Perdi minha virgindade com a empregada

Meu nome fictício é Thomas, (tenho 1,79, sou magro, sou um cara comum, nada fora do normal, e meu pênis tem 19cm) tenho uma empregada que vai quatro tardes por semana para fazer faxina na minha casa, moro eu, meu pai, minha mãe e minha irmã em uma casa de classe média. O nome da empregada é Lúcia e ela é negra, tem cerca de 1,71, bunda mediana mais bem definida, seios médios mais muito gostosos, e além de todos esses requisitos ela é uma bela mulher. Tudo começou quando eu tinha 15 anos e minha mãe decidi que precisávamos de uma empregada para ajudar na limpeza da casa, quando lúcia apareceu, no começo eu á espiava muito enquanto ela limpava a casa, mais com o tempo eu á conhecendo melhor e ela sempre conversava comigo sobre vários assuntos, mas nunca sobre sexo ou algo desce tipo(obs: na época ela tinha 28 anos), com o passar do tempo fui percebendo que ela tinha um belo corpo, e algumas vezes quando ficávamos sozinhos em casa a tarde eu a espiava e ficava olhando sua bunda, e depois me masturbava lembrando daquela bunda gostosa. Depois de três anos eu já com 18 e ela com 31, continuei a lhe espiar louco para fazer sexo com ela ainda mais que eu ainda era virgem. Em uma certa tarde que por sorte pude ficar em casa pois estava de folga do trabalho, dormi até as 15h e então levantei para tomar um banho pois estava muito quente por estarmos no verão, e então fui pegar minha toalha e depois fui tomar meu banho, até então ainda não tinha visto lúcia, no banho bati uma punheta e sai com o pau ainda duro e com um volume na toalha, e para minha surpresa ao sair do banheiro dou de cara com lúcia que na hora viu o volume na toalha e arregalou os olhos, então eu com muita vergonha pedi desculpas a ela e fui para meu quarto, ao chegar lá botei um filme porno e deitei na cama para bater novamente porque aquele encontro me deixou com muito tesão, liguei a tv e nem me importei com o volume, depois de algum tempo me masturbando notei que lúcia estava espiando pela janela do meu quarto que estava aberta, fiz que não a vi e continuei porque aquilo tinha me deixado com muito tesão, logo gozei e fiz questão de ela ver meu esperma jorrando pelo meu pau, depois de me limpar fui até a janela do banheiro dos fundos da casa e sem ela perceber pude ver ela se masturbando loucamente, depois desse dia sempre que podia ficar em casa no horário em que ela trabalhava ficava e a provocava muito, e várias vezes a vi se masturbando pensando em mim, então resolvi unir o útil ao agradável, matar minha vontade e a comer de uma vez, e perder logo a minha virgindade. Então em uma tarde que só estávamos nós dois em casa, (minha mãe havia ido a uma amiga, e meu pai trabalhava) resolvi botar meu plano em pratica  e usando como desculpa o calor fui até a cozinha apenas de calção branco em sem cueca, onde ela estava, ao chegar lá a cumprimentei e notei que ela estava com uma blusa decotada que valorizavam muito seus seios, não pude evitar e por alguns segundos fiquei olhando para seu decote e então começou a aparecer um volume em meu calção e lúcia percebeu então na hora pedi desculpas, mas ela respondeu:
Lúcia: não tem do que se desculpar, isso é normal com um garoto da sua idade, e vou aceitar isso como um elogio.
Eu: sinto muito é que eu sinto um tesão muito grande quando você está com uma blusa que aparece seus seios, eles devem ser muito gostosos.
Lúcia: Thomas, posso te fazer uma pergunta???
Eu: claro!
Lúcia: vc é virgem ainda???
Nesse momento eu morrendo de vergonha e ao mesmo tempo vendo que caminho essa conversa iria tomar, falei…
Eu: infelizmente sou, já fiquei com algumas meninas mas nenhuma quis transar comigo por acharem que não estavam preparadas.
Nesse momento ela me olhou com os olhos brilhando
Lúcia: não acredito nisso, eu achava que você não era mais virgem a tempos
Eu: vontade de fazer sexo eu tenho, o que me falta é uma parceira para isso, me desculpe mas já que estamos falando sobre isso, muitas vezes eu me masturbei pensando em você lúcia.
Lúcia: sério?
