,

Depois que Casei Meu Ex Me Chantageou, e Pior Que Gostei

27-07-15 7 ★ 0.00

EU QUANDO ADOLESCENTE TIVE ALGUMAS AVENTURAS SEXUAIS, QUE MAIS TARDE QUANDO CASADA VIERAM A TONA, E MEU EX NAMORADO SOUBE APROVEITAR PARA ME CHANTAGEAR

Eu gosto muito de ler tudo, livros romances e contos, as vezes costumo entrar em sites de contos eroticos pra ler e saber de aventuras acontecidas com outras pessoas, eu já li varios relatos, alguns excitantes, outros nem tanto, pra dizer a verdade alguns nem valeu a pena perder tempo lendo, e depois de algum tempo visitando e lendo esses sites, criei coragem pra relatar algo que me aconteceu, é claro que para preservar-me eu não vou dizer os nomes verdadeiros nem a cidade porque moro numa pequena cidade do interior.

Vou começar me descrevendo, hoje eu tenho 34 anos, casei-me com 22, mas quando aconteceu isso comigo eu tinha 25, e eu sempre fui uma moça recatada de familia, educada nos mais rigidos padrões interioranos, educação daquela que a moça ainda tinha que casar virgem, mas eu não casei-me virgem, e meu marido já sabia disso porque eu contei, quando ainda namoravamos só não dissse quem foi, antes de meu marido eu tive varios namoradinhos que a gente se amassava e se tocava intimamente mas eu nunca deixei nenhum namorado me penetrar apesar das tentativas…, mas que eu perdi a virginidade mesmo foi aos 15 anos com um namorado 8 anos mais velho que eu, chamado Adilson com esse namorado a gente aprontava loucuras juntos, ele tinha uma caminhonete tipo saveiro,equipada com som, rodas e tal, ele era mulherengo mas era o cara mais cobiçado da cidade, mas eu que namorava com ele, então ele sempre me pegava na saida do colegio de segundo grau que eu estudava e iamos para algum lugar bem afastado da cidadezinha estacionavamos normalmente debaixo de algumas arvores por causa da sombra, e ali ficavamos nos amassando e nos beijando.

E foi nessa caminhonete que eu perdi o meu selo, vou contar como foi , as vezes depois das aulas ele me pegava e a gente saia pra namorar e tinhamos um lugarzinho que sempre iamos a beira da rodovia numa estradinha secundária tinha um capão de bambus então ele estacionava embaixo da sombra ao mesmo tempo que a caminhonete dele não ficava visivel a quem passase e nesse local namoravamos e nos tocavamos intimamente, eu o masturbava ele me pedia pra chupar e eu sempre o chupava, ele gostava de tirar fotografias intimas da gente, eu bobinha até fazia certas poses, ele fez varias tentativas de me comer mas devido a minha criação eu negava, os amassos eu até deixava porque na minha cabeça as caricias desde que não deixasse me deflorar eu não achava que era de todo errado, até que chegou um dia eu tive que deixar. e foi assim, depois dele me pegar no colegio fomos ao local de sempre, ele abriu a porta, saimos mas ficamos encostados na caminhonete e depois de muitos amassos depois dele chupar meus seios, depois de eu chupa-lo como sempre fazia ele baixou a tampa trazeira da caminhonete, forrou com umas cobertas que ele havia trazido depois me colocou-me sentada na tampa, levantou minha saia e tirou minha calcinha, até ai tudo bem porque ele sempre me masturbava, só que dessa vez ele baixou as calças e colocou o pau dele no meio das minhas coxas e me falou Vera vai ser hoje, hoje eu quero ir até o fim eu to maluco e tarado por voce…. dizendo isso ele me deitou na caçamba e puxou contra si e foi enfiando, eu fechei as pernas instintivamente e tentei dificultar, impedir, mas ele ficou bravo na hora e disse Vera, para de regular, já fizemos de tudo só falta isso porque regular agora, Eu ainda sim dizia pra ele que não, então ele bravo me falou, tudo bem, se não quer

