Ninfetas do Curso de Inglês

O q passo a narrar é inteiramente verídico, trocarei apenas os nomes por uma questão de privacidade. Tenho 33 anos e sou um cara normal de corpo, o q me aconteceu foi há exatos 2 anos. Precisei fazer um aperfeiçoamento em inglês e procurei um cursinho, pois há muito não falava o idioma, enfim fiz um teste e fui indicado a entrar no 3º. Ano. Logo no primeiro dia de aula fiquei pasmo, uma garota sentou-se a minha frente, vou chamá-la de Ana, era um ninfetinha absurdamente gostosa, seios pequenos, coxas grossas, bunda arrebitada, só era um pouco baixinha, mas isso era o de menos. Ela usava uma minissaia jeans e esforçava-se para não mostrar a calcinha, uma barriguinha linda com o umbiguinho a mostra e um top. Fiquei de imediato abobalhado e não prestava atenção mais em aula alguma, era impossível tirar os olhos da menina.
Após o término da aula ansiei para que chegasse logo o outro sábado (as aulas eram todas as manhãs de sábado). Porém ao entrar na sala não vi a garota, pensei q tivesse faltado, mas ao largar encontrei-a no estacionamento, perguntei pq ela não estava na minha sala e ela falou q tinha aberto outra sala, e que ela tinha sido convidada a ir pra outra, brinquei dizendo q era uma pena e perguntei como ela ia pra casa, ela falou q ia a pé, morava perto e tal, fiz questão de dar uma carona, o q ela aceitou, ao levá-la em casa perguntei sua idade e ela disse q tinha 18, achei q fosse conversa, pois ela parecia menos, apesar do corpo bem desenvolvido.
No outro sábado ela estava na minha sala, perguntei o q houve e ela apenas disse q tinha pedido pra trocar, melhor ainda, pensei. Ao terminar a aula ofereci uma carona, e fomos papeando, isto começou a sempre acontecer, e ficamos amigos, conversávamos por telefone, mensagens estas coisas. Certo sábado, ofereci a carona mas ela disse q não ia pra casa, pois tinha marcado pra encontrar com uma amiga no shopping, apesar da distância não me fiz de rogado, ofereci a carona. Ao chegar no shop ela perguntou se não queria conhecer a amiga, disse q tudo bem, q podíamos até almoçar por lá. Ao encontrar a amiga, me apresentei e ela sem disfarçar, disse q já tinha ouvido falar de mim…pensei as coisas tão ficando boas. Almoçamos e depois perguntei se não queriam ir ao cinema, o q toparam na hora, dentro do cinema dei uma pequena forçada, passando as mãos nos cabelos da Ana, e segurando suas mãos, ela aceitou numa boa, fiquei louco, uma ninfetinha dando o maior mole…Depois do cinema levei-as em casa e marcamos pra ir numa boate à noite. Fiquei impressionado, a garota me desce do ap. com uma saia q era um palmo e um topzinho absurdo, da mesma forma a amiga, q era muito gata, mas eu não queria nem olhar, pensava só na Ana, tentei objetivar pra não me queimar. Fomos pra balada, paramos num posto, tomamos umas e depois pra boate, era impossível não ficar de pau duro vendo as duas na boate se esfregando, olhando pra mim e rindo…Pensei, putz, isto não vai acabar bem, vou terminar queimando meu filme…além de q a macharia tava começando a encarnar, e pensei, vou sobrar nesta farrinha…mas ao contrário elas repeliam qualquer avanço da galera, mas tava ficando insuportável, foi qdo tive a idéia, chamei elas num canto e disse, “olha conheço uma boate em q a gente pode ficar a vontade, são apenas 1 h, e ela ta acabando de abrir, é uma boate GLS, q é a melhor balada do Recife”, elas toparam na hora, pois estavam mesmo a fim de se divertir sossegadas, e quem sabe entrar no clima da boate, meu pau quase estoura, a garota do curso era uma ninfeta, e a amiga tb, só q fazia um estilo diferente, tinha mais seios, era mais alta, mais magra, tipo falsa magra, galega de olhos verdes…muito gata.
