Primo safado

Como já publique anteriormente em Descobertas com meu primo, depois de minha primeira vez sentindo a rola de meu primo Carlos, sempre que estávamos a sós ele dava um jeito de passar a mão em minha bunda ou pegar minha mão e colocar no seu pau por cima da roupa. quando conseguíamos ficar sozinhos punhetava e chupava seu pau e ele sempre tentando me fazer aguentar sentar no seu pau mas não conseguia por medo, então acabávamos na punheta ou ele gozava na minha bunda ou na minha boca depois de chupá-lo, não demorava muito para gozar, naquela época estava com o tesão a mil, coisa de adolescente, eu gostava e sempre que via seus irmãos desejava também também brincar com eles, mas tinha medo ainda mais por serem mais velhos que Carlos. Um dia, em um sábado, estava na casa deles e como sempre zuando e correndo, até que em certo momento eu estava mexendo na maçaneta da porta da cozinha quando seu irmão mais velho Antônio se aproximou, estava meio zangado porque eu o estava irritando mexendo e fazendo barulho na porta, então ele pegou minha mão colocou em seu pau por cima da calça que usava e me disse ” se quer mexer em alguma coisa então mexe aqui”. Fiquei parado, sem reação e com medo de que alguém pudesse ter visto mais percebi que tanto Carlos como seu irmão Claudio estavam fazendo bagunça e nem perceberam, e sua irma estava no quarto, respirei aliviado, olhei nos olhos do Antônio e ele apenas me sorriu de canto de boca vendo que havia parado de mexer na maçaneta. A partir de então fiquei desconfiado que ele queria algo a mais e sempre tentava achar uma maneira de poder pegar novamente no seu pau.
Passaram uns três anos, sempre que dava brincava com Carlos mas desejava o Antonio, ja que seu outro irmão Claudio pouco mais novo que o Antonio, havia casado a pouco tempo e achava que nunca iria conseguir nada com ele ( o que pude descobrir tempos depois que era muito safado e adorava uma putaria). Antonio era mecânico e depois de um certo período e relacionamentos frustrados passou a morar sozinho, na época devia ter uns 28 anos e eu 12 anos e como os conhecia desde pequeno frequentava sua casa normalmente, ja que morávamos todos perto. Um a tarde, era uma sexta-feira, estava brincando perto de sua casa e o vejo retornando do trabalho, estava com uma calça suja de graxa e uma camiseta, na mesma hora pensei que podia vê-lo enquanto tomava banho, mas não consegui ir até sua casa porque não tinha uma desculpa para sair de repente, tinha medo que meus colegas que brincavam comigo desconfiassem de algo, então me aproximei dele e disse que depois passaria na sua casa, ele concordou prontamente dizendo que não iria sair e que eu poderia ir sim.
Já eram umas 19 h tinha jantado e tomado banho então decidi que iria até a casa de Antonio como havia dito. Chamei e ele mandou entrar que a porta estava aberta, entrei e o encontrei mexendo em uns papéis sentado na mesa, estava de banho tomado,pelo cheiro de sabonete fazia pouco tempo que se banhara, vestia uma camiseta e uma calça de moleton, vi pelo volume de seu pau que deveria estar sem cueca. Ficamos ali conversando e sempre que podia olha para o meio de suas pernas apreciando o volume, queria passar a mão, pegar, punhetar, chupar, ao mesmo tempo tinha medo de ser repreendido pois não sabia se ele iria querer. Acho que ele deve ter percebido meus olhares porque em certo momento ele começa a me perguntar se já havia saído com alguma menina, se eu batia muita punheta, perguntou se meu pau era grande e se já gozava. Fiquei meio tímido mas queria saber até onde iria e queria poder pegar naquela rola que parecia ser maior que a do Carlos. Na época meu pau media uns 16cm e sempre batia uma pensando no Carlos, então respondi que meu pau não era muito pequeno mais que o dele parecia ser bem maior que o meu. Ele então me pergunta se eu gostaria de ver, o que respondi que sim, nessa hora meu coração acelerou, comecei a tremer e pensei que finalmente iria conseguir ver seu pau. Antonio continuou conversando e disse que o seu pau era um pouco grande sim, que gozava bastante, então me pede para fechar a porta com a chave porque estava apenas encostada e seus irmãos poderiam aparecer sem avisar, levantei e fechei a porta e quando voltei à mesa ele me pede para pegar umas balas que estavam no seu bolso. Achei meio estranho mas coloquei a mão no boldo direito de sua calça e então percebi que o bolso não tinha fundo, então senti seu pau que estava meio duro, ele me pergunta se gostei e disse que sim, então começo apegar em suas bolas e punhetar seu pau sob a calça, ele se vira de frente pra mim e então abaixo sua calça e vejo finalmente aquele pau enorme, devia ter uns 19cm, grosso, minha mão não fechava, ele me pergunta se gostei e disse que sim, começo a punhetá-lo então ele me pede para chupar, me ajoelho entre suas pernas e começo a chupar a cabeça, ele começa a gemer e fala que não é pra falar nada a ninguém e que sempre podemos brincar assim quando ele chegar do trabalho. Continuo chupando então ele me pede para baixar minha bermuda e ficar de joelho, então cospe na cabeça do seu pau e começa a passar no meu cuzinho que piscava de tanta vontade de experimentar aquela rola ao mesmo tempo meu corpo tremia por inteiro, ele tenta enfiar seu pau mas não consegue e reclamo que está doendo, então me pede para continuar chupando o que faço prontamente e ele começa a gemer cada vez mais forte até que goza em minha boca sem me avisar, tiro a boca e ele continua a gozar melando sua barriga pega minha mão e passa na sua porra espalhando por toda sua barriga, me pede para chupar um pouco mais até que seu pau começa a amolecer, então fomos ao banheiro para nos lavar e nos vestimos, pede para manter segredo e que sempre que quiser mais para procurá-lo. logo depois fui embora e chegando em casa corri para o banheiro para gozar lembrando o que tinha acabado de acontecer e agora tinha o Carlos e o Antonio para brincarmos gostoso.

roberto.silva3371@outlook.com