O Casado me fez de vadia no churrasco da familia: Mamei e Gozei

Às dez horas da manhã daquele ensolarado domingo lá estava eu entrando no sítio de parentes de uma amiga .Logo que cheguei ao portão do sítio ouvi a música alta,as criancas correndo trajadas de roupa de banho,os adultos rindo e falando alto e o clima familiar de um típico churrasco em família.
Eu tinha um pouco mais de 20 anos,usava uma mini saia jeans curtinha e uma camiseta regata branca sem sutian que ressaltava o volume redondo dos meus seios médios e durinhos.Calcava uma chinelinha de dedos decorada com conchas do mar.Tinha os cabelos soltos longos e loiros,cheirosos e usava um perfume suave.
Logo que desci do carro fui recebida pelo dono da casa um senhor idoso que deveria ser avô de minha amiga.

Ele nos apresentou a casa e nos deixou a vontade.Nos dirigimos ao jardim onde se encontravam várias mesas e muita gente,familiares de minha amiga.Fui apresentada a alguns e logo fiquei sentada à mesa sozinha enquanto minha amiga cumprimentava outros parentes.Havia uma piscina no sítio e muitos adultos e criancas brincavam lá .

Meus olhos passavam rapidamente pelo ambiente pousando em algumas pessoas fazendo um reconhecimento de área.

De repente meus olhos pousaram em um homem dentro da piscina que brincava com uma crianca e lá se fixaram.

A crianca brincava com o pai, que parecia ,de onde estava ,ter seus 40 anos e uma voz de macho grave.Ele ria e se comportava de um jeito que me chamava a atencão.Era um homem casado, meus preferidos.

Sai da mesa e caminhei em direcão a piscina,queria ver mais de perto aquele homem.Pois fui atraida por sua voz grave.

Ao aproximar-me da borda da piscina ele resolveu sair da mesma acompanhado do filho.Quando subiu os primeiros degraus da escadinha da piscina segurando no corrimão da escada me assustei ao ver o volume de seu calcão de banho estilo boxe.

E lá estava ele a poucos metros de mim com aquele volume todo dentro do calcão.

De longe pude imaginar o cheiro que aquela tora deveria ter e passei a olhar fixamente pra o volume como que hipinotizada.

Ele ainda não havia me notado em meio a tantas pessoas e caminhou em direcão a uma mesa sentando-se em uma das cadeiras.

Fiquei ali observando seus tracos. Ele deveria ter 1,73 e uns 85 kilos de puro músculo.Era moreno claro queimado do sol e tinha um peitoral malhado e ums bracos musculosoas e coxas firmes e cabeludas.Usava um calvanhaque acompanhado de uma boquinha redondinha e lábios grossos.

Um mulher se aproximou acompanhada de outra crianca e sentou a mesa dele e conversaram alguma coisa.Observava tudo e percebi que deveria ser a mulher dele.

Era isso, ele estava lá com a familia.E eu com tesão imenso pela sua pica volumosa.

Seria dificil conseguí-la mais como minha xotinha tinha dado sinal de vida.preferi arriscar mesmo que com grande chances de levar um fora.

Esperei a mulher se afastar com as criancas e me dirigir a mesa dele.

Sorri pra ele e olhei em direcão a sua tora dentro do calcão.Notei seu entusiasmo ao ver que eu estava interessada nele.Olhei descaradamente pra sua piroca e passei a língua nos lábios.Precisa mostrar sem rodeios que eu o queria.

E sai em direcão ao estacionamento,sempre olhando pra trás dando a entender que o queria atrás de mim me seguindo.

Fui caminhando olhando pra trás e o vi levantar da cadeira e me seguir.

Do lado do estacionamento,que estava lotado, haviam alguns carros estacionados perto de umas árvores e fui naquela direcão.

Me posicionei atrás de um carro e do lado de umas árvores e folhagens distante da visão dos convidados do churrasco.

Ele se aproximou olhando pra trás com medo de ser visto e se aproximando desconfiado disse:

– Oi.

– Oi.Falei e me dirigi a seus bracos o abracando e sendo correspondida.

Ele me abracou e nos beijamos demoradamente.

Passou a mão na minha bundinha pegando nas minhas nádegas e apertando-as.

Eu queria um sexo animal e sabia que teria que ditar as normas ou nao sairia muita coisa dali.

– Me come!Disse no ouvido dele.

– Quer ser fodida,quer??Falou baixinho com raiva.

– Come a safada ,come!Era a senha pra ele se soltar,pois agora sabia que eu era puta e queria ser tratada como tal.

– Quer rola quer? Quer piroca?. Putinha!

Ele passou a mão por debaixo da minha saia e puxou a calcinha pra baixo tirando-a por completo enquanto eu o incentivava com palavras que o deixavam doido :- Mete o ferro na vadia ,mete! Quero sentir essa piroca me comendo entrando e saindo.Dizia baixinho no ouvi dele.

– Puta safada vou te comer igual uma cadela de rua pra aprender a nao aticar homem casado.Cadela!

Me segurou pela mão e foi me arrastando pra o mato perto de umas árvores a alguns metros distantes dos carros.

Tirou minha blusa e minha saia jeans me deixando nua no meio do mato.