Fomos pra boate e lá chegando pediram a identidade das meninas, foi qdo descobri q tinham apenas 16, subornei o segurança e ele liberou. Lá dentro foi loucura, por ser uma boate GLS, onde predomina gay, ninguém chegou junto das meninas e pude reinar numa boa, fiquei num sanduíche alucinado com as duas e comecei a escraxar, puxei Ana pelos cabelos e beijei como nunca tinha beijado, era uma língua deliciosa e fiquei pirado com a garota, enquanto beijava senti uma mão alisando minhas costas e descendo pelo lado, saquei q não era Ana pois ela segurava meu pescoço, abracei a Juli trazendo ela pra junto das minhas costas, virei-me e tasquei um beijo nela tb, pensei agora ou a coisa fica boa ou fode tudo, a coisa ficou ótima, elas nem ligaram e nós num canto escuro da boate, onde algumas bichas masturbavam-se uns aos outros, ficamos revezando beijos. Tentei fazer com q se beijassem, mas saquei q não queriam, a onda era com um homem…não reclamei..rs..Puxei o top de Ana e chupei os peitinhos dela, encostado na parede, a Juli sem o mínimo pudor meteu a mão no meu pau, me virei escostei a Juli na parede e fiz o mesmo com ela só que enfiei o dedo pelo lado de sua calcinha, a garota estava ensopada, enquanto a masturbava, ouvi o deslocamento do dedo, fazendo aquele barulhinho característico. Pensei isto ta muito louco, vou ter q sair daqui, preciso comer essas meninas, daqui a pouco ta todo mundo muito bêbado e termina não rolando…Disse pra elas vamos nessa, q ainda tem um lugar pra vcs conhecerem, elas nem discutiram. Ao entrar no carro elas disseram q tinham combinado dar em cima, pq eu sendo mais velho, e como ela (Ana) me conhecia, sabia q eu não ia queimar, dizer pra turminha, estas coisas, claro q concordei…e elas disseram q os caras q elas conheciam eram bobos, queriam apenas comer e dizer pros amigos, pra contar vantagem…e disse q confiavam em mim. Então enquanto dirigia, a Juli, do banco de trás, soltou meu zíper, meteu a mão na minha cueca e tirou meu pau pra fora, brincando disse q a Juli era muito danada, q Ana era mais tranqüila, e tal, Ana olhou pra minha cara e disse, é mesmo? Se curvou e abocanhou meu pau, fiquei paralisado e por pouco não me estouro num poste, a amiga segurava meu pau e a Ana chupava sem nem tocá-lo, fui à loucura, não acreditava naquilo. Vivi, com uma pessoa, mas hj e naquela época morava só, e não via a hora de chegar no meu ap. a Ana não descolou a boca até chegar-mos, uma língua aveludada, negócio de cinema..rs…por sorte é perto da boate…chegamos no ap. e a festa rolou solta…fui preparar uma caipirosca e ela disseram q iam se refrescar, dei umas toalhas e com pouco tempo as duas chegaram, fiz o mesmo e ficamos de toalha tomando umas, ouvindo som, peguei o som e levamos para o quarto, começamos a pegação, deitei a Ana na cama e tirei sua toalha, quase gozo com a visão, peitinhos pequenos e rosados e uma bucetinha peludinha (sem excesso, bem aparada) de tirar o fôlego, chupei com afinco, todo o seu corpo, e a garota tem umas coxas grossas extremamente gostosas, ela tem os cabelos escorridos pretos, morena clara, olhos cor de mel, enquanto isso Juli brincava ao nosso lado, fazendo um streap com a toalha, eu estava no paraíso, chupei a buceta de Ana como se fosse a última vez q veria uma mulher, ela enlouquecia na minha língua, após sentir seu gozo, não pude resistir e virei-a de costas, deixando-a de quatro, e maliciosamente, chupei seu cuzinho, rosado, ela se contorcia, disse, ta vendo, não disse q era bom um cara experiente…qdo me viro pra ver a reação da Juli, ela já está nua, fiquei pasmo, a garota é do tipo falsa magra, toda proporcional, extremamente branca, com uma bucetinha bem aparadinha e uns seios médios deliciosos…disse vem cá q agora é vc…ela não se fez de rogada, deitou-se…beijei-a toda e mordisquei os bicos dos seios, ela disse q adorava aquilo e q se eu não parasse ia gozar ali mesmo, não parei e ainda botei um dedinho na sua buceta, ela gozou na hora….desci e chupei-a mais….fiz ela gozar de novo, estava quase explodindo, não acreditava