Dominação Tântrica VI – Entrega Total

Quando no encontramos novamente , Mariara estava ofegante. Parecia que havia corrido uma maratona e mostrando-se muito feliz. Me disse que havia conseguido cumprir minhas ordens integralmente. Não deixou o se marido come-la, ficou com o plug no cú o tempo todos e andou sem calcinha por todos os lugares. Quase teve uma recaída quando o seu marido tentou fude-la a força, mas para não deixa-lo na mão ficou nua dançando em frente ao espelho rebolando enquanto ele batia um gostosa punheta . No começo foi difícil fazer ginástica com o plug no cu, me confidenciou. Principalmente pedalar na bicicleta ergométrica quando gozou intensamente a exercitar-se . Disse que quase caiu literalmente da bicicleta.
Lhe falei que como tinha sido obediente receberia uma recompensa em nossa sessão de hoje. minha tarde esta totalmente reservada para você. Mandei ela vir até mim e virar de costas, levantei a sua mini-saia jeans, passei o dedo na sua buceta arrancando um gemido e tirei o plug do seu cú, cheirando-o logo após. Elogiei o cheiro do seu cuzinho, pois está limpinho. Ela me disse que havia feito uma lavagem intestinal naquela manhã e que estava com o intestino brilhando. Lhe ordenei que sentasse no divã enquanto eu iria pegar o seu kit de dominação. Ao voltar para sala lhe disse que hoje faríamos algo diferente, perguntei se ela sabia o era bondage e me respondei que havia visto na internet num site japonês. Lhe perguntei se alguma das posições e dominações havia lhe chamando atenção. Me disse que tinha ficado com tesão quando viu uma mulher amarrada numa cadeira com a sua buceta e o seu cu expostos na posição de frango assado. Perguntei se gostaria viver esta experiência , a resposta foi: só se for agora. Ok, então vamos lá.
Mandei ela sentar na minha cadeira totalmente nua. Em segundo ela estava sentada eufórica. Experiente, lentamente amarrei suas mãos, seus braços deixando os imobilizados, lhe perguntando se estar confortável. Me disse que sim, então mandei dobrar os joelhos abrindo as pernas e lentamente comecei a amarrar suas pernas deixando-a posição de frango assado. Antes de amordaça-la lhe perguntei se gostaria que eu ficasse nu ou de roupa como como é tradicional no bondage. Ela me disse que queria me ver nú, queria ver o pau , o meu corpo. O que prontamente atendi, causando-lhe surpresa pelo tamanho do meu pênis e pelas tatuagens que possuo. Meu Deus, disse ela , o teu pau é bem maior do que o do meu marido. Por último coloquei a mordaça, deixando-a confortável e ao mesmo tempo tensa.
Ela estava totalmente exposta então resolvi fazer um pequeno show para minha escravinha. Sentei-me de frente para ela batendo um deliciosa punheta com o meu pau melecado de óleo. Maiara parecia não acreditar o que via , queria falar algo , mas a mordaça a impedia. Sua bucetinha falava por ela. Parecia chorar de felicidade com tanta secreção que escorria. Pela posição ao invés de correr pelas pernas, seu suco vaginal corria umedecendo seu cuzinho que piscava ansioso para receber minha pica. Depois de alguns minutos me punhetando, peguei alguns brinquedinhos e passei a brigar no seu cu. Lhe orientei para segurasse o gozo o máximo possível e que caso gozasse que procurasse puxar a energia do orgasmo da base da coluna para o centro do seu cérebro. Ela consentiu com a cabeça.
Primeiro peguei o chicote e a olhei fazendo uma cara de tarado. O que causou a principio um choque e uma expressão de surpresa em seu rosto. Mas lentamente passei a bater em sua bucetinha, sabia a diferença entre a dor e o prazer. Quando ela começa a rebolar querendo gozar, batia mais forte causando-lhe um pouco de dor e desconforto. Fiquei cerca de 15 minutos nesta brincadeira, deixando sua bucetinha e o seu cuzinho inchados e vermelhos de tanto apanhar. Depois meti o vibrador causando-lhe uma DP. Foi lindo ver aquela mulher que ansiava pelo gozo tentando se controlar e não conseguindo. Seu gozo era farto, parecia que iria se mijar novamente.
