, ,

Enfermeira gostosa (LOIRA DA GERAL)

02-05-15 0 ★ 0.00

Bom sou o Thiago,tenho 39anos, casado, tenho dois filhos e atualmente minha mulher ta grávida… Me considero safado, gostoso e mulherengo!!!
Neste conto vou relatar meus romances em um hospital particular de minha cidade ,no interior do Rio Grande do Sul, aconteceram entre os anos de 2013 e2014.
Bom trabalhei no hospital na manutenção ( conserto de cama, poltrona, chuveiro, etc.) . E minha esposa também trabalha lá ná telefonia, bem como é de conhecimento geral há mais mulher do que homem trabalhando em hospital, além do mais , os enfermeiros são bonequinhas….Meu primeiro alvo de cara quando ha vi sabia k iria fuder- lá gostoso, foi a enfermeira ( LOIRA DA GERAL) como era conhecida , CLAUDIA uma delicia de mulher… Loira( não natural) seios fartos, big bunda, cintura fina, coxas grossas , estilo violão…
Conheci no refeitório na hora do lanche, ela com seu uniforme de enfermeira ( blazer branco, calça social azul marinho, sapato de salto branco) me deu um tesão, louco então comecei à ir para o lanche no mesmo horário do k o dela… Secava sem pará e CLAUDIA nem bola pra mim.. então banquei o detetive e descobrir seu telefone, k ela é casada,tinha duas filhas, seu marido estudava direito e trabalha numa revendedora autorizada da Ford( vendedor).
Tudo começou quando tive k fazer um conserto de uma poltrona no setor da clínica geral,daí o apelido, fui até seu andar e chego no posto de enfermagem e peço em k leito é? Uma tec. enfermagem me disse k seria o leito 319, mas k teria que espera a enfermeira CLAUDIA chegar , pois o leito estava chaveado e a chave ficava com ela… Aguardem uns 5 min e chega a minha linda, oi veio conserta a poltrona? Sim, respondir bem seco e firme. Vem comigo , abriu o quarto e entramos, era uma suite como roll para visitantes e sofá, cama para cuidadores, poltrona e cama para pacientes, frigo bar,CLAUDIA sempre na minha frente com um andar k me excitava sem falar na sua bunda gigante dura.
Não resistir e passei de leve a mão naquela bunda durinha e coxas grossas, CLAUDIA me olha com um olhar safado e fica quietinha, aí como ela permaneceu de costas pra mim, ela tava entre eu e a poltrona, não perdir a chance e encoxei já de pau duro, CLAUDIA temeu baixinho,aaaaiiii k gosto foi até a porta e trancou- a… E veio na minha direção disse e agora ainda tá com tesão,abrir a parte de baixo do macacão meu pau ainda duro, mostrei pra ela , então CLAUDIA começou a punhetia- lo bem gostoso com uma mão bem macia eu a ajoelhei e fez um boquete com uma boquinha de veludo ficou uns 10 min levantei e virei abaixei sua calça e sua calcinha fio dental até o joelhos, ela se apoiou na poltrona comecei pincelando sua bucetinha, meti com força e sem dó CLAUDIA temeu baixo, e pediu: apaga o fogo dessa vadia. Foi música pra mim comecei a xingar- lá puta, safada tu é casada e tá trepando com outro macho… E ela : meu corno não dá conta!!! Ah cadelinha vou apagar teu fogo, seguirei – a pela cintura e barriga e metia cada vez mas forte!!! CLAUDIA gemia baixo e dizia me fode gostoso tava de olho em ti há muito tempo,come a xaninha dessa putinha… Claro mimha linda, vem cá minha cadelinha pegando pelos cabelos e colocando no sofá e no frango assado fudendo ela gritou baixinho o primeiro gozo, bombei mais um pouco e novo gozo dela.. Sem tira de dentro dela levantei- a e contra a parede mentir sem dó e ela me ajudou no sobe e desce e gemendo me disse k iria gozar novamente e disse: safado, gostoso tu apagou meu fogo quero o teu leitinho… Metir mais uns estocadas e venho o gozo soltei minha um pouco de gala na grutinha e apertei meu pau com força abaixei-a e mentir minha vara na boquinha de veludo soltando todo minha gala: putinha engole tudo, minha cadelinha limpa meu pau direitinho,CLAUDIA obediente fez com maestria, vai se arruma minha linda safada com tapa na bunda, ela foi até a porta barra limpa, s aímos CLAUDIA um pouco na frente e um tec. enfermagem avisa ela k sua calça estava molhada na bunda e coxa… Eu passando por elas com um sorriso maroto para ela, a vadia sabendo k era minha porra nem vermelha ficou disse k havia se encostado na parede molhada. Kkkkk
Espero comentários….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)

, ,

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos