A primeira vez de um corno

Sempre tive a fantasia de ver minha mulher devorada por outro macho. Aos poucos fui abrindo o jogo, ela topou. Encontramos na internet um cara disposto, moreno, 1,85, forte, sarado e com rola de 18cm. Depois de dias em ansiedade e dúvidas, ele chegou em casa.

Ele entrou, se sentou no sofá e conforme o combinado, eu assistiria e também seria o diretor do ato. Pedi para que começassem a se beijar e começaram. Minha mulher é alta, loira, gordinha deliciosa. Ele começou a beijar sua boca e pescoço, passando a mão em seus seios, pequenos e de bicos rosados. Ainda de roupa, ela não estava muito à vontade, mas eu incentivava o cara, que estava louco de tesão e começou a passar a mão em sua bucetinha, por cima da roupa mesmo. Ela ergue os braços e ele tirou sua blusa. Não deu outra, o cara caiu de boca em seus seios, enquanto ela ainda estava retraída e tímida, mas já arrepiada. Seus bicos estavam duros e aos poucos ela se soltava. O cara não tinha pressa e mamava em seus seios devagar. Logo ele passou a enfiar a mão dentro da calcinha e sua bucetinha já estava encharcada. Pedi para ela tirar a calça, ainda envergonhada, tirou. Minha mulher estava seminua diante de outro macho, só de calcinha.

Sugeri: vamos para a cama? Ambos foram para o quarto, ela deitou e o cara tirou a roupa. Seu pau estava duríssimo. Ele veio por cima e começou a beijar sua boca e a roçar o pau por cima da calcinha e por seu corpo. Pedi para que ele beijasse novamente os seios, enquanto começava a me masturbar, e assim foi. Só que a vontade falou mais alto e ele deu um jeito de descer até a calcinha. E tirou sua calcinha, revelando sua bucetinha molhada e cheio de tesão. Não deu outra, falei:

– Chupa.

Ele começou a chupar, primeiro os lábios vaginais e ela, ainda um tanto envergonhada, começou a se contorcer. Fui até ela, peguei em sua mão, beijei sua boca e falei: – Te amo, enquanto ela recebia um delicioso oral e começava a se contorcer. Isso deu mais segurança e ela começou a se soltar. O cara era bom, a safada gozou escandalosamente, se contorcendo e gemendo. Foi então que pedi: – Chupa, amor.

O cara deitou e ela veio por cima, beijando seu corpo, até chegar em seu caralho duro. Ela já estava mais solta, beijou a cabeça roxa e grande, chupou as bolas do saco e começou um vai e vem devagar naquele caralho duro. O cara ia à loucura, pedi para que ela tirasse o pau da boca e esfregasse em seu rosto, o que ela fez ainda meio sem jeito, mas gostando. Voltando a chupar, cada vez mais rápido, o cara gozou. A porra escorria em seu queixo, caindo até o pescoço.

Nem precisava falar, mas falei:

– Amor, deita e abre bem as pernas.

Ela deitou, abriu bem e o cara cobriu minha mulher. Não resisti, fui até ela novamente, segurei sua mão e observava com tesão seu rosto se contorcendo de prazer, dor e um pouco de vergonha, enquanto outro macho bombava em sua bucetinha. Ela gozou, o cara metia e beijava sua boca e seu pescoço, passava a mão em seus seios e chegou até a enfiar o dedo no seu cu, por baixo.

Mas ela se soltou. Agarrou o cara, virou o jogo e sentou em seu cacete. Começou a cavalgar feito louca, enquanto o cara batia em sua bunda cheio de tesão. A cavalgada ficava cada vez mais violenta. Muito violenta. Mais tapas, dedo no cu, mãos nos seios, ela esfregava os seios em seu rosto. Aconteceu de tudo, quando vi que o cara estava quase gozando, ordenei:

– De quatro.

Rapidamente, ela virou e arrebitou a bunda. Ele socou de uma vez, passou a bombar enquanto enfiava o dedo em seu cu e sentava a mão em sua bunda. Não demorou e o cara encheu a camisinha de porra.

Ao tirar, perguntei:

– Aguenta no cu?

Ele nem respondeu, ela começou a masturbá-lo, passar o pau no rosto e logo o pau estava duríssimo. Camisinha, lubrificação e de quatro, ele enfiou o caralho devagar, ela deu um gemido de dor, novamente fui ao seu lado e falei:

– Te amo.

Ele começou a bombar e a comer o cu com força. Ela gemia de prazer e rebolava na piroca. Fui até novamente e comecei a fazer carinho em seu rosto, cheio de prazer e dor. O cara estava louco, seu cu é muito apertado e a bunda é grande, gostosa de bater, Sua bunda estava vermelha e com marcas dos tapas. O cara retardava o gozo ao máximo, pois seu cu é realmente delicioso. Até que tirou o pau, jogou a camisinha fora e gozou em suas costas. Ela caiu, ele caiu em cima e repousaram por uns instantes, o macho com a piroca em cima da minha mulher, enquanto beijava seu pescoço. Gozei, fui até ela, fiz um carinho em sua cabeça e olhei com a cara de homem apaixonado. Fomos para o banho, os 3. Não me intrometi. Deixei os dois brincando no chuveiro, ela ensaboava seu corpo sarado, brincava com seu pau, ele ficou novamente duro e ela mamou, no chuveiro, até tomar mais porra na boquinha.

Quando tudo acabou, o cara foi embora. Deitei com minha mulher, fiz muito carinho em seu rosto, falei juras de amor e dormi um corno realizado e feliz.

Se você deseja realizar nossas fantasias, tem piroca grande e aguenta foder uma ninfomaníaca, escreva para euvimteajudar82@gmail.com