Enquanto curtia o seu primeiro , posicionei meu pau e numa estocada firme invadi as entranhas daquela mulher fogosa, levando a mais um gozo na penetração. Mantive meus movimentos retirados e firma socando fundo até as minha bolas baterem no seu cuzinho. Maiara queria falar, gritar, me beijar, me agarrar mas estava amordaçada e amarrada. Soquei firme por um bom tempo fazendo-a gozar diversas vezes. Tirei meu pau da sua buceta e colocarei no seu cuzinho lentamente controlando a penetração . Lagrimas saiam dos seus olhos, não se de dor ou de prazer. Quando senti que havia colocado todo, esperei alguns momentos e soquei forte de cadenciadamente. Aquela mulher parecia não acreditar no que estava acontecendo. Enquanto socava no seu cu, coloque um vibrador wireless na sua buceta penetrando e ao mesmo tempo massacrando seu clitoris. 
Totalmente entregue, a mulher que a poucos meses havia entrado em meu consultório reclamando que não conseguia gozar, agora estava praticamente desmaiada de tanto gozar. Uma das vantagens da pratica do sexo tantrico é o controle que você adquire da sua ereção e da sua ejaculação, por isso eu ainda não havia gozado. Retirei a mordaça daquela potranca e lhe perguntei que estava tudo bem e ela aos prantos me dizia somente : obrigado meu Lord, serei sua para sempre. Você é maravilhoso. Quantos anos perdi na minha vida, como pude ser tão pudica, tão submissa, tão hipócrita.
Enquanto ela falava, lentamente lhe libertei. Deixando a livre, já que deveria estar com as pernas e braços dormentes. Sentei-ma cadeira onde antes bati a punheta e quando vi que estava recuperada pedi que viesse até mim e sentasse no meu colo. Ela aninhou-se no meu peito como uma menininha que senta no colo do seu amado, sabendo que ali esta seguro. Aproveitei o momento e beijei-lhe lascivamente. Ela retribui e sento entrelaçando as pernas nas minhas costas e ao mesmo tempo esfregando a buceta melada no meu pau. Lhe disse para encaixar na portinha e mandei ela engolir o meu pau com buceta controlando a penetração. Com movimentos ritmados esfregou sua xoxota contra meus pelos pubianos, buscando mais um gozo. Não demorou a chegar ao clímax me beijando e gritado : ESTOU GOZANDO, AI , AI …. ESTOU GOZANDO… VC É O MEU HOMEM… VOCÉ É O SENHOR… AAAAAHHHHHHHHHHHHH. Caindo quase desfalecida no meu ombro. Quando recobrou a consciência me perguntou como eu ainda não havia gozado, eus lhe respondi que ela estava enganada. Eu havia sim gozado, o que eu não tinha feito era ejacular. Muitos pensam que são a mesma coisa, mas na verdade não.
Olhando nos meus olhos, me disse: Eu quero beber o seu leitinho. Quero que goze na minha boca , quero beber tudo. Pedi para se ajoelhasse na minha frente para que realizasse o seu desejo. Ela teria o queria nas se desperdiçasse uma gota sequer seria punida ficando de castigo por mais 15 dias. Já como aboca no meu pau consentiu com cabeça. Deixei ela babar, punhetar até que explodi numa ejaculação enorme. Ela recebeu tudo sem deixar vazar nada e antes de engolir me mostrou a poca cheia de porra.
Antes de me despedir, lhe disse que estava liberada para trepar com o marido com a seguintes condições : Ele poderia comer somente a sua bucetinha. Nada de comer o cuzinho ou de gozar na sua boca. Continuaria usando o plug anal e nada de por calcinha. Não iria escovar os dentes e quando encontrasse o seu marido o beijaria com o hálito da minha porra na sua boca. Depois contaria a ele cada detalhe do que fizemos na tarde de hoje e me contaria sua reação. Antes de dispensa-la ainda meti mais uma vez no seu cu para que lembrasse, coloquei o plug e mandei ela limpar o pau mamando gostosamente.

Continua ….

lordoftrantricdomination@gmail.com
Se quiser saber sobre Audições e Dominação Tantrica me mande um e-mail.