Tornei me corno e não pude reclamar nada parte II

Bem como relatei para vocês no primeiro conto convenci minha esposa a dar para o Fernando um cara que conheci pelos anúncios da Revista Private, e depois ela me confessou que tem um tesão por um amigo meu o Jacob, que já algum tempo ele vem olhando para ela com olhos de cobiça e tesão, mais que ela nunca deu nenhuma entrada para ele, mas que agora sabendo que eu gosto de ser corno queria transar com ele, mas que ela mesmo queria dar a chance dele cantar ela, e que não queria que o Jacob soube da minha aprovação, queria que ele pensasse que ela estivesse me traindo mesmo, e pensar que sou um corno mesmo, não sei se foi para me castigar ou me desmoralizar com meu amigo mais acabei aceitando, por que se não ela não iria mas querer sair novamente com o Fernando ou com outro que eu arrumasse, então deixei ela fazer o que quisesse.

Quando foi num final de semana eu precisava trocar o telhado da minha garage combinei com o Jacob ele e mestre nisso aceitou me ajudar, então no Sábado bem cedo começamos a fazer o trabalho, minha esposa como já disse no outro conto e uma loira bonita, altura mediana, uma pernas linda, uma bunda maravilhosa, carnuda empolada, que chama muito a atenção, e que adora dar o cu, se vestiu bem safadinha, colocou um shortinho de coton apertadinho que para mim estava sem calcinha, delineava bem a sua bunda e entrando na boceta, dava para ver a divisão dos lábios vaginais, entrava dentro da boceta, começou trasando um cafezinho logo cedo, e ficava passando para lá e para cá se mostrando, fazia questão de ficar de frente para o Jacob, ele não tirava os olhos da boceta dela, depois trouxe uma cerveja, e assim não saía do nosso lado, já quasse no final do serviço isso era umas 10:30 horas, para fazer o fechamento do telhado tive que sair para comprar um material, deix ei os dois sozinhos.

Acabei demorando um pouco mais do que o costume, a loja estava cheia,quando eu abri o portão e entrei minha esposa veio ao meu encontro toda sorridente, e me deu um beijo na boca de linguá, o Jacob estava no banheiro, ele subiu no telhado para terminar o serviço eu fiquei em baixo, ela voltou a me beijar na boca, o Jacob viu, ela falou no meu ouvido baixinho gostou, e entrou eu fui atrás e perguntei gostou do que, ela me disse que o Jacob depois que eu sai jogou uma piadinha para ela, dizendo que ela estava muito gostosa, ela disse que fez uma pose dizendo você acha, ele falou nossa que coisa inchada, ela disse que passou a mão, e mesmo, gostou, ele não aguentou ela disse que ele tirou a rola para fora e mostrou a ela dizendo já pensou isso tudo ai dentro, ela me contou Amor a rola do Jacob e mais grossa do que a do Fernando, eu já sabia só não queria comentar nada com ela a respeito, por ele ser meu amigo fiquei um pouco envergonhado, e mandou ela pegar na rol a dele, ela disse amor dura que nem pedra, cabeçuda, ele queria meter ali mesmo, mais eu não deixei queria foder bem mais a vontade e longe da li, ele então disse a ela e eu vou ficar assim de rola dura, ela então pegou e começou a chupar a rola dele, quando ele foi gozar pegou na cabeça dela não deixou ela tirar da boca e gozou dentro fez ela engolir toda a porra, foi logo que você abriu o portão ele correu para o banheiro não deu nem tempo deu lavar beijei você com a boca cheia de porra, eu então disse a ela não lava não espera um pouco, logo terminamos o serviço ele acabou indo embora, também por que estava meio nervoso, se despediu e foi embora, eu fui logo conversar com ela comecei beijando ela e chupando sua linguá e acabei gozando também na boca dela, ela então me disse que havia combinado com ele no dia seguinte ir a um motel, Domingo, quando foi uma 16 horas ela saiu, toda produzida linda, eu fiquei de rola dura só pensando o que iria acontecer .

Lá pelas 21 horas ela me chega, sentou no sofá, eu já estava peladinho, eu perguntei e ai como foi, ela disse amor o cara parece um cavalo, a rola dele e muito grossa, cabeçuda, estou toda dolorida, e ele metia sem dó nem piedade, me chamava de puta sem vergonha, cachorra, você esta traindo o meu amigo, e metia mesmo, nossa no começo doeu muito depois foi acostumando ele estava com o tesão recolhido nossa gozou umas três vezes sem tirar a rola de dentro, ele levantou foi tomar banho, voltou e queria por que queria comer o meu cu, mais eu não queria deixar pois iria doer muito, ele então começou a me xingar de vagabunda, puta safada que ficava mostrando o cu e na hora não quer deixar meter nele, aquilo me deu um tesão, e ainda ele falou que se eu não deixasse ele comer meu cu ele iria contar para você que eu tinha chupado a rola dele e que eu te beijei com a boca cheia de porra, eu fiz um docinho, dizendo a ele não vai fazer isso meu marido me mata, ele dis se você e que sabe, eu então disse a ele que ele teria que fazer devagar, ele então começou a colocar aquela rola na minha bunda, passou um creme, e tentou umas três vezes ate que empurrou ate a metade nossa doeu um pouco a hora que entrou, mais depois ele empurrou todinha lá dentro e ficou fodendo meu cu, nossa como demorou para gozar de novo, eu já não estava aguentando mais, ele gozou, nossa quanta porra, troquei de roupa e viemos embora, me deixou aqui na esquina, não tomei banho estou toda melada, senti escorrer porra na perna agora na saída do carro,nossa ela tirou a roupa e eu cai de boca na boceta dela chupei tudo a boceta o cu chupando aquela porra todinha, que delicia que tesão, ela ainda dizendo isso seu corno chupa a porra do meu amante, chupa, e isso que você queria ser um corno, e chupar a porra dos meus machos,, agora vou te cornear muito e trazer bastante porra para você, seu corno, e eu gozai na boca dela e se beijamos nossa que delicia.

Eles chegaram a sair mais algumas vezes, mais notei que a minha amizade ficou comprometida, o Jacob, estava me evitando, depois de alguns meses, senti que ele não me chamava mais para tomar umas cervejinhas, resolvi então a convidar ele para beber algumas cervejinha, ele meio desconfiado, eu perguntei a ele o que houve você esta me evitado, não tem me chamado mais para beber, aconteceu alguma coisa, ele meio nervoso disse não não houve nada, depois de ter tomado já algumas já meio altinho, eu então falei olha vou ser muito sincero com você, eu sei que você anda saindo com a Marta, ele ficou nervoso, eu disse calma, eu sabia de tudo, ela disse que tinha tesão por você e como você e meu amigo eu deixei ela dar para você, mais nem por isso a nossa amizade precisa acabar tem que melhorar, e se você topar a gente pode fazer uma brincadeira a três, eu adoro ver ela dando gostoso, você pode ir lá em casa e meter com ela lá mesmo, e quando quiser também sair c om ela sozinho também pode sem problema, e assim hoje somos grandes amigos e amantes, ela mete com o Fernando e com o Jacob, mais já esta se insinuando para um negrão que e guarda municipal na escola que ela trabalha, ela e professora, mais o cara esta com receio sabendo que ela e casada e professora, mais ela disse que não desistiu, mais quando acontecer eu conto para vocês, espero que tenha sido publicado os dois contos, espero que tenha gostado. ,

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...