Cuidando da Carente

Ola, já acompanho este site a algum tempo e hj resolvi deixar um d meus relatos. Este q contarei é verídico porem vou preservar os nomes q serão fictícios.
Sou moreno claro, 1,80, 33 anos, viúvo. Moro com meu filho d 9 anos.
Sou bem relacionado socialmente em minha cidade, e logo q fiquei viúvo recebi varias e inúmeras condolências d muitas pessoas e inclusive em especial d uma amiga q q a chamarei d Karla. Uma morena clara, seios bem fartos, estatura mediana, fofinha, separada do marido a mais de 10 anos, um colosso d mulher.
Karla, sempre me rodeando, me dando forças e ânimos d superações pra continuar a vida. Tudo começou quando uma tia dela veio a falecer e uma cachorrinha de sua estimação veio a falecer tbm deixando-a arrasada. Me ligou e pedindo que eu fosse encontrar com ela pois precisava d um abraço q estava muito carente.
Fui ao local marcado. Estava linda, cheirosa. Me deu um forte abraço e se lamentou por um instantes sobre todo q estava rolando com ela e tentei conforta-la com algumas palavras q nem me lembro muito bem porque eu já deixava minha imaginação fluir, não pude controlar e deixei meu pau endurecer durante aquele abraço apertado e delicioso.
Ela percebeu, começou a se esfregar bem gostoso e me deu um beijo delicioso bem demorado sem pressa pra acabar. Ate que me fez o convite pra passar a noite em sua casa.
Ela vive com o casal d filhos que já estavam dormindo cada um em seu quarto quando chegamos. Ela me levou direto ao seu quarto, me beijando sem parar. Me jogou sobre a cama e ligou a tv botando um dvd d flash back com umas musicas que embalava aquele nosso momento me fazendo um delicioso estripe. Eu ficando louco com o pau duro, ela percebe minha situação já toda nua, ela vem e tira minha roupa e ao tirar minha cueca se espanta com os meus 22cm d mastro completamente duro.
Não perde tempo cai d boca. Uma boca macia e quente tentando engolir todo meu pau mas não cabe tudo sentindo ânsia mas mesmo assim tentando enfiar tudo na boca. Tirou da boca e começou fazer espanhola com aqueles peitões esfregando com meu pau entre eles e ainda chupando a cabeça da minha pica. Quase gozei ali mesmo.
Pedi que se deitasse e comecei mamar naqueles peitões d mamilos grandes e roliços q a fazia gemer feito louca dando leves mordidas e chegava ao orgasmo loucamente.
Fui descendo pelo seu corpo e cheguei em sua buceta, linda, lisinha, depiladinha toda meladinha pelo seu mel d prazer sem igual. Passo o dedo n seu grelo d leve e ouço um gemido longo d muito prazer me implorando pra fuder com vontade sua deliciosa buceta, mas cai d boca e sugando forte teu grelo fazendo se contorcer feito cobra com as pernas totalmente abertas esfregando na minha boca e gozando muito.
Levantei suas pernas suguei toda sua buceta limpando ela toda fazendo sentir outro orgasmo inexplicável e continuei ate limpar toda sua buceta. Começou a me implorar pra fuder ela. Deixei na posição d frango assado e esfreguei meu pau na sua buceta, encostei na entrada da buceta e empurrei a cabeça q entrou com um pouco d esforço pois era super apertada mas cm jeitinho foi entrando e ela gemendo sentindo minha tora arrombando tua xoxota molhadinha. Comecei um vai e vem devagar e fui acelerando e ela tapava a boca pra não gritar alto e acordar aos filhos q dormiam, mas pedia pra eu não parar d fuder ela. Eu via em sua face o olhar d satisfação e d prazer que lhe estava sendo proporcionada. Senti tua buceta se contraindo no meu pau e de repente pediu pra acelerar o máximo q eu pudesse. E assim fiz, ela me manda um jato d porra abafando seus gritos com o travesseiro mas gozando mto lambuzando toda d porra escorrendo pela sua bunda. Virou d4 e mandou arrombar mais ainda sua buceta
com forca, não perdi tempo. Atolei minha rola naquela xota apertada e socando com forca entrando e saindo sem parar.
Eu fudendo a xota dela e olhando seu cuzinho piscando sem parar, me deu uma vontade imensa d estourar as pregas daquele cuzinho virgem todo lambuzado pelo seu gozo. Passei meu polegar ela tirou minha mao na hora, me disse q no cuzinho nunca havia entrado nada e que não seria naquele momento q iria perder as pregas. Mas sou brasileiro.
Continuei bombando na sua buceta levando ao orgasmo mais uma vez, mas bolinando seu cuzinho. Quando senti que ela iria gozar de novo, empurrei meu dedo no cuzinho dela e fui mexendo devagar e ela foi relaxando e rebolando e já falava pra não parar.
— Karla, vou fuder teu cu.
___ Não faz isso, ainda é virgem meu buraquinho. Não vou aguentar toda sua rola la dentro.
Fui mexendo com o dedo no cu dela sem parar. Novamente ela gozou com as acaricias em seu buraquinho. Tirei meu pau da sua buceta ainda sem gozar e já estava desistindo por não ter me liberado teu cuzinho, mas já achava que era o suficiente porque ela já havia gozado varias vezes. Meu pau ainda duro, ela o pegou e enfiou na sua boca, forcava engolir todo mas não cabia todo. Eu me deitei e ela veio e ajoelhou ao meu lado com o cacete na boca e eu olhando seu buraquinho virado pra mim eu fui mexendo nele d novo e com jeito enfiei um dedo todo dentro e fui mexendo aos poucos e acelerando o movimento a deixando louca.
___Tira seu dedo dai e mete este caralho no meu cu. Sei que você ta louco pra me arrebentar toda.
Ela ficou d4, passei um pouco d saliva no cuzinho encostei meu pau na entrada e forcei, foi entrando aos poucos e ela deu um grito abafado no travesseiro. Tirei d novo passei um gel d menta empurrando cm um dedo, ela gemia sem parar e implorava pra empurrar a pica toda. Assim foi todo no seu cu. Movimento d vai e vem sem parar ela gemendo e pedindo mais e mais. Senti que eu iria gozar. Tirei do seu cuzinho e ela caiu d boca e sugou todo minha porra. Estavamos exaustos tomamos um banho juntos e voltamos pro quarto dela e dormimos pelados juntinhos. Tivemos mais encontros tipo este q contarei da próxima vez. Espero q tenham gostado. se tiverem mulheres a fim d uma noite d sexo bm gostoso entrem em contato pelo email: drney.ieq.jbt@gmail.com