tem quem queira, levantou as calças começou a abotoar e disse, vou te levar pra casa mas pode esquecer-me, não vou ficar nessa lenga lenga, eu bobinha com medo de perder ele acabei cedendo pedi desculpas e falei pra ele não ficar chateado, ele estava tão tarado que nem fez cerimonias, deitou em cima de mim e enfiou duma vez retirando meu cabacinho e meu sangue correu ali na caçamba duma caminhonete, foi assim minha primeira vez, depois disso a gente ficou mais uns 8 meses, acabei engravidando mas ele me fez abortar e tirar, arranjou até um medico em outra cidade, e depois ele foi se afastando até que um dia eu peguei ele com outra e acabamos terminando tudo, depois tive outros namorados e como eu já tinha iniciado minha vida sexual, transei com todos, só que eu me cuidava e tomava pilulas pra não engravidar.

Quando completei 18 anos meu pai arranjou um emprego em outra cidade e se mudaram, eu ainda solteira tive que me mudar com eles, mas os meus parentes todos ficaram lá, com essa mudança eu já estava mais velha mais adulta e cidade nova vida nova, comecei a trabalhar numa empresa como recepcionista, e levei varias cantadas de clientes e colegas de trabalho, mas soube resistir a todas com classe, foi onde conheci a pessoa com quem me casei e estou casada até hoje, e meu passado ficou lá na cidadezinha onde eu morava, mas como o passado as vezes volta a tona, as vezes em feriados ou fim de semana iamos visitar meus avós e tios que moravam numa chacara onde praticamente cresci, eu ia sempre pra rever colegas, nem sempre meu marido ia comigo e numa dessas viagens meu marido não quis ir junto então fui sozinha, resolvi então ir visitar uma amiga do tempo de colegio que tambem já estava casada, pedi pra um dos primos me dar uma carona de carro até a cidade, como a noie estava bem quente resolvemos sair pra ir tomar alguma coisa na lanchonete que costumavamos frequentar, e por uma dessas armadilhas do destino quando estavamos tomando um lanche, eis que entra o Adilson aquele meu ex namorado que eu nunca mais tinha visto desde que eu tinha mudado, ele assentou-se na nosa mesa, começamos a conversar relembrar loucuras do tempo de colegio então ele começou a pagar rodadas de cerveja, como eu sou fraca pa bebidas logo estava meio alegrinha.

Como já passavam das 09:30hs da noite e no interior o pessoal dorme mais cedo eu disse que tinha que ir o Adilson prontamente se ofereceu pra me levar a principio eu não queria, mas como a chacara fica um pouco afastado da cidade e eu teria que passar a pé por um pedaço escuro… acabei aceitando, ele deixou minha amiga em casa e continuamos… eu fui inocente acreditando que ele só iria me dar a carona porque no meio do camiho ele parou o carro e tentou me beijar, claro que eu revidei, disse que não que agora eu tava casada, eu disse não e ponto final mas ele foi insistente e disse Vera eu tambem to casado isso não importa eu to com saudade dessa bucetinha e vou comer de novo não adianta espernear, eu disse que ia descer se ele continuasse, mas ele foi mais atrevido e falou, Vera, eu ainda tenho algumas daquelas fotos suas pelada e me chupando, que será que seu marido iria dizer se visse, eu fiquei vermelha na hora… eu morreria de vergonha, então me vi perdida, nas mãos dele, afinal se eu cedesse e desse pra ele, estaria nas mãos dele e com certeza ele não se satisfaria numa vez só, mas o que fazer… um dilema, mas eu não tinha escolha, teria que transar com ele de novo mesmo sabendo que teria que dar pra ele cada vez que nos encontrassmos.

Sob chantagem acab ei concordando, afinal já tinhamos feito tantas loucuras não seria tão ruim assim, o unico problema era eu agora estar casada, e então ele saiu dali, deu meia volta no carro, dessa vez me levou pra um motel o unico da cidade, eu morrendo de vergonha, vai que algum conhecido me visse, então me encolhi toda dentro do carro eu estava indo pro sacrificio como não tinha jeito resolvi então que já que não tinha jeito mesmo o melhor seria curtir mesmo aquele momento.