– Vagabunda!Vai aprender a não mexer com pai de familia. Sua PUTA!Disse enquanto me pegava com forca passando a mão na minha bunda e xota ,me tocando ,enfiando os dedos e me beijando com raiva.

Eu passava a mão na sua bunda e costas o acariciando embriagada naquele cheiro de homem que ele exalava.Peguei no volume em meio aos amassos, senti o volume da vara e o tirei da calca e ele como que automaticamente forcou-me empurrando-me pra baixo,como se fosse necessário.

– Me dá! Pedi.

– Toma! Falou mostrando o cacete já duro.

Já ajoelhada olhei pra cima e vi seus olhos brilharem.

– Mama! Ordenou.

Olhei pra seu pau moreno com o sacão pendurado parecendo duas bolas cheias que balancavam no ar enquanto ele me ofereria o pênis pra ordenha.

Ali a poucos centimentros da sua piroca melada senti seu cheiro de homem e abocanhei a cabeca numa fome tremenda.Senti o gosto do seu melzinho e fiz movimentos circulares com a língua acariciando o pau e a cabecinha.Chupei no buraquinho da sua chapeleta e ele enlouqeceu.

– HUMMMM Que vadia.Tenho que te comer logo ou vão notar minha ausência.

Ele me deixou mamar um pouquinho e logo me puxou carinhosamente pelos cabelos e me beijando me encostou em uma árvore.Não podiamos nos deitar no chão,pois sairiamos sujos e poderiam desconfiar.

Encostada na árvore sendo impressada por ele.Senti a cabeca do seu pau querendo entrar enquanto ele levantava uma perna minha quase me rasgando.

Fiquei em pé com uma das pernas arreganhadas sendo segurada por ele e tendo um casado de piroca dura pronto pra me foder.

Senti a cabecinha entrar devagarinho enquanto ele me xingava de vadia de rua.

A cabeca deu entrada ao resto do corpo do pau e logo estava tudo alojado dentro de mim.Eu estava dando pra o casado.Pra o pai de familia e me sentia maior vagabunda de todas.Me melei toda…

Senti a primeira estocada firme .

– TOMA! Sente ! Não era isso que a vadia queria? Piroca de homem casado?

– HUMM…Fode gostoso pirocão! Me come!

– Vadia filha da puta.Agora vai ver o que é um macho de verdade.

Com as duas mãos me segurou no colo encaixando de vez o pau na minha buceta.Fiquei toda arreganhada sentindo suas mãos me segurarem pela bunda enquanto o enlacava com minhas pernas ficando encaixada na piroca dele.Com a buceta entupida de piroca gemi alto.

– TOMA! Sente fundo Piranha!

Senti seu pau bem no fundinho de minha xota.Ele estava me comendo gostoso e eu gemia alto.

– Calada! Aguenta firma estou quase gozando,PUTA!

Mas eu não conseguia mais me controlar e gemia na rola do casado sem me importar com mais nada.

– Quer chorar na minha rola quer??? Ameacava me dando estocadas firmes.

– Enfia mais fundo essa piroca! Provocava.

Ele enlouquecido comecou a me fuder com forca me comendo com vontade.

-TOMA! TOMA!Vou marcar a sua xota com meu ferro vadiazinha!Falava a cada estocada que dava.

Eu gemia alto sem vergonha e sem me importar com mais nada,estava gozando na rola do casado.

-Geme Vadia! Geme!Goza cadelinha!

Gemia gozando na sua vara e sendo estocada por sua piroca morena ouvindo o barulho do saco bater na minha xotinha.

Ele comecou a bombar mais forte anunciando o gozo.

– GOZA! Gritei.

-Vagabunda! Vai beber leitinho.

Me colocou no chão tirando a rola de dentro de mim e puxando meus cabelos pra baixo me forcou a ficar de joelhos e eu rapidamente abocanhei aquela rola grossa.

– Quer PORRA! Quer? Fala!

– QUERO! Gritei alto.

– Abre a boca!Disse batendo o pau na minha língua enquanto segurava a minha cabeca forcando-me a tomar o leite.

– TOMA TUDO! E gozou na minha boquinha.Senti os jatos de porra quente invadirem minha boca.Ele tinha uma porra grossa,pastosa ,cremosa…Bebi tudo enquanto o masturbava na esperanca de sair mais leite naquela vara.

Após engolir a porra toda limpei suas bolas e a chapeleta chupando no buraquinho do pau.Suguei todo o restinho de seu leite até deixá-lo limpinho.

-Valeu! Agradeceu.

Me levantei e nos beijamos.

Recebi um tapinha na bundinha e um abraco caloroso.

Ele vestiu seu calcão de banho saiu primeiro e pediu-me pra sair em alguns minutos.

Fiquei lá me vestindo e o vendo se perder em meio as folhagens das árvores.

Me vesti e voltei pra o churrasco.

O vi conversando com a mulher em uma mesa afastada da minha.

Em alguns minutos de conversa pegaram as criancas e foram embora.

Eu fiquei sentada à mesa descansando feliz e curtindo o gosto diferenciado do leitinho de homem casado.

narceja@bol.com.br

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...