# #

Fantasia realizada com louvor na chácara de um amigo

1852 palavras | 10 |5.00

Bem meu nome e João, sou uma pessoa madura, sou casado, minha esposa uma loira madura também mais bem conservado gostoso, umas pernas grossas, uma bunda saliente, carnuda, bonita, adora vestir roupas provocante, curtas , apertadas par delinear bem a bunda, na praia adora mostrar a bunda, de fio dental, ela e toda bronzeada, no início eu fica bravo, discutia com ela a gente brigava muito, eu dizia que ela parecia uma puta se mostrando, mais ela não estava nem ai, com isto fui ficando exitado com situação, e na hora de transar com ela eu falava que ela era uma puta que estava querendo dar para uma rola grossa ela vibrava gozava muito, ate que um dia ela me perguntou se eu estava querendo ser corno, e dizia você quer que eu de minha boceta para outro seu corno e a gente gozava gostoso, mais nunca rolou nada real, só sonho mesmo, não tínhamos coragem e nem oportunidade.

Quando foi agora no início do ano de 2015, fomos convidados para passar um final de semana em uma chácara de um amigo meu, já trabalhamos juntos, falavam na empresa que ele tem uma rola grossa, cabeçuda, ate falavam que não sabiam como a mulher dele aguentava, bem eu já fui com segunda intenção mais não comentei nada com minha esposa, fiquei só na expectativa de rola alguma coisa, minha esposa gosta de beber mais bebe um pouco a mais começa a ficar saidinha, se entrega as conversas de sexo, piadas, e fomos num sábado.

Quando chegamos lá nossa muita gente a família dele em peso, minha esperança foi para o vinagre, a casa era pequena, para tanta gente, eu mesmo só conhecia ele e a esposa dele que por sinal muito biata, não se mistura, a famílias era mais da parte dela, começamos logo cedo a beber, acabei conhecendo o caseiro dele um senhor da nossa idade, negro forte, simpático muito falante brincalhão, que acabamos fazendo amizade, brincamos, falamos de tudo, mais dentro do respeito, a família do Celso e meio conservadora, o Valdir o caseiro já e mais liberal, o Celso também é mais a família não, bebemos muito, tanto que ate acabou a bebida fomos buscar mais, foi eu o Valdir e minha esposa no carro, ela com um shortinho branco justinho e uma camiseta , nossa estava uma delicia o Valdir não tirava os olhos dela, no bar bebemos mais uma cerveja e no carro comecei com piadas pesadas, e contei uma que dizia que mulher de amigo meu e homem, só como o cuzinho, ele riu muito, eu então perguntei na brincadeira você e assim Valdir, ele disse eu como e tudo mesmo, e riu, chagamos, e tome bebida, eu já imaginando mais pensei como sendo a primeira vez eu nunca havia conversado com ela sobre negro, fiquei meio apreensivo de falar alguma coisa e ele dizer não, deixei rolar o papo.

