De casado a uma puta

Tenho 28 anos de idade e sempre fui uma pessoa bastante tímida, durante a adolescência e tempo de faculdade tive poucas namoradas e bem poucas relações sexuais, não que não sentisse desejo, mas não sabia chegar onde o prazer poderia estar. Transferi toda minha energia para os estudos e aos 24 anos, me formo em engenharia, logo faço concurso para uma empresa estatal grande e sou aprovado. Bom emprego e estabilidade. Conheço uma jovem que vamos chamar de Pri, que me encanta e compreende meu lado tímido, tomando as iniciativas comigo e desenvolvendo meu lado sexual, passamos a ter uma boa vida sexual e resolvemos nos casar. Tudo ia bem, eu aprendendo um pouco de sexo e a vida andando, até que depois de dois anos de casados, descobri várias traições dela com outros homens, orgias e até casos com mulheres. Bem não consegui segurar a onda e nos separamos. Porém, entrei em profunda depressão, ficava em casa, não ia trabalhar, até que um amigo Jorge, da empresa percebeu e me levou ao médico, diagnóstico de depressão em alto grau, teria de tomar remédios, departamento da empresa me dão uma licença de seis meses. No uso dos medicamentos começo a melhorar, mas as lembranças não me saem da cabeça, meu médico me recomenda afastar da cidade grande. Jorge tem um sitio na serra, herança de família que pertence a ele e a irmã dele, que foi morar no USA. Ele me oferece o local, dizendo que seria bom alguém estar por lá, porque esta sem tempo de desfrutar a propriedade, não vai lá há quase um ano e sua irmã mornado no exterior. Como achei a idéia boa acabei aceitando. Ele me fez algumas recomendações: Tem uma empregada que vai lá uma vez por semana para limpeza e pode ficar a minha disposição, como o sítio é grande tem bastante terra ele faz uma parceria com um agricultor da região que lá planta e os lucros são divididos, um sobrinho e dois filhos de 16 e 18 anos, desse senhor que tocam as terras e que a casa possui três quartos um dele, outro de hóspedes que irei usar e outro da irmã dele, o dele e o da Irma tem roupas dos dois, mas como a irmã foi para os USA, ele me pede que junte as roupas dela em um saco e faça uma doação. Digo que tudo bem e marco o dia de ir para o sítio.
No dia marcado a empregada me espera na casa, que por sinal bastante grande e logo depois de eu chegar os três jovens que tocam a plantação vem se apresentar, dois de 16 e um de 18 anos, rapazes que falam bem, nada do estigma que se tem de gente do interior. Combino com a Áurea para vir mais dois dias na semana para ajudar nas tarefas da casa e claro a remunerando por isso. Sai com ela para fazer compras para a casa, voltamos e ela arrumou as compras e deixou algumas coisas prontas para comer e eu fui arrumar minhas coisas no meu quarto. Depois disso descansei e com a chegada da noite fui dormir.
No dia seguinte fui explorar a propriedade que era bem grande mesmo, vi dois dos três rapazes cuidando da plantação e depois observei que a cada dia eles se revezavam no trabalho, indo um, dois ou até os três para cuidar do terreno, dias em que não iam ou iam so uma parte do dia, era de acordo com a necessidade do trabalho. No sítio havia um celeiro e uma baia com dois cavalos e alguns cachorros que andavam pela propriedade, mas não eram da casa. A tarde fui explorar a casa, entrei nos quartos e me detive no quarto que era da irmã dele, onde fui verificar as roupas que ele havia pedido para ensacar e doar. Olhei eram roupas simples, 3 calças compridas, 3 vestidos todos de malha, duas saias também de malha, 5 blusas de tecido e de malha algumas, três cintos, 3 bolsas, baby dolls, camisolinhas, uma camisola de flanela para frio, meias, calcinhas, uma cinta liga, sutiãs, sandálias, chinelos e dois pares de sapato e alguns biquínis, além de uma sacola plástica com alguns remédios e outra que me parecia produtos de beleza que não abri. Resolvi tirar as roupas do armário e das gavetas e colocar sobre a cama. Ao mexer nas roupas foi me dando uma sensação de desejo de tesão que quando me deparo estou totalmente excitado. Fiquei confuso com aquilo. Deixei as roupas ali e fui descansar um pouco e mais tarde jantei, assisti um pouco de TV e fui dormir.