Eu: sim, eu acho você uma mulher muito atraente e muito gostosa, e gostaria de perder minha virgindade com você
Lúcia: não fala bobagem Thomas, eu trabalho para você e isso seria errado, e além do mas você é muito novo pra mim
Eu: posso até ser novo mais já cansei de ver você se masturbando depois de me ver tocando umas
Lúcia: eu não acredito nisso, não posso perder meu emprego, preciso dele, por favor não conte para os seus pais
Eu: eu não conto nada se você me fizer esse favorzinho, uma mão lava a outra!!! além do mais sei o tesão que você sente por mim
Lúcia: tudo bem mais você tem que me prometer que isso fica só entre nós dois
Eu: tudo bem
então fui em direção dela e comecei a beija-la, depois de algum tempo peguei em sua bunda e comecei a passar a mão de um lado a outro, depois fui beijando seu pescoço e falei pra ela tirar a blusa para mim poder ver seus peitos, quando ela tirou a blusa vi aqueles peitos maravilhosos de perto, e fiquei paralisado por alguns segundos, eram peitos médios mais bem durinhos e morenos com os biquinhos bem pretos, fiquei fascinado e comei a chupar eles com muita gana e tesão, fiquei uns 5 min ali chupando e apertando aqueles peitos e lúcia não falava uma só palavra, logo após virei ela de costas e a abaixei as calças e ela falou para ir com calma, então me ajoelhei e comecei a chupar sua buceta por trás e então ela começou a soltar uns gemidos discretos, não aguentando mais de tesão tirei meu pau pra fora e o direcionei até a entrada de sua boceta, e então ela disse…
Lúcia: vai meter sem camisinha, nem pensar chega você gozar dentro de mim
Eu: fica tranquila, eu só vou meter um pouco sem camisinha, tenho algumas no meu quarto, depois eu boto, prometo que não vou gozar…
depois de ela concordar, comecei a meter nela, logo que botei a cabeça ela soltou um gemido e sorriu, continuei até entrar tudo, então comecei um vai e vem muito gostoso, que boceta mais gostosa, carnuda, e quentinha, eu não conseguia fazer silencio, urrava de tesão e ela pedia para mim fazer silencio para que ninguém escutasse, então falei para ela para irmos para meu quarto, ao chegarmos lá liguei o aparelho de som para disfarçar o barulho, tiramos a roupa e falei para ela me fazer um boquete, ela prontamente ficou de joelhos na minha frente e começou a chupar meu pau, que boca maravilhosa, ela chupava como uma profissional, botava tudo dentro da boca e chupava até minhas bolas, que delicia, daí ela disse…
Lúcia: Thomas, você tem um pau muito gostoso aqui, que delicia, quero fazer um 69 com você, quero que você me faça gozar muito hoje!!!
então deitei na cama e ela veio por cima de mim e começou novamente a fazer um boquete para mim, enquanto eu chupava a sua boceta, logo notei que seu cuzinho era virgem e comecei a chupa-lo , ela começou a rebolar na minha cara e gemia como uma puta, ela disse que se eu estava pensando em tirar o lacre do seu cuzinho, podia esquecer essa ideia porque ela jamais iria fazer sexo anal, mesmo assim continuei chupando ele e depois de algum tempo voltei a chupar sua boceta, e não demorou muito começou a sair um liquido da sua buceta e ela caiu por cima de mim suspirando, então consegui a convencer a trepar sem camisinha porque eu iria me controlar e quando fosse gozar a avisaria, depois de recuperada ela veio e começou a cavalgar no meu pau, e ela gemendo dizia para mim lhe chamar de minha empregada putinha, vadia, cadela
Eu então comecei a falar…
Eu: vai minha putinha, cavalga no pau do teu macho vai, senta nessa pica, me faz gozar
ficamos uns 10min daquele jeito até que eu a botei em cima da escrivaninha e comecei a bombar na sua buceta que já estava toda inchada, depois falei para ela ficar de quatro na minha cama porque eu tava louco para comer ela de quatro, ela se posicionou e eu comecei a meter, ela gemia feito uma vadia no cio, falava, mete na minha buceta esse caralho, arromba ela logo vai seu puto, mete tudo porque eu sou a sua cadelinha, quanto mais eu metia mais ela xingava e gemia, quando percebi que iria goza falei para ela, então ela disse para gozar na cara dela, quando gozei ela engoliu um pouco da porra e o resto ficou escorrendo pelo rosto dela, ela limpou meu pau com a boca e então a chamei para tomarmos um banho para que meus pais quando chegassem não desconfiassem de nada, fomos para o chuveiro e lá a encostei na parede e metia nela, perdemos a noção do tempo e não vimos quando minha mãe chegou em casa, ela não viu ninguém então foi até meu quarto porque notou que eu estava com o som ligado, ao chegar no quarto ela escutou um barulho vindo do banheiro, foi até lá abriu a porta e pôr o boxe ser de vidro ela viu eu atrás da nossa empregada metendo na buceta dela e lúcia gemendo e pedindo vara, minha mãe ficou parada por alguns segundos, e então falou – que pouca vergonha é essa aqui na minha casa???
Lúcia escorada na parede e ainda com meu pau dentro de sua boceta tentou se explicar mais foi interrompida por minha mãe que a chamou de vadia, vagabunda e muito mais, saímos e nos vestimos, então minha mãe nos chamou na cozinha e falou que lúcia estava despedida e que eu teria que me explicar para ela. Lúcia foi embora, já fazem 5 meses, não á vi mais, mais até hoje lembro da transa inesquecível que tive com ela. Espero que gostem, Abraço!!!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 1 votos)
Loading...