Como perdi meus cabaços

Meu nome é Julia mas me chamam de Julinha tenho 24 anos, 1,56m de altura bunda redondinha e arrebitada seios médios e durinhos. È a primeira que escrevo um conto, na verdade é mais uma narrativa de como comecei minha vida sexual. Eu desde novinha já brincava com meus primos de médico e eles sempre mexiam na minha bucetinha e eu adorava, com o tempo eles foram ficando mais ousados e esfregavam o pau na minha bucetinha e me pediam para chupar o pau deles e gozavam na minha boca . Quando chegava as férias eu ficava toda contente porque sabia que ia para a casa da minha avó e encontraria os meus priminhos.
Com 13 anos já tinha corpo formado e os meninos já me olhavam com desejo e como sempre fui safadinha sempre que possível esfregava a bunda neles e chupava alguns também mas continuava virgem. Um dia meu vizinho Sandro falou que estava sozinho em casa e pediu para eu ir dar uma chupada nele.
Chegando lá ele já estava sem roupa com o pau duro me esperando e eu logo já caí de boca naquele pau que era bem grandinho para a idade dele. Ele gozou logo na minha cara e falou que queria ver minha buceta e passar a mão, levantei a saia e tirei a calçinha e foi quando Carlos o irmão dele com 17 anos entrou no quarto e falou que também queria pois parecia que eu chupava gostoso. Como boa putinha que eu era chupei gostoso aquele pau que devia ter uns 19 cm e era bem grosso. Ele gozou logo também mas me fez engolir toda a porra. Nisso o Sandro já estava de pau duro de novo já foi enfiando o pau na minha boca. O Carlos chegou e começou a esfregar o pau na minha buceta que estava bem molhadinha, eu falei que não era para meter porque era virgem. Ele falou que só ia brincar um pouco então deixei mas ele tinha outra intenção. Brincou um pouco pincelando o pau na minha buceta e encaixou a cabeça na entrada. Ele ficou um pouquinho só com a cabeça encostada na entrada e meteu com tudo na minha buceta rasgando meu cabaço. Quase desmaiei de dor fdalei que era para tirar que estava doendo e ele falou que agora que o cabaço já era ele ia até o fim e que eu era uma putinha e merecia levar pau. Ele socava com força e logo gozou inundando minha buceta com porra. Mal ele tirou o pau sujo de porra e sangue o Sandro veio e meteu também falando que queria tirar o resto do cabaço que ficou. Ele meteu um pouco e o Carlos falou para ele meter no cú que ele tinha tirado o cabaço da buceta e ele ia tirar do cú no que foi prontamente atendido. O pau dele estava molhado com a porra do irmão e ele foi metendo bem devagar porque meu cú era bem apertadinho e não estava entrando aí o Carlos me segurou e mandou ele meter com força que entrava. Entrou mesmo. Eu só não gritei porque o Carlos tinha tapado minha boca. Logo ele gozou enchendo meu cú de porra. Eles me levaram ao banheiro me deram banho e falaram que só ia doer nas primeiras vezes e depois eu ia acabar gostando. Naquele dia me comeram mais 2 vezes cada um. A partir daquele dia fiquei sendo a putinha deles e logo parou de doer mesmo foi quando eles começaram a me vender para os outros meninos do bairro. Fiquei assim por mais ou menos 1 ano quando nos mudamos de cidade. Lembro com saudade daquela época onde aprendi que sexo é gostoso mesmo sendo forçado. Adoro ser putinha, adoro sexo anal, sexo com força e vários parceiros ao mesmo tempo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 1 votos)
Loading...