Quando eu era virgem

18-09-14 1 ★ 0.00

Olá queridos! Comecei a tentar a escrever contos hoje. Minha vida é bem tumultuada, portanto tenho muitas histórias… A primeira vai ser sobre como eu perdi a minha virgindade. Nunca fui magrinha. Tenho o bumbum grande, coxas grossas, peitos médios e arrebitados e uma barriguinha que muitos elogiam. Quando eu tinha 16 anos, entrei para um novo colégio e fiz novas amizades… Éramos 5 amigas, contando comigo. Eu era a mais nerd, comportada e virgem do grupo. Toda segunda-feira, as meninas chegavam contando muitas histórias sexuais, e eu ouvia tudo com muito atenção. Eu não sofria nenhuma pressão da parte delas para me encaixar melhor no grupo, muito pelo contrário: elas achavam super bonitinho meu jeito de ser… O máximo que eu já havia feito nessa época era ter chupado o pau de um amigo (quando eu tinha 13 anos). Enfim, aos 17 eu comecei a namorar… Era meu primeiro namoro e eu já estava cheia de fogo! Ele sabia que eu era virgem mas ficava me provocando, ele sabia me deixar cheia de tesão. Certo dia, estávamos dando um amasso discreto numa praça e ele disse:
“Não quer ir pra um lugar mais sossegado? Não precisamos fazer nada que você não queira”
Fiquei com o coração disparado, típico de virgens. Aceitei a proposta e fomos para um motel. Não sei como não me pediram a RG. Chegando na suite, eu deitei na cama, ele deitou ao meu lado, e ficamos conversando. Eu estava muito travada e ele percebeu. Ele disse?
“Posso fazer uma coisa que irá te acalmar?”
“Pode”, respondi.
Ele deitou em cima de mim e me beijou calorosamente. Beijou meu pescoço, minha orelha, e aquilo de fato me acalmou. De repente, ele foi descendo para meus seios, parou e começou a analisá-los. Deu um leve sorriso, olhou pra mim e disse: “Você me deixa louco!”. Começou a beijá-los e quando percebi, eu já estava sem blusa. Ele rodeava meus mamilos com a língua e aquilo deixava minha pele toda arrepiada. Nesse momento, eu só estava de short jeans e calcinha. Ele tirou meu short e viu minha calcinha. Era essas calcinhas bem infantis mas que todo homem acha sexy. Quando ele viu, ficou louco! Arrancou ela, encaixou cada perna minha em um ombro dele e começou a me chupar. Pelo espelho em cima da cama, eu me via delirando, e aquilo só me excitava mais! Ele enfiou a lingua e fez uma vibração e aquilo explodiu dentro de mim! Com uma chupada no meu grelinho, eu gozei na cara dele. Foi muito forte, na hora achei que fosse xixi, mas era um gozo delicioso! Eu tremi e gemi alto e ele gritou “Geme ninfetinha!”. E então, eu pedi “Enfia seu pau em mim?”. Ele disse que não, que não queria que eu fizesse isso tão espontaneamente, que não queria que eu me arrependesse depois. Aí eu implorei e percebi que era isso que ele queria que eu fizesse. Eu disse “Fode essa ninfetinha virgem”. Aí não teve como ele resistir. Ele colocou só a cabecinha e no mesmo instante disse “Nossa, como é apertada”. Eu falei que queria ele todo dentro de mim, não importasse a dor que eu sentiria”. Então de uma vez só, ele enfiou e eu quase desmaiei. Ele disse: “Não era isso que você queria? Então toma! Vai ter que aguentar!”. Depois que a dor passou, eu fui delirando, aquele pau entrando em mim, aquele pau me fodendo e ele massageando meu grelinho! Gemi alto e gozamos juntos. Ficamos deitados, nos acariciando, nossos corpos molhados de suor. Ele disse “você foi incrivel, te amo!”. Eu, com aquele jeitinho de menina inocente, percebi que havia acabado de descobrir os prazeres do sexo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    INCRIVEL ESSE CONTO….