha? Mais algumas risadas, se despediu e vi a resposta quando ela passou a cera na bucetinha e deixou peladinha. Meu pau estourava e já melava a cueca, me despi e entrei no box estava louco pra fuder com ela. Ela se virou e disse: Amor, hoje você não vai comer nada, vai estar tudo apertadinho pra ele amanhã, se quiser bate punheta. Nem precisou, gozei sem me tocar.
No dia combinado, deixei meu filho em minha sogra e partimos. Compramos camisinhas e algumas bebidas. Fomos anunciados na portaria e assim que chegamos na casa ele já nos esperava e quando ela o viu apenas disse: Bela escolha amor, gostei!!!
Fomos muito bem recepcionados e ele já pediu que entrasse com o carro na garagem. Assim que parei, ele já abriu a porta pra ela. Estava deslumbrante, um vestido vinho colado que marca seu corpo, cabelos loiros soltos e salto alto. O portão se fechou, se cumprimentaram e ele pediu que ela desse uma voltinha, ele disse: Que mulher hein amigo? Entramos, sentamos no sofá, ele colocou uma música e trouxe bebidas. Conversamos um pouco e ela pediu para ir ao banheiro, assim que ela saiu e me perguntou: Amigo, sei que é a primeira vez de vocês, tem certeza do que querem? Quando ela voltar vou atacar sua esposa, que aliás está deliciosa. Apesar disse que sim, que tinha sinal verde.
Assim que voltou, ele a chamou pra sentar do seu lado, passou os braços sobre seu pescoço e disse que ela estava muito gostosa e sem dar chance já tascou um beijo, se beijavam deliciosamente, com tesão. Ele a puxou mais pra ele e enquanto a beijava, percebi a mãozinha dela alisando o pau do negão por cima da bermuda. Nunca pensei ser tão delicioso ver esta cena. Percebi o entusiasmo dela e logo pediu pra ele se levantar, ainda sentada no sofá ela abaixou a bermuda e a cueca, percebi em seu rosto o susto. Saltou um pauzão negro de 23 cm de comprimento e 16 cm de circunferência, duas bolas grandes e cheio de veias. Ela me olhou e disse: Nossa amor, você que mesmo me deixar arrombada hein? Acho que não vou dar conta dessa rola toda!!!. Olhei aquela rola em sua mão e vi que não fechava os dedos, deu algumas punhetadas e foi colocando na boca. Foi maravilhoso ver aquela boca toda aberta e mesmo assim só engolia um pouco além da cabeça. Ela babava na rola inteira, percorri a com a língua toda sua extensão, chupava aquelas bolas enormes e voltava pra cabeça. O comedor segurava sua nuca, gemia e apenas conduzia a chupada. Ela me disse: Coloca o seu pra fora também. O meu pau parecia um brinquedinho (17 cm de comprimento e 14,5 cm de circunferência)
Neste momento percebi a puta adormecida acordar. Me chupou um pouco e disse: Só um pouquinho pra você não ficar com vontade, porque agora quero ser a putinha dele. E voltou a chupar o macho. Alguns minutos depois ele a segurou pelos braços e a levantou, virou de costas e foi tirando seu vestido, revelando uma calcinha preta socada no rabo e um sutiã que deixa seus peitos deliciosos. Sem demora ele a virou de frente, tirou o sutiã e mamou seus peitos enquanto alisava a bucetinha por cima da calcinha e ela punhetava sua rola. Ele a deitou no sofá, tirou seus sapatos, puxou a calcinha de lado e revelou sua bucetinha raspadinha, levantou suas pernas e chupou sua buceta, enquanto chupava seu grelinho socava dois dedos na bucetinha, fazia ela se arquear de tesão. Uns 5 minutos depois, ele a levantou e levou pro quarto, sentou ela na beirada da cama e fez ela chupar sua rola novamente, enquanto dizia: Que mulher maravilhosa que você tem amigo, gostosa e além de tudo safada, você tem certeza mesmo? A partir de agora vou fazer sua esposinha virar minha puta. Nem deu tempo de eu responder e ela disse: Já que ele queria a esposa dele na rola de outro, ele que seja corno, vem aqui e me deixa arrombadinha pra ele. O comedor apenas olhou pra minha cara e riu.
Ele colocou a camisinha, se deitou e ela já pulou em cima dele. Pegou a rola dura, esfregou na bucetinha e entre gemidos de dor e prazer foi sentando na rolona, eu estava em pé atrás e viu aquela cobra ir sumindo pouco a pouco na sua bucetinha. A conversa a seguir:
F: Amor, estou com medo mas, quero tentar socar ela inteirinha dentro de mim.
Comedor: Medo nada, vagabunda. Senta logo que eu quero sentir ela todinha dentro.
Alguns minutos depois, estava todinha dentro dela. F chorava, resmungava e gemia, Já rebolava na rola e dizia: Está gostando ai atrás? Minha buceta vai ficar do jeito que você quer?
