Minha vida como pai solteiro

Bom, esse conto que vou relatar é totalmente verídico, apenas mudei os nomes por minha segurança. Espero que alguém se identifique com o que vou contar, e não me julgue.
Tudo começou quando eu tinha 23 anos, conheci uma linda mulher chamada Jéssica (nome fícticio), nos apaixonamos, tivemos uma filha chamada Laura (nome fícticio), mas quando minha filhota estava pra completar 7 anos de idade, minha mulher morreu em um acidente de carro. Eu nunca havia cuidado de minha filha, pois trabalhava muito, e essa tarefa ficava para minha mulher, visto que eu só voltava a noite, podendo brincar um pouco com ela, e ir dormir. Após minha mulher morrer, fiquei com depressão e me demiti do emprego, já que estava com uma condição financeira boa, e não precisava mais daquilo. Cuidei de minha filha, mas na primeira semana dando banho nela, comecei sentir um prazer, pois estava viúvo, só me aliava na masturbação, mas eu pensei que aquilo era doentio e comecei me tratar no psiquiatra com calmantes. Quando minha filhinha completou 8 anos de idade, ela começou com aquela mania de crianças de andar pelada pela casa, nadava na piscininha peladinha, brincava, deitava no sofá de pernas abertinhas, assistindo TV. Até que um dia, ela pediu para eu ficar pelado junto com ela, e eu disse:
– Mas não posso filhinha, o papai é adulto e homem, você é criança e menina.
Ela ficou emburrada, e foi deitar. O tempo passou, essa mania dela continuou, mas as coisas começaram a acontecer quando ela tinha 9 anos, faltando pouco para completar 10. Os peitinhos começaram se desenvolver, ela tinha uma bundinha grande e bonita, era loira de olhos azuis igual a mãe dela, e começou nascer pequenos fios de cabelo na bucetinha dela, fiapos, bem pequenininhos, visto que ela ainda não estava na puberdade. Ela nadava o dia inteiro na piscina, depois fazia lição e assistia um pouco de tv. Um dia, fui ver ela dormindo, ela estava com as pernas abertinhas, me aproximei e comecei a passar a mão na bundinha dela, tão macia, aquilo começou me excitar, como eu estava apenas de short, sem cueca, o pênis ficou marcado no short. Resolvi passar a mão levemente na pererequinha dela, era tão gostosa e macia, mas resolvi parar por ali e ir tomar banho para me aliviar.
No outro dia de manhã, ela chega e fala:
– Pai, o que você estava fazendo ontem a noite?
Fiquei sem palavras, com medo do que poderia acontecer, e disse:
– Estava vendo se você tinha algum problema minha filha, meninas na sua idade costumam ter, e como você ainda não foi na médica esse mês, estava checando.
Ela aceitou, e foi assistir televisão, mas como ja estava grandinha, não era tão bobinha.
A noite chegou, e ela pediu para eu ir tomar banho com ela, e eu perguntei o porque, visto que ela já estava tão velha, ela disse que todos pais cuidam dos filhos, e que precisávamos ficar mais amigos. Eu aceitei. Coloquei ela no chuveiro primeiro do que eu, e quando fui me despindo, meu pênis estava flácido, tanto que ela nem perguntou nada. Estávamos tomando banho, e ela disse:
– Pai, porque tem um carocinho na minha perereca? Passa a mão para o senhor ver.
Eu fiquei em choque. Ela pegou na minha mão, e guiou até o clitóris dela, mas ela ainda não sabia o que ela. Fiquei excitado na hora, meu pênis levantou e encostou em sua barriga. Ela se assustou e perguntou:
– O que é isso papai? Seu pipi levantou!!. – Dizia ela com cara de assustada.
Eu expliquei que os homens ficam assim de vez em quando, quando vêem meninas muito bonitas, e expliquei que toda garota tem aquele carocinho. Continuamos a nos banhar, quando estava quase acabando, ela falou que estava com dor no “fufu”, e pediu para eu ver se ela estava assada. Abri levemente as nádegas dela, naquela hora, tive uma ereção total, e meu pênis (que mede 21cm) começou encostar na entrada no ânus dela. Eu tirei o pênis na hora, e falei que ela não tinha assaduras. Logo, assustada com meu pênis ter tocado nela, ela disse:
– Cuidado papai, o que aconteceria se seu pipi entrasse no meu bumbum?
Eu comecei bufar, meu pênis estava muito duro, e eu queria aliviar, e eu estava muito excitado com ela, mesmo já tendo tratado contra a pedofilia em um psicólogo, não estava resistindo, eu disse:
– É Muito gostoso para você filhinha, ainda mais se entrar na pererequinha, você sente uma sensação tão boa, 10 vezes melhor do que comendo chocolate.
Ela ficou com um sorrisinho na cara, e colocou a mão no meu pênis, falando:
– Então eu quero experimentar.
Eu não acreditava que aquilo estava acontecendo, e então disse:
– Mas na primeira vez dói um pouco filhinha, tudo bem?
Ela concordou com a cabeça.
Eu já estava muito excitado, ela foi aproximando o meu pênis com a mão, quando estava quase encostado na vagina dela, eu dei um impulso para a frente sem querer, de tanto tesão que sentia, e meu pênis rasgou seu hímen, tirando sua virgindade, e ela começou a chorar, dizendo:
– Pa… papai!! Está doendo muito!! E saindo um pouco de sangue!!
Eu disse pra ela não se preocupar, que em 1 minuto ia parar, e realmente, logo parou.
Então, eu perguntei se ela estava preparada para a sensação boa que eu disse. Ela me olhou, com carinha de pena, e falou:
– É Muito boa mesmo? se for, eu quero…
Eu disse que sim, e comecei a penetrar meu pênis na vagina dela. Quando chegou na metade, não entrava mais, e ela começou a suspirar, então vi o tamanho máximo que chegaria, 11 centimetros. Comecei enfiar e tirar até a metade, várias vezes, e com os dedos eu fazia movimentos em seu clitóris, para lhe dar o maximo de prazer possível. Quando eu estava prestes a gozar, tirei meu pênis dela, e comecei a mamar aquela bucetinha linda, ela começou arranhar minha cabeça, e fazer vários movimentos involuntários, e gemer baixinho, de tanto prazer que sentia, após chupar por varios minutos, comecei a meter forte e rápido nela, até que ela começou a gemer alto e teve seu orgasmo, junto com o meu, soltando sêmen dentro dela. Ela teve um orgasmo de uns 25 segundos, e após isso, ela pede pra eu levar ela no colo para o quarto, que ela estava com muito sono. Eu levei e a coloquei na cama.

Bom pessoal, é isso, tem a vez que comi o bumbumzinho dela também, mas ai fica para outra história. Espero que tenham gostado, e não me julguem pelo que eu fiz.

Quem quiser, Meu e-mail: amoconhecimento@sigaintevyh2rzvw.onion

Espero que gostem dos contos.