No outro dia pela manhã chega Áurea, quando acordo tem um café da manhã pronto para eu tomar e ela vai para os seus afazeres, explico a ela sobre o quarto da irmã de Jorge e digo a ela que ele pediu que arrumasse as roupas dela e que ela poderia deixar que eu cuidasse disso, menti sobre as roupas que tanto me tinham deixado intrigado. Tomo café vou caminhar pelas redondezas e conheço um barzinho mais adentro nas ruas que chegam a propriedade onde as pessoas fazem pequenas compras, comem um pão com manteiga ou mortadela, bebem cerveja e cachaça e volto para o almoço. Lá pelas 3 horas da tarde ela vai embora e eu vou ao quarto da irmã de Jorge e fico apreciando aquelas roupas e resolvo não sei de onde me despir e a vestir aquelas roupas. Experimento quase todas durante nem sei quanto tempo, só não cabiam as calças compridas em mim. Até que fico de calcinha e babby doll e durmo com ele. Acordo no dia seguinte um dia ensolarado e resolvo tomar um sol na beira de um lago que tem no jardim da casa, vou ao quarto dela e visto um de seus biquínis, como não era dia da Áurea vir. Assim fiquei lá por umas 3 horas e fui para a casa almoçar, fiz meu prato comi e continuei de biquíni estava calor, sai a tarde para o jardim vestida assim de novo. No fim da tarde fui tomar banho e após me vesti com calcinha e vestido dela e uma sandália e fui para varanda. Abri meu computador pela primeira vez e fui pesquisar o mundo crossdresser, me encantei com aquilo. Fiquei até tarde vendo essas coisas na internet e fui dormir, só que desta vez de camisolinha. Acordei no dia seguinte e como era dia da empregada, vesti uma bermuda por cima da calcinha com uma camisa e fui tomar café, já eram 10 horas da manhã. Depois fui andar pelo sitio, encontrei um dos meninos que cuidavam da plantação, conversei um pouco com ele e depois já cansado voltei pra casa almoçar, dormi um pouco e fui tomar banho, quando saia do banho Áurea se despediu e foi embora e eu fui me produzir novamente, calcinha, coloquei um sutiã, saia e blusa. Resolvi explorar as sacolas que estavam no quarto, na dos remédios tinham analgésico e três cartelas de anticoncepcionais, que deveria deixar para alguma emergência e na outra uns cremes hidratantes, rimel, base, batons etc. influenciado pelo que vi na internet no dia anterior, tomei um comprimido de anticoncepcional e passei batom em mim e tentei usar rimel e delineador nos olhos, ficou meio borrado, mas nada mal para uma principiante. Nos dias seguintes sempre me vestia de menina, tomava anticoncepcional todos os dias e ia treinando maquiagem, além de tomar sol de biquíni, sempre que havia sol e eu estava sozinha ou achava que estava sozinha. Depilei-me toda. Nos outros dias que fui a cidade para compras para casa, comprei mais cremes, mas delineadores e outras coisinhas, inclusive roupinhas. Depois de uns 15 dias nessa rotina, fui relaxando os cuidados e fui flagrado pela Áurea, produzida. Expliquei a ela dizendo que tinha este fetiche e contava com sigilo dela, ela disse que por ela não teria nenhum problema, Então passei a estar produzida todos os dias e ela me dava uns toques, disse que meu cabelo estava muito curto, que precisava de uma peruca. Ela me orientou onde poderia comprar na cidade e fui lá. Já no dia seguinte era uma mulher. Ela mesma ficou impressionada. Uma semana depois eu em casa toda produzida vem um dos meninos da produção que estava em colheita trazer uma cesta com alfaces, couves e agriões para deixar em casa, me vê daquele jeito na hora meio incrédulo, pergunta se sou eu mesmo. Respondo que sim, conto a mesma história e peço discrição a ele. Ele diz que tudo bem, mas que eu sou muito bonita, nesta hora meu pau endurece e quase rasga a calcinha, sorrio ficando um pouco vermelha que sinto pelo calor do rosto, ele se despede e vai embora. No dia seguinte os dois outros meninos vão lá me ver com a desculpa de perguntar se eu precisava de alguma coisa. Diziam já de cara que eu poderia ficar calmo que eles seriam muito discretos, mas chegaram bem perto de mim e começaram a me elogiar e passaram sua mãos nas minhas costas e no meu rosto, dizendo que eu era linda, nisso o Jobson que era primo dela de 16 anos, chega perto de mim pega na minha mão e pede se pode me beijar, eu abaixo a cabeça dizendo que sim, pensei que me beijaria