“Descabacei” Dona, Laura

História verídica.

Tinha 28 anos e vou me identificar como Léo. Quando me separei e fui morar sozinho em uma vila. Sou moreno, 1,70, 70 kg e tenho 24 CM de dot. Com quase um mês morando nesta vila eu conheci, Laura, uma mulher que devia ter os seus 45 anos, morena, seios médios, uma bunda consideravelmente grande e separada há alguns anos. Ela era uma coroa de respeito nos melhores sentidos. A vila tinha corredores estreitos e ela sempre tinha que passar pela porta da casa em que eu morava pra estender as roupas. Criamos uma amizade e sempre que ela passava pela porta da minha casa, era inevitável a gente não conversar. Como ela era bem gostosa, eu comecei a esperá-la sempre com shorts largos e sem cueca, pois desde a primeira vez que eu fiz isso, percebi que ela não se incomodava e disfarçava pra olhar toda hora pra minha PIROCA.

Certo dia em que estávamos conversando, enquanto ela lavava roupas, vi sua blusa molhada e ela estava sem sutiã. Percebi que ela estava com os BICOS DOS SEIOS bem duros e, analisando a situação, entendi que ela estava com TESÂO e que tinha molhado a blusa de propósito pra que eu olhasse pros seus SEIOS assim como ela sempre olhava pra MINHA ROLA balançando.

Um belo dia de manhã eu a convidei para tomar um café dentro da minha casa e ela aceitou. Assim que la entrou eu tranquei a porta e disse que assim teríamos privacidade. Obviamente eu estava com um short leve e sem cueca. Enquanto a água esquentava eu aproveitava pra passar bem na frente dela com A PIROCA balançando e fingindo que eu não percebia que ela olhava pro meu CARALHO. Eu estava planejando FUDER , Dona Laura, neste exato dia. Comecei a puxar assuntos íntimos e no auge da conversa eu falei:

– A senhora é muito nova e muito bonita pra ficar tanto tempo sem TRANSAR.
Ela sorriu e agradeceu o meu elogio e então segurei na minha ROLA por cima do short e falei:

– Olha como a senhora deixa o meu CARALHO! Eu não aguento mais me masturbar diariamente imaginando todo esse tempo que a senhora não transa e que eu poderia estar sentindo a lubrificação da sua BUCETA quase virgem encharcando meu PAU.
Botei os meus 24CM de CARALHO pra fora, bem na frente da dona Laura, que estava sentada diante de mim, e mandei ela segurar. Dona Laura, ASSUSTADA, fez um sinal de “NÂO” com a cabeça e ao mesmo tempo segurou minha ROLA com força e ficou me olhando paralisada como se não soubesse o que fazer. Aproveitei o silêncio e segurei com força nos cabelos de dona Laura, na parte da nuca, e mandei-a só sentir o meu TRONCO duro, quente, envergado, pulsando, porque tínhamos o dia inteiro e que eu iria comê-la sem pressa. A partir desse momento em que ela ficou calada obedecendo ao que eu falei, percebi que eu estava com a situação dominada.

– Teu CABAÇO já deve ter até voltado (ironizei). Vou te descabaçar e te fazer mulher novamente.

– Por favor, não me machuca. Seu PIRU é muito grande!! Por favor, faz devagar.

– Põe a língua pra fora! – Ordenei-a, e, segurando na base do TRONCO do MEU CARALHO, surrei a cara da dona LAURA, com a minha PIROCA ENVEIADA!! BATI, ESFREGUEI, BATI NOVAMENTE e comecei a SOCAR o CARALHO petrificado até onde sua GARGANTA aguentava. EM alguns momentos ATOLAVA os 24CM de CARALHO dentro da boca de dona Laura. Trazia a cabeça dela contra o meu corpo com força segurando-a pelo pescoço e pela cabeça e, enquanto ela me olhava e engolia meu CACETE, babando em uma quantidade que a baba pingava no chão, eu dava TAPAS NA CARA de dona Laura.

– Daqui pra frente eu sou TEU MACHO!!! Tu nunca mais vai ficar sem PIROCA!!!
Soquei a ROLA impressionantemente DENTRO DA GUELA de dona Laura e ela arregalou os olhos como se estivesse sofrendo por obrigação. Fiquei assim durante uns trinta segundos e quando tirei, puxei de uma só vez, entregando-lhe uma violenta porrada com a mão aberta por DENTRO DA SUA CARA.

– Tu é minha PUTA pra sempre!!! VAGABUNDA!!! CADELA!!! Olha bem nos meus olhos. Tu vai arreganhar essa BUCETA todo dia, aqui na minha cama, pra minha PICA, daqui pra frente!!!

Joguei dona Laura, na cama, arreganhei as pernas dela violentamente até ela gritar e chupei aquele BUCETÃO durante umas meia hora. Enquanto eu chupava aquele BUCETÂO SEMI-VIRGEM eu aproveitava pra dar socos naquele BUNDÂO e TAPAS NA BUCETA. Como eu suguei aquele XERECÃO e aquele CU!!! A FILHA DA PUTA tava com a VAGINA RASPADA. Ela se CONTORCIA E GEMIA ao mesmo tempo. Eu estava CHUPANDO dona LAURA como se fosse a ultima foda da vida dela. Botei dona Laura de QUATRO e enfiei o meu PÊNIS do mesmo jeito que um CAVALO devora uma ÉGUA. Comi dona Laura com FORÇA, com RAIVA, com DESEJO, com o CARINHO que um tarado trata sua ESCRAVA SEXUAL. Quanto mais eu SOCAVA mais ela GEMIA e APANHAVA. De repente dona LAURA começou a GEMER e CHORAR. Enquanto ela FODIA e era FODIDA, ela GEMIA e CHORAVA me olhando com cara de RAIVA, PRAZER, GAMADA, DOR, PAIXÂO, TORTURADA e SATISFAÇÂO.

– TARADOO!!! Eu tô GOZAAANDO!! AÍÍÍ, AAAÍ, Eu tô GOZAAANDOO!!! FILHO DA PUTAA!!! EU SOU A DONA DA TUA ROLAAA!!!! MEU MACHOO!!! EU SOU TUA ESCRAAVA!!! TOOMA!!! TOMA MEU LEEITEE NO PAAU!!!!

Assim que dona Laura terminou de GOZAR pareceu que tinha desmaiado e ficou deitada de bruços com a BUNDA empinada. Não consegui mais resisti e comecei a GOZAR urrando e mordendo o cangote dela como se eu fosse um cachorro. Nesse momento eu ENFIEI A PIROCA com toda a força que eu tinha de reserva. Enquanto eu GOZAVA eu dizia:

– CADELA FILHA DA PUTA!! SENTE MINHA PORRA DENTRO DO ÚTERO!!! TOOMA, TOMA!!! MEU ESPERMA TÁ BANHANDO ESSE XERECÃO DESCABAÇADO E ARROMBADO!!! Q TESÃO ARROMBAR ESSA BUCETA!!! AAAAII!!!

Depois de GOZARMOS apagamos durante um pouco mais de uma hora e quando acordamos foi a vez da PIROCA ARROMBAR o CUZINHO VIRGEM da dona LAURA. Mas, essa história eu conto depois.

Meu SKYPE: durantecastro1000@gmail.com