# #

Encontro com amigos de Infância

1475 palavras | 1 |3.00

Bem o que vou relatar aconteceu comigo, eu tenho uma relação muito boa com vários amigos da nossa infância, sempre estamos juntos, tenho consideração muito especial por eles e uma recordação inesquecível , tenho um amigo em especial o Fernando que quando eramos garoto tivemos várias tentativas de relacionamento sexual, ele sempre tentou me comer, e eu gostava como gosto ate hoje, mais ele já na época tinha a rola já fora dos patrões normais era grossa e eu não aguentava, mas tentava, ficou ate mesmo a frustração de nunca ter aguentado a rola dele, mais tudo isto feito com muita discrição sigilo, não sou afeminado, sempre fui um garoto bonito, pernas grossas, uma bundinha saliente, era bem paquerado e dava discretamente, dei muito para coroas na época, mais sou casado, muito bem casado, continuou hoje com 48 anos bem conservados bem gostoso, e tenho a mesma vontade adoro dar a bundinha, muito discretamente, sigilosamente, apesar que minha esposa sabe disso, um di a acabei comentando com ela da minha vontade.
Quando foi agora no início de 2012, um de nossos amigo resolveu fazer um churrasco de confraternização e reunir todos os amigos possíveis da época, e neste dia acabamos encontrando amigos que a mais de vinte anos que não nós víamos, um destes foi o Fernando o meu amigo, nossa que prazer em vê-los, bebemos fizemos as apresentações apresentei minha esposa, que modesta parte uma mulher dos seus 45 anos mais muio bonita, gostosa, umas pernas lindas, uma bunda arrebitada e que por sinal adora se vestir provocante, sentamos conversamos comentamos da nossa juventude, ele ficou viúvo a três anos, mora numa cidade vizinha, voltou para a cidade, mora sozinho, seus filhos moram todos no Rio de Janeiro, bebemos todas, logo veio o jogo, vamos bater uma bolinha, no vestiário não pude de deixar de olhar sua rola nossa que rola grossa, jogamos ganhamos o jogo, fomos tomar um banho, no chuveiro o safado, relembrou e disse continua com uma bunda gostosa, e passou a mão, nossa eu acabei deixando, mais tratei de sair logo dali, pois já estava ficando de rola dura, tanto eu como ele, me arrumei e fui sentar na mesa onde minha esposa estava sozinha, meio nervoso fui buscar uma cerveja, logo ele apareceu sentou na mesa ficamos conversando, ele muito bom de papo, conversador, brincalhão, um moreno mulato, bonitão, grisalho, eu estava nervoso, ele saiu foi cumprimentar outros amigos e buscar mais cervejas para nos, minha esposa me indagou e impressão minha ou você esta nervoso, eu disse não e impressão sua, ai começamos conversar ele trouxe uma cerveja e disse eu já volto, ficou e minha esposa conversando, como eu já havia comentado com ela da minha fantasias, ou seja que eu gostava de dar a bunda, ela achando que eu estava nervoso, e tornou a me perguntar eu então disse você quer saber, o Fernando foi um amigo muito especial na minha juventude ele sempre tentou comer a minha bunda e eu não aguentei, hoje tomando banho junto veio aquela sensação que ele iria me cantar e não deu outra ele passou a mão na minha bunda dizendo que eu continuo gostoso, e eu não interferi só que sai logo dela pois já estava ficando exitado e ele também, agora com você aqui não sei o que fazer, fico meio sem graça, ela então respondeu relaxa, minha esposa sempre foi muito discreta e muito safada também, sabe como conduzir a coisa, e perguntou e a rola dele ainda e grande, eu respondi nosso grande e grossa, ela disse ele e simpático bonitão gostoso, pelo jeito ficaste com tesão e dar para ele, eu disse não vou mentir, e uma frustração de infância poder aguentar aquela rola todinha dentro, ela então disse então relaxa, deixa rolar, eu fiquei meio sem entender nada, ela perguntou ele mora sozinho não mora, eu disse que sim, ela disse então quem sabe a gente vai conhecer a casa dele hoje depois da festa, eu perguntei como assim e você, ela perguntou eu não posso ir também, você não deixaria eu participar desta festinha, eu sem sabe r o que responder disse sei lá, nesta altura do campeonato já com umas bebidas na cuca, já estava aceitando qualquer coisa, ate porque para tentar tirar esta frustração e deixar ele meter aquilo tudo dentro de mim, não deu para terminar nossa conversa ele chegou, e voltamos a conversar e comentar do nosso passado, das pessoas que estávamos vendo depois de tanto tempo, coisa de louco mesmo, estava maravilhosa a festa.