no rosto ou na testa, pra minha surpresa ele vem na boca e faz com eu abra a boca e coloca sua língua la dentro e fica um tempão me beijando, quase perco o fôlego, nisso o outro menino de 18 anos Rafael, vem me alisando a bunda e as coxas, estava de misissaia com as coxas lisas a mostra, ele sobre pelas minha pernas e vem a minha bunda, pega na minha calcinha abaixa e fica com o dedo procurando meu cuzinho, até que encontra, Jobson abre minha blusa e a tira, solta meu sutiã ao mesmo tempo que Rafael abaixa totalmente minha calcinha, eu completamente excitada. Eles botam seus pintos pra fora e tiram a camisa e instintivamente eu me ajoelho e chupo os dois alternadamente, tinham pintos parecidos em torno de 18 cm, sendo que o Jobson um pouco mais grosso. Adorei fazer aquilo, coisa que nunca tinha feito, me sentia uma fêmea ali, as vezes demorava mais em uma das picas e o outro com ciúme me puxava para a dele. Só parei devido ao incômodo no joelho, segurei os dois pintos e os puxei para o quarto. Lá eles tiraram as calças e as cuecas, ficaram em frente aos pés da cama, eu fiquei de 4 na cama e voltei a chupá-los, logo a seguir Jobson se posiciona atrás de mim e começa a chupar meu cuzinho, que delicia aquela sensação, quase que gozo, meu pinto duríssimo de tesão. Jobson tenta forçar seu pinto no meu cuzinho, mas não entra e força, provocando um pouco de dor. Ainda chupando Rafael mostro a ele um creme hidratante na cômoda e oriento ele a colocar dentro do meu cuzinho com os dedos e depois lambuzar o pau dele, assim ele fez enquanto eu chupava e logo forçou meu anelzinho que começou a se abrir e enfim eu perdia minha virgindade, doía pouca coisa, pedia para ele ir devagar, nisso meu pinto amolece me distraio do pinto que chupava, quando Rafael me chama a atenção, aliso seu pau beijo e me concentro na penetração anal, até que sinto que entrou tudo, sinto sua barriga me tocar. Relaxo um pouco, dou atenção a chupada e deixo um pouco o pau ficar lá dentro, logo vem o tesão por dentro, coisa estranha e começo a rebolar um pouco. Quando ele então começa a bombar tirando e botando e eu chupando. Fico alucinado nem sei o que penso na hora, ficamos assim um tempo que não sei quanto, até que o Rafael diz que também quer me comer, lembrando que camisinha nem pensamos nessa hora, foi tudo ao natural mesmo, eles trocam de posição, Rafael lambuza seu pinto com gel e o Jobson vem me dar de chupar, nem me lembrei que saia do meu cu pra minha boca, só me toquei disso quando senti um gosto um pouco amargo, mas agora já era, me concentrei em chupar aquele pinto, já com a boca doendo, não estava acostumada, enquanto Rafael metia no meu cu, nisso me dá um frisson de tesão por dentro da barriga e eu gozo de repente, quase desmaio, eles me seguram, e logo a seguir Jobson dia para Rafael que a putinha gozou, e ele me enche a boca de sua porra que aparo, tento engolir um pouco outro tanto se esvai pela boca e logo Rafael enche meu cu com sua gala, nessa hora eu caio pro lado exausto e toda suada.Eles também se sentam na cama. Logo me recomponho e os chamo para um banho. Vamos para o chuveiro e lá começa de novo alisar, encoxar, beijo na boca, chupar e no cu novamente em pé. Saímos dali nos secamos e fomos fazer um lanche os três nus. Eles me pedem pra vestir a calcinha e ficamos ali conversando. Isso eram umas cinco da tarde, Rafael pede se pode ir dormir comigo, eu digo que sim, mas explico que Áurea amanhã pela manhã estaria por lá, ele diz que sem problemas. Lá pelas 9 da noite eu já cheirosinha e de camisolinha recebo o Rafael em casa com uma pequena bolsa, pergunto se ela já jantou, ele responde que não e então coloco um proto pra ele e comemos os dois juntos, retiro a mesa e vamos para o sofá, assistimos TV e ficamos conversando um pouco com ele abraçadinho a mim. Depois de um tempo ele começa a me acariciar e me beijar e eu retribuo e chupo em seguida ele me despe e me posiciona para me comer mais uma vez, ainda sinto meu bumbum ardendo, a penetração um pouco dolorida, mas prazerosa, depois de um tempo ele passa a me masturbar sem deixar de me comer até que eu gozo e logo em seguida ele também goza me inundando. Relaxamos e assistimos um pouco mais de TV e fomos pra cama, dormimos agarradinhos. Quando acordei, ele não mais estava na cama, já tinha saído.
