# #

O menino do condominio

1249 palavras | 0 |4.15

Numa semana em que precisei ficar no Rio, vi chegando uma mudança, um casal, e um menino, o qual me olhou bem nos meus olhos, loirinho, 170m, gordinho, não aquele gordinho, 18 anos, mas com uma bundinha bem durinha e gostosa.
Com o decorrer das coisas acabei ficando 15 dias, e toda vez ele ficava me encarando, fiquei com receio que ele tivesse descoberto que também gosto da fruta, mas no condomínio eu não dou na pinta, pois casado e com filhos e comedor de algumas das mulheres do mesmo. Então fiquei na dúvida. Uns 5 dias depois, entrei no elevador e o mesmo acabou ficando cheio, ele veio e se colocou na minha frente, de vez enquanto rebolando sua bunda no meu caralho que aquela altura estava duro. Eu afastava e ele recuava, achei que ali ia dar jogo. Mais tarde em casa, após descansar tocam a campanhia, era ele, que veio me perguntar se eu não conhecia um programa para ele, estava de short, ele ficou olhando daí falei vamos ver o que você está querendo, fui na minha estante e procurei alguns programas, ele veio ficou ao lado, mas sem tirar o olho do meu caralho que estava duro e a cabeça aparecia em baixo. Acabei não encontrando, ele falou deixe-me olhar e passou bem encostado em mim. Vi que poderia acontecer o que já tinha notado. Dei um abrtaço nele e trouxe para mais perto de mim, virei sua cabeça e nos beijamos, ele delirava, pergunte é esse o programa que você quer? Me falou: sim há algum tempo estou tentando me aproximar de você. Perguntei você já transou com outro homem? Ele me disse que não somente brincadeira com um primo e estava doido para ser comido, mas o receio não deixava, mas como gostou de mim queria que fosse o primeiro a comê-lo já que tinha ouvido algumas mulheres falar que adoraram ser comidas por você.
Fiquei um pouco preocupado, pois minha esposa estava para chegar com meus filhos e não teríamos tempo, afinal um cuzinho virgem é tudo de bom. Expliquei a ele e disse, podemos nos encontrar mais tarde, vamos conversar mais e quem sabe farei sua vontade? Marquei de nos encontramos no shopping para conversarmos e tomarmos algo. Ele contou que quse perdeu a virgindade de sua bundinha aos 14 anos com um amigo num delicioso troca-troca, onde ele ac acabou comendo o primo e na hora dele aconteceu um problema e não aconteceu. Neste dia percebeu que era uma delícia ter um homem passando um caralho no seu rabinho. Apesar disto sempre manteve as aparências. O moleque possui inclusive uma namorada, linda por sinal, e disse que se define como bissexual por que apesar de ser passivo também gosta de mulheres. Já mais soltos devido à cerveja, riamos de alguma coisa que um de nós falou quando eu naturalmente apertei sua coxa. Ele ficou sério e olhou para mim, disse que estava morrendo de tesão e que desde que sentou no bar estava de pau duro e louco para me dar sua bundinha. Eu também não agüentava mais e fomos para um motel. Era noite e meu carro tem filme, por isso não temi ser pego. Ao entrarmos no quarto fui fechando a porta e logo nos atracamos nos beijando, sentindo que nosso tesão estava a mil, nossas mãos percorriam nossos corpos, eu apertando aquela bunda durinha e gostosa. Tirei sua camisa e a minha e continuávamos a nos beijar eu apertando aquela bundinha gostosa e durinha, não vendo a hora de enfiar meu caralho nela. Sem parar de beijar, abri sua calca e ela caiu a seus pés. Coloquei minhas mãos por baixo de sua cueca e apertei a bunda firme, roçávamos nossos cacetes por cima de nossas roupas e ambos estavam duros. Então ele se ajoelhou aos meus pés e puxou meu pau para fora das calças, logo eu estava nu a sua frente recebendo uma deliciosa chupada. O garotinho tinha experiência e fazia aquilo muito bem feito, me arrancando gemidos de prazer.
– Chupa meu viadinho, chupa! Lambe minhas bolas, vai… – eu dizia alucinado.
Ele me dava tratamento completo, lambia a cabecinha, toda a extensão do cacete, meu saco e minhas bolas. Anunciei que estava gozando e ele nem se importou, continuou chupando até eu encher sua boca com minha porra. Que delícia, fazia tempo que eu não gozava tão gostoso. Meu aluno continuou me sugando até não sobrar mais uma gotinha de porra no meu pau.Estava de caralho duro e louco para comer aquele cuzinho virgem. Coloquei ele de quatro na cama, já totalmente peladinho. Sua bunda empinada deixava a visão muito interessante e meu pau parecia querer estourar de tão duro. . Abri suas pernas e fui por cima dele , beijando aquela bundinha tão desejava, dando mordidinhas nas suas nádegas e deslizando minha língua até seu buraquinho. Eu contornava suas preguinhas as deixando úmidas e brilhantes, ele gemia e empinava ainda mais a bundinha. Fiquei brincando daquele jeito por um bom tempo, ele implorava para que comê-lo, mas eu falava calma que você vai receber meu caralho t odo no seu cuzinho gostoso, o qual piscava e via aquele cuzinho cor de rosa aguardando meu caralho. Peguei um creme passei na cabeça do meu caralho, e ao mesmo tempo colocando um dois dedos no seu cuzinho que as vezes prendia meu dedo, senti ele relaxado, afastei bem suas nadegas e pincelando a cabeça no seu cuzinho passei a enfiar meu caralho nele, ele gemia e pedia para eu comer seu cuzinho, depois da cabeça ter entrado deu uma parada ele dizia vai enfia tudo meu macho, eu falava calma, a pouco e pouco meu caralho foi deslizando para dentro do seu cuzinho. Que delicia, apertadinho e gostoso, comecei a socar, metendo até sentir meu saco batendo nas suas nadegas, de vez enquanto puxava sua cabeça e o beijava, que delicia ele gemia feito uma puta, uma delicia passou a rebolar no meu caralho que estava a mil por hora, uma delicia comer um cuzinho virgem. Acabei enchendo seu cuzinho de leite o e ele acabou gozando também junto comigo, com o prazer que estava tendo. Fui abixando com ele fiquei por cima até que meu caralho foi saindo do seu cuzinho, notei uns vestígios de sangue, junto da minha porra, sai de sima dele ele pegou meu caralho e passou novamente a mama-lo, queria me gratificar pelo prazer que tinha dado a ele. Levantamos e fomos nos lavar, quando lavei bem seu cuzinho, fazendo uma higiene nele, deixando ele cheiroso. Ele adorava como eu beijar e nos beijávamos dentro do Box e a água caindo nos nossos corpos, olhei e vi seu caralho, devia ter uns 15cm, durinho, fomos para a cama e tornei a comê-lo agora mais demorado, após as duas gozadas gostosas, foi novamente um prazer enfiar no seu cuzinho, depois de saciados fomos tomar novo banho e colocar nossas roupas para irmos embora. Ela adorou e queria saber se poderíamos repetir a dose novamente, disse que enquanto estivesse no Rio ia arrumar um jeito de nos encontramos, o que aconteceu de fato aconteceu, até eu retornar ao exterior.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,15 de 13 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos