DE INGENUA A PUTINHA!

02-10-14 5 ★ 5.00

Agora que tomei coragem de relatar o que aconteceu comigo quando eu tinha15 anos (hoje tenho 23), meu nome é Francieli, eu era uma menina muito inocente para minha idade, tinha beijado apenas 3 meninos e não tinha nenhuma experiência sexual… ainda!

Era uma menina jeitosa (ainda sou, risos!), cabelos loiros na altura dos ombros, olhos verdes, meio magrinha (não lembro meu peso, mas já era meio alta), com aparelho nos dentes. Meu pai é empresário de uma firma de ônibus, onde sempre fui ao seu serviço desde criança, pois gostava muito de ajudar meu pai. Minha mãe e ele viajam muito, era muito carente, vivia com a Cida (governanta) e sozinha com meus livros de literatura inglesa e poucos amigos.

Numa noite de sexta eu e meus pais fomos ao teatro com alguns amigos deles, Rafael era seu amigo há anos e meu pai confiava muito nele. Depois do teatro eu queria ir pra casa, pois tinha acordado cedo para ir à escola e meus pais queriam esticar a noite, então Rafael disse que estava indo pra casa e que me levava. Meu pai não viu nada demais, eles eram amigos desde o tempo que eram trocadores de ônibus. Eu também não. Entrei no carro dele e fomos numa boa até o Jardim Botânico, ele disse que ia passar em casa e ia voltar para onde meus pais estavam.

Subimos e enquanto ele procurava uns papéis eu fiquei vendo TV, sua mulher era médica e estava de plantão naquele dia. Depois ele chegou na sala com uma garrafa de vinho e eu queria experimentar, pois eu era muito certinha e estava cansada daquilo. Bebemos, e depois ele disse que era para eu ficar por lá mesmo que pela manhã ele me levava pra casa, pois tinha bebido muito. Não queria, mas ele me convenceu, ficamos vendo TV e ele com as mãos em meus ombros, eu já estava desconfortável, então disse que estava com sono, e ele me deu um blusão pra dormir, me troquei e ele disse que não queria ficar só e que ia pegar um filme, quando ele  botou no vídeo, era um filme pornô, gritei de susto, mas fiquei curiosa.

Ele pediu desculpas e disse que se enganou, mas não tirou o filme e disse: “Vê como são as coisas, você vai gostar”. Eu fiquei calada, enquanto o cara metia gostoso na mulher. Aí ele tirou o filme. E começou a me acariciar, eu dura, mas deixei (estava excitada). Quando ele foi por a mão dentro da minha calcinha eu disse: “Que isso? Você é amigo do meu pai e tá abusando da filha dele”. Ele tirou com força minha calcinha e disse que estava querendo me possuir há anos, eu comecei a gostar da ideia. Ele ficava acariciando meu grelinho, e pedia para eu abrir cada vez mais as pernas, eu atendia.

Me beijava todinha, eu delirava. Botava a língua todinha na minha bucetinha, e ficava entrando e saindo devagarinho, coma língua “mole”, ia lá no fundo e voltava, depois ficou só no meu grelinho, gozei duas vezes na boca dele, meus primeiros orgasmos na vida, mas ainda tinha medo e pudor. Então pedi que parasse e que fôssemos dormir, pois aquilo não era certo.

Então ele botou minha mão sobre seu membro e perguntou se eu não queria ver, eu estava muito curiosa, e balancei a cabeça em gesto positivo. Ele tirou e era um pica imensa e grossa, ele disse pra fazer igual picolé, igual era no filme. Não sei o que me deu, eu abocanhei aquele caralho e chupava, eu tava com medo que meu aparelho o machucasse, mas ele gemia muito, vi que tava fazendo direitinho, nem sabendo o que tava fazendo mais,sai da minha razão. Ele gozou na minha boca, segurando minha cabeça, tive vontade de vomitar, mas depois ele me deu um beijo que senti o salgadinho gostoso.

Ele é muito violento, me pegou pelas pernas me jogou em cima da mesa e de uma só vez meteu na minha bucetinha, eu urrei de dor, sangrou e tudo, mas ele estocava forte, me chamava de puta, falava cada coisa que eu gozei, depois disso gozei mais umas 5 vezes direto, eu ia desmaiar.

Eu chamava ele de meu garanhão, mandava ele meter na virgem dele, muitas obscenidades. Ele me virou de costas, escorrendo todo meu líquido entre as pernas, botou o dedo na minha bucetinha e botava o liquido no meu cuzinho, nessa hora percebi as intenções dele e disse: Nem pensar! Ele disse, que ia ser com carinho, mas eu não saia dali sem dar o rabinho pra ele, ele botou um dedo, dois, tava gostoso…

Mas eu não queria, depois ele botou a cabecinha, quase morri de dor, mas de prazer, porque ele tava massageando meu grelinho com a outra mão, ele disse pra eu rebolar que entrava facinho, rebolei como uma louca, muito tesão…. Ele gozou no meu cuzinho, eu gozei junto pelo cuzinho e pela bucetinha que ele mexia como um louco, tava toda ardida, mas satisfeita.

Que amigo meu pai foi me arrumar, uau. Depois desse dia descobri a tarada que tinha dentro de mim, até hoje, eu dou mesmo, adoro dar e não tenho vergonha disso, quero ser feliz. Depois desse dia, teve um dia que ele me comeu na sala do meu pai e quase fomos flagrados e ele foi quem me levou pro meu primeiro bacanal, fui enrabada gostoso. Sou uma mulher distinta, mas na cama (ou em qualquer lugar), sou um vulcão e pra trepar não tem hora ruim. Tenho várias histórias picantes, que outro dia conto a vocês.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. barbosinha

    Muito ruim nem deu vontade de ler até o final

  2. piroca loka

    me add biazinha delicia 18 981540100

  3. GABRIEL

    Dlç fiquei de pau duro

  4. rafael

    adorei o conto e gostaria de provar desse fogo todo 031 9455-5388 vem de zap

    • bia

      Vem apagar meu fogo seu gostoso