O dia corre naturalmente sem nada de diferente, não fui até a plantação, apenas tomei sol, já estava com uma marquinha do sol. Após a Áurea ir embora chega a minha casa o irmão de Rafael, Artur eu com um pegnoir quase transparente sobre o biquíni, veio com uma conversa de que queria saber como as coisas estavam e por ai foi, ele era o mais tímido dos três, como também padeço com a timidez e luto para perder esse mal, resolvi ajudá-lo e perguntei se ele foi lá por que os outros meninos falaram algo pra ele, quando vi sua face ficar tão vermelha que o garoto parecia que ia explodir, fiquei com pena e o abracei, sentia seu coração batendo forte e acelerado, fui acariciando e ele foi acalmando, até que ele conseguiu falar algo e disse que sim, que os meninos haviam falado com ele sim, do que havia acontecido, nem tentou negar de tão tenso que estava. Ai perguntei a ele o que ele queria, mais uma vez fica totalmente rubro e começa a gaguejar, quando eu lhe pergunto, você me quer e ele responde que sim. Então pego ele pela mão e o levo para o meu quarto, tiro sua roupa, tiro meu pegnoir fico de biquíni me ajoelho e passo a chupá-lo, com o nervoso que estava nem demora dois minutos e já enche minha boca com seu leite, eu engulo uma parte e mais um pouco deixo escorrer, ele pede mil desculpas, e eu digo que adoro aquilo, ele sorri e senta ai meu lado na cama, relaxa e conversa um pouco, me diz que é a primeira vez que ele goza com alguém, que até então só na masturbação. Peço pra ele deitar na cama e vou tomar um banho e volto enrolada em uma toalha, quando a abro me viro de costas pra ele, o menino fica doido, mas já sem ficar vermelho, vem em minha direção me beija na boca e é o primeiro que mama nos meus peitinhos que já começam a surgir pro causa dos anticoncepcionais que venho tomando, sinto os seios um pouco doloridos, mas nada que abafe o prazer que sentia em ser tratada como mulher. Ai com calma nos acariciamos, volto a chupá-lo, beijos na boca e ele me chupa também em cumplicidade, que delícia eu estava alucinada de tesão nessa hora, pego o creme hidratante, oriento ele a passar no meu bumbum e depois no seu pinto e me posiciono de 4 para ele me comer, foi uma delicia com o tesão que estava sentindo. Ficamos um bom tempo dessa vez até que ele goza e a seguir eu me masturbo até gozar. Nos limpamos, colocamos nossas roupas e fomos fazer um lanche que preparei para nos dois. Fiquei apaixonada pelo menino. Não via a hora de estar com ele novamente.
Os dias foram se passando e os meninos iam me visitar sempre, maioria das vezes separados, Artuir sempre só os outros dois as vezes iam juntos. Mas Artur era carinhoso me chupava, foi o único que quis me comer na posição de frango assado olhando na minha cara, pedia a ele pra me bater na cara, coisa que me dava muito tesão, quando feita por ele. Os outros também as vezes davam tapas na bunda ou até no rosto, mas não me davam o tesão que o Artur me provocava. Com o passar do tempos outros dois foram indo menos vezes e o Artur mais vezes, isto durou mais quatro meses, da minha licença. Quando fui embora me despedi do Artur com muito choro, mas vinha com frequência passar fins de semana e feriados com ele. Cada vez ficando mais feminina. Hoje moramos junto na cidade grande onde trabalho e ele é meu marido. Mandem fotos e filminhos eróticos pra mim. estrelamatutina55@bol.com.br.