Ai a conversa começou a ficar diferente eu mesmo não acreditava no que esta acontecendo, minha esposa estava mais saidinha ele já elogiando ela, na cara dura, minha esposa então quis tomar uma espanhola, pediu amor vai comprar uma batida pra mim, ele mais do depressa se adiantou e foi buscar, eu então perguntei o que estava ocorrendo você esta se arreganhando toda para o Fernando, ela me respondeu você quer fazer omelete sem quebrar os ovos, tenho que dar sinal, que eu topo, e claro que se formos ate e casa dele ele vai querer meter comigo também, ou você vai colocar areia não quer mais, se sai na chuva tem que se molhar, ele vai ter que foder nos dois e eu quero ver ele comer a sua bundinha, fiquei sem responder nada deixei rolar, eu nunca tinha visto minha esposa daquele jeito, se insinuando mesmo, cheia de tesão, e melhor eu também estava ficando exitado, mais tudo estava sendo feito com muita discrição, ate que chegou agora de irmos embora, e para melhor ele estav a sem carro, falei que iriamos embora, mais para ver a reação dele, ele então pediu uma carona, claro que me prontifiquei em leva-lo em casa, no carro fomos conversando, falando do passado em fim.
Quando chegamos na casa dele, ele insistiu para nos entrar, claro que era o queríamos entramos, já dentro da casa minha esposa se soltou e não demorou muito para ela puxar o papo do nosso relacionamento, ele perguntou ele te contou, sim, contou nos não temos segredos, ele então perguntou mais vou meter nos dois, ela respondeu você aguenta, ai ele já caiu pra cima dela, começou a beijar ela deixou ela peladinha, deu a rola para ela chupar ai chupou eu e ela, ele começou a chupar a boceta dela e eu chupando a rola dele, nossa que loucura, ele então começou a penetrar aquela rola na boceta dela, nossa eu nunca tinha visto minha esposa gozar tanto e gemer tanto, se contorcia toda, rebolava, nossa que delicia que sensação diferente, ate que chegou a hora ela falou quero ver você meter na bunda dele, fez eu deitar lambuzei de creme, nossa uma frustração de quasse trinta anos, veio na minha cabeça, eu pensei hoje eu tenho que aguentar, doeu muito já fazia um tempo que eu não dava, mais entrou todinha, ele socava tirava tudo e colocava de novo, que delicia, e agora ainda minha esposa m,e chamando isso seu veadinho aguenta esta rola todinha na bunda seu corno, nossa eu gozei e o Fernando também gozou dentro, nossa que delicia, ele foi se lavar quando voltou eu fui tomar banho, quando voltei ele estava socando a rola nela de novo, ela cavalgando naquela rola, rebolava que nem louca, pulava sobre aquela rola, ele meteu com ela de todas a formas, ai quis também comer o cu dela, ela adora da o cu mais como a rola dele a muito grossa eu achei que ela não iria deixar, me enganei sofreu, gritou, chorou, mais ele não perdoou socou forte ate o saco, nossa e bombava forte, deixou ela toda arrombada, nossa que dia maravilhoso, alem de encontrar os amigos a época, tirar uma frustração da minha cabeça e ainda presenciar pela primeira vez um outro homem metendo na minha esposa, e ser nada mais nada menos que meu amigo mais querido o Fernando. Foi maravil hoso, hoje ele mora perto a gente esta sempre se encontrando ele vem em casa nos vamos na casa dele, e estamos metendo gostoso, maravilhoso. Temos uma outra passagem que aconteceu neste tempinho, que depois eu conto para vocês, envolvendo o Fernando também, ele nos aprontou um legal, o cara e muito safado mesmo. Espero que tenham curtido.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 2 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder anônimo ID:8p6h53h8rd

    Sorte sua ter reencontrado seu amigo, eu dava prá um amigo negro muito dotado só tinha treze anos quasse não aguentava mudei de cidade nunca mas reencontrei ele nunca dei pra más ninguém sou casado mas não esqueço do cacete dele nuncá dei pra más ninguém mas se ele aparecer daria 22 anos que penso nele hoje tenho 35 não tenho coragem de da pra outro ele tenho pq foi o único