Mal entramos no quarto ele como um animal faminto ainda de pé me atacou, beijou-me e falava ao meu ouvido, Vera vc não sabe o quanto eu queria voce de novo, e dizendo isso beijava meu pescoço, amassave meus seios por baixo da blusa, que em pouco tempo estava toda aberta e meus seios de fora, com ele mamando, então ele me abaixou e fez chupar seu pau que eu já tinha chupado muitas vezes dentro do carro mas nunca fomos pra motel porque na epoca eu era de menor,

ele então me arrastou até a cama começou a beijar-me todinha desde o pescoço até os pés, numa volupia sem igual, eu estava supre excitada, então ele me deitou e retirou o resto da minha roupa, e novamente começou a beijar meu corpo todo, minhas coxas até chupar meu grelo eu estava super excitada que gozei na hora.

Depois disso então ele veio pra cima de mim e enfiou aquele pau agora na buceta toda melecada de tanto tesão e a gora sem resistencia, comecei a curtir aquele momento, eu já tinha transado com ele varias vezes, mas o fato de agora eu estar casado é que me excitava mais ainda, o gosto do proibido me excitava, aquele pau gostoso dentro da minha buceta naquele momento eu já tinha até esquecido que era casada, e me entreguei aquela paixão proibida agora mais gostosa ainda, ele dizia palavras obscenas ao meu ouvido, me chamava de vadia casada, me chamava de puta e bombava forte até que gozamos, quando dei por mim eu estava apavorada, já passava da meia noite, como eu explicaria atrasar tanto, mesmo porque em cidade pequena eu poderia ser vista, isso me apavorava, pedi pra ele me levar embora mas ele disse que não ainda, que antes de me levar pra casa queria um presente.

Perguntei o que ele queria, ele falou quero comer sua bundinha, eu falei tá louco nunca fiz anal, disse que não faria ele então me chantageou de novo e disse que se eu não cedesse ele não me levaria iria atrazar mais ainda, eu implorava que ele me levasse ele só sorria e dizia então é só vc me dar, depois de varias tentativas de eu convence-lo de me levar acabei cedendo senão iria atrazar mais ainda, mas falei pra ele que teria que ir devagar porque eu era virgem ali ainda, ele sorriu e me disse então vou ser o autor de tirar o cabaço tanto da buceta como do cuzinho adorei saber…… e dizendo isso foi colocando a cabeça na porta do meu rabinho gelei porque doeu quando ele forçou com a dor eu dei um pulo pra frente tentei escapar mas ele me segurou forte e numa só estocada enfiou o resto, chegou a sair lagrimas dos meus olhos porque ele não tava nem ai com minha dor e continuava socando aquele pau na minha bunda, depois de um certo tempo meu corpo já tinha se acostumado com aquele invasor acabei relaxando mais e curtindo, mas eu estava doida de vontade que ele acabasse logo para eu ir embora, eu não estava tranquila.

Depois que ele terminou nos lavamos rapidamente nos vestimos e ele me deixou na frente da chacara onde meus parente moravam, mas antes dele ir embora me falou,,, Vera, adorei nossa noite juntos eu vou te querer sempre que vier aqui, e se vc tentar fugir eu vou atraz nem que eu tenha que ir até onde vc tá morando, senti um calafrio na hora, porque eu não tinha como escapar dessa chantagem… ´e sabia que essa historia não ia acabar ali

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)

,

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. correa

    Parabéns muito bom o conto fiquei com muitíssimo tesão me chamem no wat 12981959266 casais e casadas carentes. Sigilo absoluto

  2. dumau

    Me chamem (31)97612019

  3. Bernardo

    Andre si VC quizer eu como VC na frente do corno VC quer meu wat 03798427301

  4. Andri

    Hum adorei seu conto Vera,tbm pdrdi minha virgidade dentro carro mas eu tinha 11 anos,agora tbm sou casadase se tivesse oportunidade daria p ele tbm mas qfia q meu marido fkasse so olhando.

    • Anônimo

      [email protected] add

    • Anônimo

      Me chama no Whats fogosinha 016991562229

  5. Bernardo

    Um verá também quero meu wat 03798427301