Eu apenas me acabava na punheta. Uns 10 minutos depois ela gozou, ela rebolava e comprimia a bunda, deixou o pauzão branquinho. Ele logo a virou de 4 e disse: Você veio até aqui pra ser fodida por um macho, então já que se acostumou se prepara. Ajeitou o pauzão na bucetinha, segurou em seu quadril e socou de uma vez só, arrancando um grito de F, que soltou seu corpo e segurou as mãos dele em seu quadril, logo veio outra socada e outras se seguiram, ele castigava a bucetinha dela. Entre gritos ela dizia: Vai filho da puta, soca nessa buceta, acaba com ela, deixa ela ardida e inchada. Vai, deixa essa buceta bem arrombada pra esse corno ver, depois não vou nem sentir o pauzinho dele! Tá ouvindo corno? Seu pauzinho vai dançar nessa buceta depois desse pauzão me fuder! Ela já tinha gozado 3 três e estava gozando de novo.
Assim que gozou ela disse: Vai meu negão, quero sentir essa rolona inteirinha no meu rabo, soca ela, soca. Pediu quase implorando. Disse: Já que você quer ser corno, vai ser corno por completo, vou chorar nessa vara mas quero que ele arrombe meu cú e quero sentir só as bolas pra fora. Aquilo me fez gozar pela décima vez na punheta. Ele pegou o KY, lambuzou o cuzinho dela e socou um dedo, logo depois socou e segundo e disse: Não quero preparar muito não, quero ver essa vadia sentir minha rola, quero ver ela chorando e pedindo pra socar mais. Ela de quatro com o rabo empinado e rebolando nos dedos dele. Ele pincelava no cuzinho dela e tentou a primeira vez, ela logo segurou o pau dele e disse: Deixa que eu ajeito, esse cuzinho só foi do corninho até hoje. Aquela rola grossa não ia entrar tão fácil, ela pegou dois travesseiros colocou embaixo, ficou com a bunda empinadinha e disse: Vai gosto, agora arromba esse cuzinho!
O negão ajeitou na portinha, entrou um pouquinho e ele só foi com o peso do corpo. Ela gemia, gritava, esperneava e apenas pedia pra ir devagar. Ela meio que chorando e me provocando disse: Amor, ele está estourando meu cuzinho, vou ficar sem pregas. Como vou chegar andando em casa? E agora como vou sentir seu pauzinho dentro de mim? Vou acabar viciando nesse pauzão gostoso. Dizendo isso gozou novamente, dessa vez empinando a bunda mais pra trás fazendo o cacete do negão entrar inteirinho. Gozou gritando: Que delicia gozar com esse pauzão socado no cúúúúúúúúú! Ela já tinha gozado umas 5 vezes, estava mole e dizia coisas sem nexo, me perguntou se estava arrombada e olhando pude ver que o negão fez um estrago, seu cú estava aberto. O negão a virou, colocou suas pernas pra cima e mais uma vez apontou pro cuzinho, só deu tempo dela dizer: Amor, ele vai socar no meu cú de novo, não deixa amor, aiiiiiiiiiii! Dessa vez o negão foi mais fundo ainda, socou inteirinho. Ela gritava: Vai negão soca mais, soca mais forte, acaba com meu rabo, deixa ele bem folgado pra esse manso sentir depois, quero que ele sinta o cuzão arrombado da esposinha que deu pra outro. O negão suava e disse: Vai vagabunda, puta, piranha eu quero gozar. Onde você quer porra? Ela nem pensou e disse: Tira essa camisinha e goza todo dentro do meu cuzinho. Enche ele de porra!
E assim ele fez, tremendo despejou toda porra acumulada dentro do cuzinho dela, que gozou pela sexta vez tendo espasmos e toda arrepiada. Ele ficou lá dentro até o pau amolecer e sair sozinho. Se recuperaram e ela foi para o banho. Saiu, tomamos mais uma cerveja e nos despedimos. No caminho ela me disse para irmos direto para casa ao invés de ir para minha sogra, confesso que fiquei um pouco preocupado, tentei saber se ela estava chateada, com dor sei lá mas ela nada disse. Chegando em casa ela foi para o quarto e eu pra cozinha tomar um copo de água, ela me chamou e assim que entrei no quarto, tive a linda visão. Ela estava deitada de bruços com a bundinha empinadinha a buceta e o cuzinho vermelhos da surra de rola. Ela se virou e disse: Vem amor, não soltei a porra dele não! Vem ver se é assim que você me queria, toda arrombada e cheia de porra do meu macho! Não pensei duas vezes, me deitei sobre ela e meu pau entrou em seu cu sem o menor esforço, pude ver meu pau entr ando e a porra do negão vazando. Não demorou muito para eu também misturar minha porra com a dele. Depois disso ela disse que tinha adorado, que nunca sentiu tesão igual e que se eu quisesse ela gostaria de sair com outros. Durante aquela semana transamos todos os dias e sentia que a buceta e o cuzinho ainda estavam larquinhos.

cornoribpreto@hotmail.com

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...