q tinha 2 gatas, sentindo 2 bucetas deliciosas…fiz o mesmo no cuzinho de Juli e ela disse, q nunca ninguém tinha brincado desse jeito no seu furinho. Disseram q iam me retribuir, me viraram de costas pra cama e começaram a me punhetar, depois cada qual chupava um pouquinho, ia a loucura, principalmente com Ana q me chupava bem mais gostoso, pedi pra pararem, pois queria comer um pouco as 2, desta vez comecei primeiro com a Juli, chupei um pouco até ficar no ponto e atolei minha pica naquela buceta, ela gemia q fiquei com medo dos vizinhos baterem minha porta, me segurava pra não gozar, até q virei-a um pouco de quatro, puxando seus cabelos, ela gozou feito uma louca…puxei a Ana e quando toquei sua bucetinha já senti o qto tava molhada, peguei-a e atolei, ao contrário da outra, Ana gemia baixinho no ouvido, ofegante a cada estocada, sabia q não agüentaria muito, pois é o tipo como eu gosto, gemendo baixinho, sabia q se botasse ela de quatro gozaria na primeira estocada, então virei-a pra ficar em cima de mim, ela virou-se de costas e fiquei apreciando aquela bunda maravilhosa, com pouquíssimo tempo ela gozou, dizendo q aquela posição era do jeito q ela mais gozava…As duas perguntaram, e vc? não goza? disse q sim, só q sempre demorava e tal, elas disseram q os carinhas além de não a chuparem, gozavam rapidamente….falei q pra eu gozar as 2 iam ter q chupar, pois queria gozar na cara delas, elas disseram, tudo bem, e disse q tinha mais uma coisa, queria ver as 2 se beijando…elas disseram q não era a delas, mas já q eu tinha feito tanto dariam este presente…de imediato as 2 começaram a se beijar enquanto eu tocava uma punheta bem gostosa, depois começaram a chupar meu pau, punhetando, trocando beijos, fui ao delírio e esporrei na cara das 2, como nunca gozei em toda a minha vida, lambuzei as 2 de porra, q nem eu sabia de onde vinha tanto, foram vários jatos….as 2 riram, lambuzadas, e trocaram beijos enquanto lambiam uma na outra toda minha porra…fiquei alucinado.
Fui me limpar junto com as meninas, demos mais uns beijos, e foi qdo Juli me perguntou…vc me ensinaria a dar o cuzinho? Todos os garotos q já tentaram eu não consegui…meu pau endureceu na hora….disse q pra dar o cuzinho é um pouco diferente, tem q ter bastante lubrificação, daí peguei um KY, lambuzei bem a camisinha q vestia meu pau, lubrifiquei bem a portinha do cuzinho da Juli e entrei primeiro com um dedinho, a Ana via ao lado com admiração, depois botei o polegar, bem devagar, qdo senti q o esfíncter já se abria, coloquei a pica, bem devagarzinho, pra ela se acostumar, e sempre perguntando se doía, ela dizia um pouco, mas tá legal, fui bolinando sua xotinha e ela entrando no clima, pouco tempo e ela já não reclamava, era delicioso bombar o cuzinho daquela ninfeta, brinquei bastante, tirei, troquei a camisinha e comi ela de quatro, novamente arrancando gritos, ela dizia q ter penetrado o cuzinho tinha deixado ela cheia de tesão…não demorou e ela gozou….puxei Ana e disse q era a vez dela, q ela não ia ficar só olhando não, ela disse q não sabia se agüentava, eu falei q se Juli q era mais magrinha tinha agüentado, q dirá ela…ela riu e topou…fiz a mesma preparação nela e novamente pirei com a forma q ela transava, ela gemia baixinho, quase choramingando, e tinha a bundinha maior, um tesão, tirei e ao contrário da outra vez comi ela de quatro, mordiscava sua orelha e ela ofegante gemia desse modo especial q me fazia enlouquecer…não demorou e ela gozou, eu agüentava o máximo pois queria novamente gozar nas duas, porém qdo olho ao lado Juli exausta já cochilava, não tive dúvidas, tirei da Ana e dei pra ela chupar, não demorando, gozei na sua cara, pois a língua dela era muito gostosa, ela se fartou de gala, dormi um pouco abraçado nas duas e depois fui levá-las, chegamos com o dia amanhecendo, Juli foi morar em Sampa, a Ana, saio sempre, inclusive já peguei várias de suas amiguinhas, temos certeza q em pouco tempo ficaremos juntos, mas por enquanto é complicado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)
Loading...