Já por volta de umas 22 horas o pessoal começou a se recolher, o Celso veio conversar comigo sobre a onde dormir, mandou a gente se virar, a sala estava cheio de colchões os quartos eram dos mais chegados, eu então disse não se preocupe durmo no carro mesmo e só uma noite, e ficou eu minha esposa e o Valdir conversando e bebendo, já passava da meia noite, a casa toda apagada, minha esposa disse que iria tomar um banho para dormir, foi quando o Valdir convidou a gente para dormir na casa dele, era uma casa pequena também um quarto e cozinha, mais seria melhor do que dormir no carro, aceitamos, fomos ate a casa dele bem no fundos da chácara, tudo bem limpinho uma cama de casal, minha esposa foi tomar um banho ficamos conversando eu acabei comentando novamente que mulher de amigo meu e homem só meto no cu, ele riu e respondeu que nada tem que meter em tudo, eu então disse e mesmo, tu teria coragem, ele disse pó claro, só de falar já estou de rola dura e mostrou eu diss e nossa a coisa e grande, ele disse 20 cm por 10 e grossa, só que não era cabeçuda ela encorpava em grosava do meio para o saco, muito grossa mesmo, nisso minha esposa saiu do banheiro, com um camisão comprido, ela tem os seios grandes dorme com ele soltinho, veio tomar uma cerveja, o Valdir foi tomar um banho, eu então falei a ela você vai dormir assim, vamos dormir os três na mesma cama, ela disse e o que tem, eu falei deveria ter colocado um shortinho, ela disse assim esta bom, e saiu falando que iria deitar e percebi que ele também que ela estava sem calcinha, nossa minha rola ficou dura na hora, já fiquei imaginando que seria o dia, se ela estava assim estava querendo, já fiquei imaginando aquela rola lá dentro, nossa que tesão, o Valdir saiu do banho, eu falei se quiser ir deitar, ele perguntou nos vamos dormir os três na cama, eu disse e claro, sem problema, ele já havia desconfiado alguma coisa, eu para provocar disse a ele olha o que você disse sobre mulher d e amigo seu, o que você faz, e fui tomar banho, mais voltei a falar se quiser pode ir deitar, tomei banho rapidinho mas fiquei só observado os dois conversando, e vi que ele virou a bunda para ele, e a camiseta subiu mostrou que ela esta sem calcinha, ai ele não pensou duas vezes, caiu de boca na boceta dela chupando ela todinha, que delicia, ela gemia ele tirou o shorts e deu a rola para ela chupar nossa quando ela viu não acreditou, eu entrei no quarto ela disse amor olha só o tamanho desta rola, eu disse se você acha que não aguenta deixa quieto, ela disse não agora que começou tem que ir ate o fim, e ficaram se chupando o Valdir um negrão limpinho, cheiroso, ela começo a chamar ele vem negrão vem coloca esta rola aqui dentro vem, mais coloca de vagar, ele foi devagarinho introduzindo aquilo tudo dentro dela de papai e mamãe, entro no meio das pernas dele e arregaçou a boceta dela,para entra não foi difícil mas do meio para dentro nossa ela começou a pedir devaga r esta me arrombando, nossa como e grossa, mas eu vi quando ela trançou as pernas na cintura dele e eu por trás só vi as bolas de fora, acabei gozando duas vezes, ele socou muito ate gozar ela também gozou varias vezes gemendo muito, e alto, fiquei ate com medo se alguém escutasse, mais o meu tesão era maior deixei rolar, nossa ele gozou parecia um cavalo de tanta porra, na hora nem pensamos na camisinha ele gozou dentro mesmo, ficaram ali deitas por alguns segundos se curtindo ele a beijava na boca chupando a linguá dela, ele saiu de cima dela ela pediu amor vem chupar minha boceta vem, eu meio constrangido mais não aguentei chupei ela todinha lambendo aquela porra todinha, e ela dizia isso seu corno chupa a porra do meu macho, nossa aquilo aumentava o meu tesão, ela então mandou eu chupar a rola dele também, paguei uma chupeta para ele deixando ele limpinho e de rola dura de novo, fui me lavar peguei uma cerveja e levei para eles, e sai do quarto de novo, ele virou ela de bunda para cima, ela disse ai não eu não aguento, sua rola e muito grossa, ela adora dar o cu mais, ele insistiu, pedindo para ela tentar pelo menso, eu então falei você vai desistir sem nem tentar, peguei o creme de cabelo dela e lambuzei a rola dele e o cu dela, começou colocando de lado ela foi empurrando a bunda para trás entrou, mais do meio para frente era o problema, gemia muito dizia devagar, deixa assim, quando deu conta ela estava com uma das pernas em sima dele bem aberta e a rola todinha lá dentro, nossa que delicia, ele a virou de bruco e ficou o vai e vem delicioso, nossa ela gemia muito, ele socava a rola todinha lá dentro, e dizia nossa que cu gostoso, demorou muito para gozar judiou do cu dela, também gozou um monte, eu não quis nem sabe se tinha creme, se era no cu, acabei caindo de boca chupando a rola e o cu dela, chupando aquela porra todinha, nossa que delicia, acabamos adormecendo, desmaiamos, quando acordamos o Valdir já tinha acordado tomado b anho e ido na padaria buscar pão para o café, de todos da casa e para nos também, ela levantou tomou um banho, e se deitou de novo e pelada pois o Valdir não estava em casa, eu fui tomar banho, quando sai do banho o que vejo o negrão metendo nela de novo, gozou gostoso, se arrumaram tomamos café, eu pedi sigilo para o Valdir, não comentar nada sobre o que tinha ocorrido, mais ela falou mais vocês vão voltar aqui não vão, ela disse com certeza, e fomos para o quintal.

O pessoal já estavam de pé começamos a assar uma carne, e beber, eu não podia beber muito pois estava dirigindo e tinha que vir em bora, o Celso perguntou então foi boa a noitada, eu disse nossa maravilhosa, ele disse legal, perguntou para minha esposa se havia curtido gostado, ela também respondeu que sim adorou, ele então disse a ela que um dia iria marcar para vir só nos três, e curtir legal, ela então me contou, e perguntou será que o Valdir comentou alguma coisa, eu disse e claro que não, e numa oportunidade eu comentei com ele minha esposa disse que vamos vir um dia só eu você e ela, ele disse sim e o Valdir, eu perguntei por que o convite assim, ele então me respondeu olha amigo eu adoro sacanagem, e a noite procurei por vocês e vi pela janela vocês metendo com o Valdir eu adoro, mais pode ficar sossegado isto e sigiloso e discreto, eu disse depois a gente conversa, e comentei com ela e aproveitei para dizer que o Celso também tem uma rola enorme grossa e cabeçuda, e perguntei teria coragem, ela disse depois desta noite eu topo tudo, e só marcar que eu venho, mais isso e uma outra historia que conto numa outra oportunidade, espero que tenha gostado, esta foi a minha primeira vez maravilhosa, hoje se damos ate melhor somos mais amigos. deixamos de ser marido e mulher somos amantes, fazemos o que temos vontade, sempre com muito sigilo e discrição.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 5 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

10 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Índio safado ID:40vpqueq2098

    Email para mulheres safadas [email protected]

  • Responder Marido com tesão ID:e9q2i8d9dl

    A minha esposa também adora putarias, mas ainda não tivemos coragem de colocar outro macho no meio, a não ser nas conversas durante as transas. Mas ela anda tão safada que chega a gozar só de pensar em sentar noutra pica. Já fizemos muitas putarias e exibicionismo, mas só isso. Agora ela está com coragem para experimentar outro homem, coisa que nunca fez, pois sempre foi só minha. Essas oportunidades, quando aparecem, devem ser agarradas por que podem não mais acontecer. Parabéns ao João, que não ficou no egoismo e liberou a putinha para experimentar outro macho.

  • Responder tony ba ID:e9q2i8d9dl

    Eu quero ler a volta de vocês à chácara, pra saber se sua putinha liberou você para o Celso e para o Valdir.

  • Responder [email protected] ID:hecya6w8ik

    OLA JOÃO
    MUITO BOM SEU RELATO
    GOSTEI….EXITANTE
    ABRAÇOS

  • Responder forasteiro ID:hecya6w8l0

    Muito bom gostei

  • Responder forasteiro ID:hecya6w8l0

    Joao quem sabe podemos ser amigo
    Deicha seu zap

  • Responder Tony Ba ID:8p6h53g6iir

    Bacana. Ser CORNO deve ser tudo de bom. Poder dividir a esposa com um ou dois Machos roludos deve ser o máximo e se ela deixar o Corninho lamber e chupar os cacetes depois que chupar a buceta dela esporrada melhor ainda. Pau ja chupei e recebi o leite, falta chupar uma buceta leitada. [email protected]

  • Responder João ID:8ds77kjoiij

    Ola Fernando ate poderia mesmo travar uma boa amizade, tens uma idade boa, pena que é de longe, se fosse aqui de Santos ate poderíamos manter um contato, um abraço e obrigado por ter respondido e compreendido, diferente de alguns imbecis que ficam criticando, se cada um cuida-se da sua própria vida seria bem melhor.

  • Responder Anônimo ID:8ds77kjoiij

    Ola Fernando ate poderia mesmo travar uma boa amizade, tens uma idade boa, pena que é de longe, se fosse aqui de Santos ate poderíamos manter um contato, um abraço e obrigado por ter respondido e compreendido, diferente de alguns imbecis que ficam criticando, se cada um cuida-se da sua própria vida seria bem melhor.

  • Responder pirocudo ID:vwx96n5q5

    e corno do caralho